Porque             para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não             podem ser comparadas com a glória que ha de ser revelada em nós.             Romanos 8:18
Bem vindo a nossa página de estudos especiais, o conteúdo desta página  tem como finalidade auxiliar no conhecimento e desenvolvimento espiritual do estudante da palavra de Deus.

ESTUDOS ESPECIAIS

E
S
P
E
C
I
A
I
S

DESAFIO DO INCRÉDULO
EVIDÊNCIAS  DO NOVO NASCIMENTO
NOSSO  SUBSTITUTO
SALVAÇÃO ATO DE DEUS
 CHAMANDO  PECADORES
SINAIS DE VERDADEIRA CONVERSÃO.
PASSAPORTE AO PARAÍSO
CONSEQÜÊNCIA PECADO
80 RAZÕES PARA SALVAÇÃO
JOVENS CRISTÃOS
 
PROFECIAS
NOSSA OBEDIÊNCIA
NOSSA ESPERANÇ
A
NOSSA JUSTIÇA
NOSSA PAZ
NOSSA REDENÇÃO
NOSSA VITÓRIA
NOSSO GOZO
NOSSA SANTIDADE
SABEDORIA
NOSSA ESPIRITUALIDADE

SÉRIE ESPECIAIS

 

DESAFIO DO INCRÉDULO  

Por: C. D. Cole

Certa vez um incrédulo fez a seguinte afirmativa: "Se eu cresse realmente, como milhões dizem que crêem, que o conhecimento e a prática da religião nesta vida influencia o destino na outra, e religião seria tudo para mim. Deixaria de lado as diversões terrenas considerando-as como escória; os cuidados terrenos como tolices, e pensamentos e sentimentos terrenos como coisas vãs. E religião seria meu primeiro pensamento ao acordar e minha última imagem, antes que o sono me mergulhasse na inconsciência. Trabalharia unicamente por esta causa. Pensaria só no amanhã da eternidade. Cada alma ganha para o céu valeria para mim uma vida de sofrimento. As conseqüências terrenas nunca ficariam em minhas mãos nem selariam meus lábios. A terra com suas alegrias e tristezas não ocupariam nem um só dos meus pensamentos. Eu me esforçaria para considerar unicamente a eternidade, e as almas imortais ao meu redor, próximas a ser felizes ou infelizes eternamente. Iria pelo mundo inteiro a pregar a tempo e fora de tempo, e meu texto seria: 'Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma?'"

O que há de errado com esta afirmação? Absolutamente nada! Ela é justa e lógica. Se a religião de Jesus Cristo é o que dizemos ser, as conclusões às quais o incrédulo chegou são certas. O que importa o presente, se o futuro é seguro? O presente quando comparado com a eternidade não é mais cumprido do que a ponta de uma agulha.

Este é um desafio a todos os crentes. Paulo o aceitou e colocou Cristo em primeiro lugar. "Para mim o viver é Cristo." Ao pensar no que isto significa com relação ao sofrimento ele disse: "…tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que nós há de ser revelada."

O Sr. C. T. Studd, um grande jogador de críquete em Cambridge, Inglaterra, leu estas palavras, e elas causaram um impacto tão tremendo nele, que desistiu de sua carreira para ir aos lugares mais sombrios da terra como missionário. Ele diz: "Estas palavras me fizeram decidir, na hora, a viver única e exclusivamente para Cristo."

Não procure uma vida longa, a vida de Cristo foi curta. Não viva em luxúria, Cristo viveu e morreu como pobre. Não viva em prazer, Cristo não veio para agradar a si mesmo. Não procure fama, Cristo aniquilou-se a si mesmo. Não procure uma vida de conforto, Cristo sofreu a vergonha e o castigo da cruz.

O que você e eu faremos com o desafio daquele incrédulo?

Sabemos que há céu e inferno. Sabemos que toda raça humana está destinada a passar a eternidade num destes dois lugares. Sabemos que não somos de nós mesmos; que fomos comprados por bom preço. Sempre assinamos qualquer afirmação que apresente a importância de uma vida fiel, consagrada e santa; mas assinar é uma coisa e colocá-la em prática é outra completamente diferente. Por isso, se não praticamos o que pregamos, não iremos escapar de sermos taxados de hipócritas.

Precisamos deste desafio. Precisamos de alguma coisa que nos acorde. Precisamos de algo que nos faça praticar o que pregamos. Precisamos ter firmeza em nossa profissão ou ela não ficará de pé.

Precisamos dar sentido à nossa religião. A maneira como muitos de nós vivemos não faz sentido. Dizemos que confiamos em Cristo para nos salvar, mas não temos a fé que opera o amor. Dizemos que O amamos e passamos o tempo todo provando o contrário.

Deixa-me fazer-lhe um desafio. Há alguma coisa em você que possa ser desafiada? Gostaria de desafiá-lo pelas misericórdias de Deus, você as aprecia? Eu o desafio pela ordem divina de procurar primeiro o reino de Deus, não quer ouvir as ordens de Deus? Eu o desafio pela lógica fria do incrédulo, se houver alguma coisa que professe, então mostre-a! Eu o desafio pela crítica do homem de negócio, não tem medo de dar-lhe oportunidade de blasfemar da religião de Cristo? Eu o desafio pelas necessidades do mundo perdido, será que não faria tudo ao seu alcance, para salvar pelo menos alguns? Eu o desafio pelo valor de sua própria alma, "Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma."

 

  EVIDÊNCIAS DO NOVO NASCIMENTO  


Por: Rosco Brong

Você pode e deve saber se já nasceu de novo! Aqui estão dez sinais que mostram isto.

"Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz; mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito." João 3:7-8.

Sabemos quando o vento sopra, porque podemos ouvir-lhe o som e ver o efeito que causa na poeira, fumaça, palha, árvores e grama. Tudo isto são evidências de que o vento está soprando. A Bíblia também nos dá efeitos e evidências do novo nascimento, e se as tivermos em nossa vida, podemos ter a certeza de que somos nascidos de novo.

A pessoa nascida de novo:

OUVE A PALAVRA DE DEUS

"Quem é de Deus escuta as palavras de Deus; por isso vós não as escutais, porque não sois de Deus." João 8:47. As pessoas a quem Jesus falou estas palavras sabiam as Escrituras e ouviam a Palavra de Deus através de Jesus, mas tudo entrava por um ouvido e saía pelo outro. Elas não ouviam com o coração. Faziam ouvido de mercador e endureciam o coração contra a verdade. O filho de Deus não só ouve a Palavra de Deus com a mente, mas recebe no coração. Ele concorda com Ela e está disposto a ser dirigido pela verdade que Ela transmite. Ele reconhece a autoridade de Deus em falar e sua obrigação em ouvir o que Deus diz. Ele crê que Deus falou através dos Apóstolos e dos outros escritores que foram inspirados para escrever a Bíblia e ouve a mensagem que pregam como vindo de Deus. "Nós somos de Deus; aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos nós o espírito da verdade e o espírito do erro." I João 4:6.

CRÊ NO FILHO DE DEUS

"Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus." I João 5:1. A Bíblia não diz que nascemos de novo porque cremos, mas cremos porque nascemos de novo. João não escreveu: "Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, será nascido de Deus," mas, "Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus;" isto é, sua fé é evidência da regeneração. Muitos pecadores perdidos dizem que crêem em Cristo, mas não crêem. Não há convicção nem fé verdadeiras no coração de que Cristo morreu por seus pecados, que ele é o Filho de Deus, que ressuscitou dos mortos, que "convém que reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo de seus pés," nem que Deus o designou para "julgar o mundo com justiça." Os pecadores perdidos talvez creiam num Cristo falso ou imaginário ensinado por homens, mas não no Cristo da Bíblia, "Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus."

AMA A JESUS CRISTO

"Disse-lhes, pois, Jesus: Se Deus fosse o vosso Pai, certamente me amaríeis." João 8:42. O pecador perdido não ama ao Senhor. Quem já nasceu de novo o ama e fará qualquer coisa por ele. "Se alguém me ama, guardará a minha palavra." João 14:23. "Porque este é o amor de Deus que guardemos os seus mandamentos." I João 5:3.

AMA OS IRMÃOS

"Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus." "Todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido." "Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros." I João 4:7, 5:1. João 13:35.

É UM PACIFICADOR

"Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados de Deus." Mat. 5:9. Os pecadores perdidos são os inimigos de Deus. "Não há paz para os ímpios, diz o meu Deus." Isaías 57:21. Até mesmo os salvos neste mundo ainda lutam contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro: para que não façais o que quereis. Gál. 5:17.

CONSERVA-SE A SI MESMO

"Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca." I João 5:18. A pessoa que já nasceu de novo tem dentro dela um desejo de perseverar na fé, e Deus lhe dá o poder de conservar-se a si mesmo, do mesmo modo como "mediante a fé estais guardados na virtude de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo." I Pd. 1:5.

PRATICA A JUSTIÇA

"Se sabeis que ele é justo, sabeis que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele." I João 2:29. "Porquanto o que era impossível à lei, visto como estava enferma pela carne, Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne; para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito." Rom. 8:3-4.

NÃO VIVE NA PRÁTICA DE PECADO

"Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado; porque a sua semente permanece nele; e não pode pecar, porque é nascido de Deus." "O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito." "Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, as o pecado que habita em mim." I João 3:9, João 3:6 e Rom. 7:20.

É CORRIGIDO

"Filho meu, não desprezes a correção do Senhor, e não desmaies quando por ele fores repreendido; porque o Senhor corrige o que ama, e açoita a qualquer que recebe por filho. Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque, que filho há a quem o pai não corrija? Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois então bastardos, e não filhos." Heb. 12:5-8.

VENCE O MUNDO

"Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é vitória que vence o mundo, a nossa fé." I João 5:4. A pessoa vencida pelo mundo, que volta ao mundo, talvez tenha um tipo qualquer de religião, mas não tem Cristo. Os filhos de Deus vencem o mundo, em vez de serem vencidos por ele.

Você já nasceu de novo? Examine-se à luz da Palavra de Deus. "Aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus." João 3:3.

 

CRISTO – NOSSO SUBSTITUTO E REDENTOR  

Por: David Alfred Zuhars, Jr.

Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele." João 3:17.

Deus não podia ter feito maior sacrifício do que este: Dar o seu próprio Filho para reconciliar consigo um mundo rebelde e perdido.

A transgressão de Adão trouxe a condenação e a morte a toda geração humana. "Por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram." Rom. 5:12. Deus decretou uma lei imutável: "A alma que pecar, essa morrerá." Ezequiel 18:4.

O pecado separa o homem de Deus. "As vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça." Isaías 59:2.

Para nos aproximarmos a Deus há só um caminho. Jesus disse: "Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim." João 14:6. "Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos." I Tim. 2:5-6.

Deus, na sua infinita misericórdia e amor, planejou um meio pelo qual o pecador pode ser salvo. Deus enviou o Espírito Santo ao mundo para convencer homens pecaminosos da sua condição perdida e "não tendo esperança, e sem Deus no mundo", Efés. 2:12. Nunca poderemos entrar no céu nem permanecer na presença de Deus enquanto houver pecado na nossa conta. Temos que ser salvos do pecado pela expiação que Cristo consumou no Calvário, porque "sem derramamento de sangue não há remissão…Porquanto é o sangue que fará expiação pela alma," Heb. 9:22, Lev. 17:11.

Para salvar o homem perdido e pecaminoso do castigo correspondente à transgressão da lei, tinha que haver um substituto. Na Bíblia lemos: "Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito para que todo aquele nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna," João 3:16. "Ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos," Isaías 53:5-6. "Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus," II Cor. 5:21.

Na cruz, Jesus exclamou: "Está consumado." Isto significa que estava concluído a obra da redenção. Jesus satisfez a justiça divina por nós…"Não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro que fostes resgatados, mas com o precioso sangue de Cristo," I Pd. 1:18-19. "Foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação," Ap. 5:9. "Também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito," I Pd. 3:18.

Todos aqueles que crêem em Jesus Cristo tem vida eterna. "Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida," I João 5:11-12. "A todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome" João 1:12.

Jesus disse: "Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida…Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece," João 5:24, 3:36.

"Estas coisas vos escrevi a vós, os que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna, e para que creiais no nome do Filho de Deus," I João 5:13.

 

 

SALVAÇÃO É UM ATO DE DEUS - JAMAIS UM PROCESSO 

Por: Sóstenses N. Melo

SALVAÇÃO É O ATO DE DEUS

Ato é uma ação de Deus em transferir o direito ao pecador de gozar e participar ao mesmo tempo, a experiência da salvação de sua alma e o perdão de seus pecados. O ato de Deus na salvação do pecador é imediato e eterno.

Lemos na Palavra de Deus que todo aquele que crê em Cristo é salvo. "Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo," At. 16:31. Isto não inclui o crer vulgar. Geralmente as pessoas crêem em alguma coisa, mas até os demônios crêem e estremecem. "Tu crês que há um Deus; fazes bem. Também os demônios crêem e estremecem." Tiago 2:19. Constatamos assim a inutilidade de uma mera crença e não da fé que é o resultado do Novo Nascimento do Espírito Santo, e que é uma exclusividade de Deus, sem as obras da lei. A Palavra de Deus diz em Efés. 2:8-9: "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie."

Eis o que Cristo afirmou categoricamente ao declarar ser o Filho de Deus e igual ao Pai: "Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida." João 5:24. O pecador recebe imediata e instantaneamente a salvação de sua alma e o perdão de seus pecados, no momento em que crê em Cristo como seu Salvador pessoal.

No caso da salvação de Zaqueu, a Bíblia emprega a palavra hoje , que quer dizer, o dia em que ele do alto de uma árvore, antes que avistasse Jesus, ficou surpreso ao ouvi-lo dizer: "Zaqueu, desce depressa, porque hoje convém pousar em tua casa," Luc. 19:5. Subiu na árvore o Zaqueu perdido; desceu outro Zaqueu; salvo, alegre, hospitaleiro expansivo.

Na carta aos Hebreus em 13:7-8, deparamo-nos com a advertência divina: "Portanto, como diz o Espírito Santo, se ouvirdes hoje a sua voz, não endureçais os vossos corações…" Novamente se refere à palavra hoje, nunca ao dia de manhã, pois ele não nos pertence.

Quando o carcereiro de Filipos perguntou a Paulo e Silas: "Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?" Paulo e Silas responderam: "Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa." At. 16:31. O carcereiro creu, aceitando Jesus naquele momento, e foi salvo, sem a menor exigência de boas obras nem batismo. A resposta de Paulo e Silas foi autoritária, não admitindo dúvidas. Eles não disseram "Talvez." Por que? Porque a salvação é pela fé na pessoa de Jesus Cristo.

SALVAÇÃO NÃO É UM PROCESSO

Processo significa uma seqüência, cujos acontecimentos exigem mais tempo, precisando de uma análise cuidadosamente estudada. Processos há que contém resmas e mais resmas de papel; alguns engavetados há décadas.

Ouvi em certa ocasião um ministro falar, por meio de uma aparelhagem de som, convidando as pessoas que estivessem interessadas em ser salvas, e a dirigirem a sua igreja, afirmando que lá havia salvação. Tive a oportunidade de falar com várias pessoas, membros daquela igreja, as quais afirmaram saber algo sobre a salvação somente após a morte; nesta vida pode-se ser salvo dos vícios e pecados, foi o que disseram.

Outros há que alimentam a possibilidade da salvação de seus adeptos no cumprimento de todos os deveres determinados pelo ministro, chegando a afirmar até, que fora daquela igreja não há salvação.

Caro leitor, receba, pela fé, quem fez a salvação perfeita e completa agora. Jesus Cristo, que morreu derramando seu sangue precioso na cruz, a fim de salvá-lo. Jesus Cristo afirmou em João 8:24: "Por isso vos disse que morrereis em vossos pecados, porque se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados."

"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna por Cristo Jesus nosso Senhor." Rom. 6:23, "Sendo justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo." Rom. 5:1.

"Portanto agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito." Rom. 8:1.

Crê no Senhor Jesus Cristo, agora mesmo, de todo o seu coração e será salvo eternamente!

 

CHAMANDO TODOS OS PECADORES

 

Por: Rosco Brong

Só os pecadores são chamados à salvação, as pessoas boas nem são convidadas.

"Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores." Mc. 2:17.

Os crentes deixam de representar Cristo, quando não atraem os pecadores. O contexto aqui nos informa que "estavam sentados à mesa com Jesus e seus discípulos muitos publicanos e pecadores; porque eram muitos, e o tinham seguido." É verdade que Jesus nem sempre era um pregador popular. Às vezes as multidões se afastavam, e até discípulos professos rejeitavam alguns de seus ensinos e "já não andavam com ele," João 6:60-66. E chegou o dia quando até os discípulos mais íntimos o abandonaram, ao ouvirem a multidão gritando por seu sangue. Mc. 14:50, 15:11-14.

ATRAINDO OS PECADORES

Assim, seus verdadeiros seguidores, às vezes, terão que ficar sozinhos com Deus, e através dos séculos milhões de crentes fiéis morreram por causa do testemunho que davam sobre aquele que dera sua vida para redimi-los. Mas, do mesmo modo como Jesus ao ser levantado na cruz atrairia "todos" a si, João 12:32, assim também o sangue de seus mártires persuadem pecadores da verdade de seu testemunho, onde menos suaves falharam.

Falando de modo geral, fica a verdade que havia algo na vida e ensinamento de Jesus que atraía os pecadores, de modo que "a grande multidão o ouvia com prazer," Mc. 12:37. E do mesmo modo que é errado para um discípulo perder a coragem de ficar só quando a tarefa o exige, também é errado perder o amor e a compaixão que atraem os pecadores, não só a nós, mas ao nosso testemunho e ao Salvador que fez de nós o que somos, "co-participantes da natureza divina," I Pd. 1:4.

Se os pecadores em nossa geração são atraídos ou distraídos por todo tipo de religião falsa e não pelo testemunho de Jesus Cristo, será que a culpa é só deles? Será que nós não somos culpados também, por não darmos um bom exemplo da vida e do amor que vem de cima?

NEM UM JUSTO

"O justo" de texto na realidade não existe na terra. É claro que há gente que se acha justa, mas Deus afirmou que em toda raça humana "Não há justo, nem sequer um," Rom. 3:10.

Por isso, se quiser se considerar justo, saiba que Jesus chama só os pecadores ao arrependimento. Se se acha certinho, então não existe necessidade de mudança. Mas se, como Jesus ensinou, Deus está certo e você errado, então ele o chama ao arrependimento – a uma mudança de mente, a uma mudança completa em seu modo de pensar sobre si mesmo, sobre o pecado, e sobre Deus.

Jesus veio não "chamar justos, e sim pecadores ao arrependimento," Mat. 9:13. Note que não há o artigo definido aqui no grego nem em nenhuma tradução correta. Jesus não estava sugerindo que havia alguns justos no mundo. Simplesmente afirmou que o tipo de pessoa que viera chamar ao arrependimento não eram os justos, mas os pecadores.

DEUS ORDENA QUE SE ARREPENDAM

O chamado de Jesus aos pecadores para que se arrependam é portanto tão amplo quanto a ordem de Deus Pai que "agora, porém, notifica aos homens que todos em toda parte se arrependem," At. 17:30. O convite que o Filho faz como prova de misericórdia, o Pai ordena como prova de juízo.

Os pecadores que desprezam o convite amoroso de Jesus, enquanto ele lhes oferece misericórdia, um dia cairão sob a ira de Deus no juízo, pois é nele que Deus "há de julgar o mundo com justiça naquele dia determinado," At. 17:31.

Talvez você pense no que é e como é, e sem dúvida deve pensar muito bem de si mesmo; mas no dia do juízo de Deus, você saberá que "…os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, diz o Senhor," Isaías 55:8. Verdadeiramente, nossa mente natural faz parte da corrupção pecaminosa da raça caída de Adão, e nosso pensar precisa ser corrigido pelo Espírito de nosso Criador e Redentor. Esta correção no modo de pensar, esta mudança revolucionária da mente, é o arrependimento neo-testamentário, e é a ordem de Deus aos homens do mundo inteiro.

ARREPENDIMENTO PARA A VIDA

O arrependimento não é um fim em si, mas um meio para um fim. Necessariamente não há nenhuma virtude ao se experimentar uma mudança de mente - especialmente se a mudança é do bom para o ruim, do ruim para o pior, ou de erro para outro. O arrependimento para o qual Jesus chama e o qual Deus ordena a todos os homens é em relação a Deus, At. 20:21; ao pecado, Ap. 9:21; às obras mortas, Heb. 6:1; à descrença e à fé no evangelho de Jesus Cristo, Mc. 1:15.

Mesmo o arrependimento neo-testamentário não é um fim, mas um começo da vida eterna e salvação, como vemos em At. 11:18, "…Logo, também aos gentios foi por Deus concedido o arrependimento para a vida."

Podemos muito apropriadamente citar Efés. 2:8, "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto" (isto é; a experiência completa de ser salvo pela graça por meio da fé), "não vem de vós, é dom de Deus."

Assim, o arrependimento que é complementado na fé, e sem a qual é impossível, é garantido ou dado por Deus. Ele não só ordena, ele garante, e ninguém sem sua provisão graciosa se arrependeria. Mesmo assim a responsabilidade humana permanece, e "se não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis," Luc. 13:3,5.

JESUS O CHAMA

Nosso texto nos informa que Jesus veio chamar os pecadores ao arrependimento. Já que você é um pecador, ele veio chamar, e chama, você. Conhecendo o mal da sua alma, o grande médico o convida a entregar seu caso em suas mãos, com a certeza de que ele nunca perde um só caso entregue a seu cuidado.

"Arrependei-vos e crede no evangelho." Mc. 1:15. "Quem quiser, tome de graça da água da vida." Ap. 22:17. Se você quiser, Jesus o convida e chama ao arrependimento.

 

SINAIS DE UMA VERDADEIRA CONVERSÃO  

 

Sermão. At 2:41-42. Hélio de M. Silva.


Motivação


Texto: (dar contexto, v. 36) At 2:41,42.

36  Saiba, pois com certeza toda a casa de Israel que a esse Jesus, a quem vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo. 37 ¶ E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, homens irmãos? 38  E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; 39  Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar. 40  E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. 41  De sorte que foram batizados       os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas, 42 ¶ E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. 43  E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. 44  E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. 45  E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. 46  E, perseverando       unânimes       todos os dias no templo, e partindo o pão em casa,       comiam juntos com alegria e singeleza de coração, 47  Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar. (Atos 2:36-47)


Oração Introdutória



1o Sinal: At 2:37 – Coração compungido, dilacerado, profundamente envergonhado e arrependido.

E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, homens irmãos?


2o Sinal: v. 37- Desejo, decisão e procura decidida para obedecer a Deus. vs. Ler 38-40.

38  E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; 39  Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar. 40  E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa.


3o Sinal: v. 41- Aceitação de toda a Palavra do Senhor Deus e, assim, de Cristo como Salvador e Senhor. Fome e respeito à Palavra como os Bereanos de quem é dito: ...

41  De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas,

Atos 17:11  Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalónica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.

4o Sinal: v. 41- Batismo é PEDIDO, de forma bíblica (adulto, crente, imersão).

41  De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas,

Quando o oficial etíope entendeu-creu-e-recebeu, pediu a Filipe: .... (At 8:36-39).

36  E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? 37  E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. 38  E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou. 39  E, quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe, e não o viu mais o eunuco; e, jubiloso, continuou o seu caminho. (Atos 8:36-39)


5o Sinal: v.42 – Perseveraram.

42 ¶ E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.


6o Sinal: v. 42-  Perseveraram nos ensinos [bíblicos] dos apóstolos. “Alistaram-se” numa igreja local, ... (Heb 10:25).

42 ¶ E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.

Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. (Hebreus 10:25)


7o Sinal: v. 42 - Perseveraram na comunhão, no amor e camaradagem fraternais entre os que estão no mesmo trabalho, mesma perseguição, mesma luta.

42 ¶ E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.


8o Sinal:
v. 42 – Perseveraram no partir do pão, isto é, visitando-se, comendo juntos singelamente.

42 ¶ E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.


9o Sinal:
v. 42 – Perseveraram nas orações. Orar é falar a Deus em atmosfera de comunhão. Adore-O, conte a Ele suas alegrias e tristezas, suas súplicas... Orar em casa, orar no pensamento, orar nas refeições, orar com irmãos...

42 ¶ E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.


******************************** (abre parêntese



Ler do 43 ao 45 e explicar que isto não é comunismo, foi voluntário e só deu certo em Jerusalém, por uns pouquíssimos anos.

43  E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. 44  E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. 45  E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. (Atos 2:43-45)


Ler 46. Novamente sinais já mencionados.

E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, (Atos 2:46)



**********************************fecha parêntese)


10o Sinal: v. 46 – Alegria.

E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, (Atos 2:46)


11o Sinal: v. 46 – Singeleza de coração.

E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, (Atos 2:46)


12o Sinal: v. 47 - Louvor a Deus.

47  Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.



Alguns outros sinais:


13o Sinal: Restauração dos erros. ... (Luc 19:8).

E, levantando-se Zaqueu, disse ao Senhor: Senhor, eis que eu dou aos pobres metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, o restituo quadruplicado. (Lucas 19:8)


14o Sinal: Abandono do (s) pecado (s). ... (1Cor 6:10,11). ... (2Cor 5:17).

10  Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. 11  E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus. (1 Coríntios 6:10-11)


 Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. (2 Coríntios 5:17)


Conclusão: Os sinais de uma verdadeira salvação são: 1- Aceitação de toda a Palavra como sendo a única e totalmente de Deus; 2 – Anelar e pedir pelo batismo; etc.


Aplicação: Exortação a auto-exames e a decisões sinceras, nos corações.

 

PASSAPORTE AO PARAÍSO

 

Por: Rosco Brong

Nova vida, dada a um malfeitor moribundo, pelo Rei da vida eterna.

"E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso." Luc. 23:43.

Deus se importa com a alma das pessoas em particular. Homens que tratam com outros homens em grande escala tendem a perder a visão de indivíduos e só pensam em grupos ou massas. Mas Deus jamais faz isto. Pelo contrário, muitas vezes ele parece dar mais atenção a uma alma em particular do que a uma multidão de outras. E a alma que atrai sua atenção é a que o busca com fé. Era assim a alma do malfeitor a quem Jesus falou as palavras em nosso texto.

Dois criminosos, ou malfeitores, como Lucas se refere a eles, foram crucificados com Jesus. Mateus e Marcos os chamam de ladrões, e Marcos acrescenta que assim as Escrituras se cumpriram: "E com os malfeitores foi contado." Um que só fizera o bem e dois que só haviam feito o mal: foram crucificados juntos. Da salvação de um dos malfeitores podemos tirar lições importantes.

UMA NECESSIDADE

Com certeza é óbvio que estes dois ladrões precisaram desesperadamente de salvação. A vida deles aqui na terra fora arruinada e estava quase no fim. Acima de tudo precisaram da salvação espiritual para a vida vindoura. Com certeza necessitaram de perdão para os pecados, livramento do castigo eterno e entrada num mundo melhor.

Da mesma maneira, eu e você também precisamos da salvação do Senhor. Embora haja diferenças na variedade e grau de pecado, não existe diferença no fato de que…"todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus." Rom. 3:23. "Não há homem justo sobre a terra, que faça bem, e nunca peque." Ecl. 7:20.

GRAÇA NA SALVAÇÃO

Um malfeitor foi salvo ao passo que o outro continuou perdido. Por que? Lógico que não foi porque um era melhor do que o outro. Ambos foram chamados ladrões, transgressores e malfeitores. Ambos, durante algum tempo, zombaram e blasfemaram de Jesus. Mat. 27:4, Mc. 15:32. Mas um, finalmente, mudou de idéia e repreendeu seu antigo companheiro de crimes.

"Tu nem ainda temes a Deus, estando na mesma condenação? E nós, na verdade, com justiça, recebemos o que nossos feitos mereciam; mas este nenhum mal fez." Luc. 23:40-41.

A graça divina mudou o modo de pensar deste homem e por isso ele trocou de lado. Agora censurava o pecado, confessava sua própria culpa e justificava a Deus. É sempre assim que acontece quando a graça de Deus traz um pecador ao arrependimento.

Se este pecador tivesse que ser salvo, seria unicamente pela graça. Ele estava numa posição onde não podia fazer nada para sua salvação. E o mesmo acontece com cada pecador, seja qual for sua condição ou meios, porque a única salvação dada por Deus aos pecadores é pela graça. Ele nunca salvou ninguém de outro modo nem nunca fará.

A SALVAÇÃO SIMPLES

O ladrão moribundo foi salvo do mesmo modo que Abraão e Paulo foram salvos, do único modo que qualquer pecador foi ou pode ser salvo, através da simples fé em Jesus Cristo. "Portanto é pela fé, para que seja segundo a graça." Rom. 4:16.

Sem dúvida, este moribundo passou por uma mudança de mente e coração tão grande que se tivesse tido tempo e oportunidade, viveria de modo diferente dali por adiante. Mas agora era tarde demais por isso.

Não poderia se tornar membro de uma igreja, pois os membros estavam espalhados e sem condições de recebê-lo. Não podia ser batizado, pois se encontrava pregado numa cruz. Ainda bem que Deus nunca disse a ninguém para se tornar membro de uma igreja ou ser batizado para ser salvo do inferno.

"Mas aquele que não pratica, mas crê naquele que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça." Rom. 4:5. Este ladrão moribundo já não tinha condições de fazer nenhuma obra, mas pela graça de Deus podia crer; e isto é tudo o que o pecador precisa para ser salvo. É tão simples, que se tornou oculta "aos sábios e entendidos," mas foi revelado "aos pequeninos." Mat. 11:25

SALVAÇÃO IMEDIATA

"Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino" foram as palavras do ladrão. Geralmente Deus nos dá mais do que pedimos. Sem dúvida este ladrão não tinha em mente uma manifestação futura do reino de Deus aqui na terra, mas Jesus lhe fez uma promessa para aquele mesmo dia.

‘E disse-lhe Jesus; Em verdade ti digo que hoje estarás comigo no Paraíso." Luc. 23:43.

"Deixar este corpo, para habitar com o Senhor." I Cor. 5:8. Há ainda aspectos futuros da salvação, inclusive a ressurreição do corpo, mas Jesus salva imediatamente cada alma que confia nele. Nossa experiência de salvação começa na regeneração, continua na santificação e se completará na ressurreição.

Mesmo que esteja na hora da morte, você ainda pode ser salvo, como o malfeitor o foi, através da fé em Cristo. Mas se ainda tiver muito tempo para viver, porque vivê-la como o ladrão, roubando de si mesmo e de Deus as alegrias da salvação que poderiam ser suas agora mesmo? Confie em Jesus agora e ele o salvará agora!

 

Consequências de Viver no Pecado  

 

Duas formas de pecar
 -Contra nosso corpo:
1. Cor. 6:18b mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo.
-Fora do nosso corpo:
1. Cor. 6:18a Qualquer outro pecado que o homem comete, é fora do corpo;

Dois tipos de pecados
-Incidentais:
1.Jo.2:1b  ...mas, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.
Mat. 18: 15 Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, terás ganho teu irmão;
-Habituais/de costume:
1.Cor. 6:9b:10 Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbedos, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.

Dois estágios do pecado
 -Inteção - Mat. 5: 28 Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela
-Ato -. Mat. 5:27 Ouvistes que foi ditoo: Não adulterarás.
Para Deus os dois são iguais

Duas consequências para os pecados
-Para incidentais 1.Jo. 2:1 Meus filhinnhoos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; mas, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.
-Para estados, se não confessados e deiixaados, a PERDIÇÃO ETERNA. 1. Cor. 6:10  ... não herdarão o reino de Deus.

Três tipos de reação ao admoestamento
1-Encobrir:
Sal. 32:3 Enquanto guardei silêncio, consumiram-se os meus ossos pelo meu bramido durante o dia todo.
 2-Admitir mas querer preservar a honra:
Rei Saúl 1. Sam. 15:259 e 30a Agora, pois, perdoa o meu pecado, e volta comigo, para que eu adore ao Senhor. Ao que disse Saúl: Pequei; honra-me, porém, agora diante dos anciãos do meu povo, e diante de Israel,
3-Confessa-lo sem condicionante e deixa-lo – Rei Davi
2.Sam 12:13 Então disse Davi a Natã: Pequei contra o Senhor
Ps. 32:5 Confessei-te o meu pecado, e a minha iniqüidade não encobri. Disse eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a culpa do meu pecado.

-As consequências para Saúl:
1. Sam. 15:26b e 28 porquanto rejeitaste a palavra do Senhor, e o Senhor te rejeitou a ti, para que não sejas rei sobre Israel:
O Senhor rasgou de ti hoje o reino de Israel, e o deu a um teu próximo, que é melhor do que tu. (não há menção que Saúl obteve perdão).
-As consequências para Davi:
2.Sam 12:11 Eis que suscitarei da tua própria casa o mal sobre ti, e tomarei tuas mulheres perante os teus olhos, e as darei a teu próximo, o qual se deitará com tuas mulheres à luz deste sol.
12 Pois tu o fizeste em oculto; mas eu farei este negócio perante todo o Israel e à luz do sol.
2. Sam. 12: 13b e 14b Também o Senhor perdoou o teu pecado; não morreras. O filho que te nasceu certamente morrerá.
 

Duas formas de lidar com os pecados dos outros
-Incidentais:
Mat. 18:15-17 Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, terás ganho teu irmão, mas se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra seja confirmada. Se recusar ouvi-los, dize-o à igreja; e, se também recusar ouvir a igreja, considera-o como gentio e publicano.
Gál. 6:1a Irmãos, se um homem chegar a ser surpreendido em algum delito, vós que sois espirituais corrigi o tal com espírito de mansidão;

-Habituais/de costume:
 1. Tim. 5:20 Aos que vivem no pecado, repreende-os na presença de todos, para que também os outros tenham temor.
 

Adultério/fornicação
Jó nos ensinou uma boa maneira de como lidar com este problema.
Jó 31:1  Fiz pacto com os meus olhos; como, pois, os fixaria numa virgem?
Se não fizermos esse pacto com os nossos olhos, um pacto sério, possivelmente cairemos neste pecado. Depois passamos a aceitar tal situação como quase normal, todo mundo faz, portanto não é inevitável e antes de nos apercebermos estamos no estado de pecado permanente.

As consequências são tão sérias que Jesus recomenda: Mat. 5: 29-30 Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.
E, se a tua mão direita te faz tropeçar, corta-a e lança-a de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que vá todo o teu corpo para o inferno.
Isto ele falou no contesto ao adultério, recomendou, portanto, por tabela, a castração expontânea, para não se perder o reino de Deus, fato que tem respaldo em Mat. 19:12b:   e outros há que a si mesmos se fizeram eunucos por causa do reino dos céus. Quem pode aceitar isso, aceite-o.
1. Cor. 5:11  Mas agora vos escrevo que não vos comuniqueis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal nem sequer comais.
1. Cor. 11: 27-32 De modo que qualquer que comer do pão, ou beber do cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma do pão e beba do cálice. Porque quem come e bebe, come e bebe para sua própria condenação, se não discernir o corpo do Senhor. Por causa disto há entre vós muitos fracos e enfermos, e muitos que dormem. Mas, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados; quando, porém, somos julgados pelo Senhor, somos corrigidos, para não sermos condenados com o mundo.

“Não repreendas ao escarnecedor, para que não te odeie; repreende ao sábio, e amar-te-á. Instrui ao sábio, e ele se fará mais
sábio; ensina ao justo, e ele crescerá em entendimento. O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; e o conhecimento do
Santo é o entendimento.” Prov.9:8-10


80 RAZÕES POR QUE O CRENTE NÃO PODE PERDER A SALVAÇÃO

 


(copiado de Dawson Campos de Lima, www.geocities.com/Athens/Bridge/3039/)



01. Gênesis 7:16 - Sendo a arca um tipo de Cristo (IPe.3:20,21; Rm.3:6:4), o crente está seguro nele (Cl.3:3; Ap.3:7).
02. Efésios 4:30 - O crente está selado no Espirito Santo (Ef.1:13; IITm.2:19), e este selo é inviolável e irrevogável (Es.8:8; Dn.6:12).
03. II Coríntios 1:22 - O crente tem o penhor do Espirito Santo como garantia segura e inabalável
(IICo.5:5).
04. Gálatas 3:15 - Deus fez com o crente, na pessoa de Abraão (Gl.3:29), uma aliança irrevogável.
05. I Coríntios 11:25 - Deus fez com o crente, na pessoa de Abraão, uma aliança incondicional, selada com sangue (Jr.34:18, 19; Gn.15:12-21), e não com sapato (Rt.4:7,8) ou com sal (Nm.18:19; Lv.2:13).
06. Gênesis 15:12 - Deus fez com o crente, na pessoa de Abraão, uma aliança unilateral (o rompimento da aliança só seria possível se Deus morresse).
07. Jeremias 31:31-33 - Mediante a nova aliança (com sangue), o temor do Senhor é insuflado no coração do crente (Jr.32:39,40) para que não se aparte de Deus (Hb.3:12;8:8-13; Ez.36:26,27).
08. Salmos 12:7 - O crente é guardado por Deus, do mal que há no mundo.
09. Salmos 17:8 - O crente é guardado por Deus como a menina dos Seus olhos.
10. Salmos 25:20 - A alma do crente é guardado por Deus (Sl.97:10).
11. Salmos 37:28 - O crente é preservado para sempre.
12. Salmos 12l:5-8 - O Senhor guarda o crente; guarda a sua alma de todo o mal; guarda a sua saída; guarda a sua entrada; e o guarda para sempre.
13. Salmos 145:20 - O Senhor guarda os crentes que O amam.
14. Jeremias 31:3 - O amor de Deus para com o crente é eterno.
15. Jó 5:19 - O crente é guardado do mal (Sl.91: Jo.17:9-26).
16. I João 5:18 - O crente é guardado do maligno (IITs.3:3; Jr.31:11).
17. Judas 24 - O crente é guardado para não tropeçar (ISm.2:9; Is.63:13).
18. João 11:9 - A fé do crente não lhe permite tropeçar (Rm.9:31-33).
19. Provérbios 10:25 - O crente tem perpétuo fundamento (IITm.2:19; ICo.3:11).
20. I Pedro 1:5 - O crente é guardado pela fé no poder de Deus.
21. Hebreus 12:2 - Jesus é o Autor da fé, e por isso, o crente não pode perdê-la (Fp.1:29; ICo.3:5;
At.18:27; Gl.5:22; IITs.3:2).
22. Romanos 16:25 - O crente é guardado pelo poder de Deus (IITm.1:12; Jd.24).
23. Hebreus 6:17 - A salvação do crente se fundamenta em duas coisas imutáveis: a) a promessa
(Js.21:45; At.13:32; IICo.1:20; Ef.3:6; Hb.9:14,15;10:23; IJo.2:25); b) o juramento (Hb.6:16). Só a promessa, sem o juramento já era em si mesma suficiente, mas Deus querendo mostrar a imutabilidade daquilo que Ele decretou, foi além da promessa, fazendo juramento. E Deus foi ainda mais além quando jurou pelo Seu próprio nome, porque não havia outro nome superior ao Seu (Hb.6:13,16; Jr.44:26;Nm.23:19).
24. Salmos 37:33 - O crente jamais será condenado (Sl.89:30-35; ICo.11:32).
25. Salmos 37:23,24 - Se o crente cair, não ficará prostrado (Sl.145:14; Pv.24:16; Jó 4:4; Rm.14:4;Mq.7:8).
26. Salmos 121:3 - O crente pode cair da graça (Gl.5:4), mas jamais cairá para a perdição (Sl.17:5;66:9).
27. Isaías 46:3,4 - O crente é conduzido por Deus até o fim (Sl.121:8).
28. I Coríntios 10:13 - A tentação não pode condenar o crente (Rm.6:14,18; IIPe.2:9).
29. João 4:14 - O crente jamais terá sede (Lc.16:24).
30. João 5:24 - O crente já passou da morte para a vida.
31. Romanos 6:8,9 - O crente já morreu com Cristo (IITm.2:11).
32. I Pedro 1:3,4 - O crente foi regenerado para uma viva esperança.
33. I Pedro 1:23 - O crente foi regenerado pela Palavra de Deus.
34. I João 3:9 - O crente foi regenerado pelo Espirito Santo (Jo.3:5; Tt.3:5).
35. João 6:37-40 - O crente jamais será lançado fora.
36. João 6:47 - O crente já possui a vida eterna (IJo.5:11-13; ITm.6:12).
37. João 10:28 - O crente não pode ser arrancado da mão do Filho.
38. João 10:29 - O crente não pode ser arrancado da mão do Pai.
39. Lucas 15:3-10 - Há alegria no céu por um pecador que se arrepende.
40. João 10:27 - O crente é conhecido do Senhor (Jo.10:14; IITm.2:19; ICo.8:3; Gl.4:9; Mt.7:21-23).
41. Mateus 28:20 - Jesus está com o crente todos os dias até o fim dos séculos.
42. Romanos 8:1 - Nenhuma condenação há para o crente (Rm.8:33,34).
43. Romanos 8:30 - Sendo justificado, o crente também será glorificado.
44. Romanos 8:28 - Todas as coisas cooperam para o bem do crente (Gn.50:20).
45. Romanos 8:35-39 - Nada poderá separar o crente do amor de Deus (Jo.13:1).
46. I Coríntios 3:15 - O crente infiel será salvo como pelo fogo (ICo.5:1-5;11:29-32).
47. I Coríntios 1:8 - O crente será confirmado até o fim (Rm.16:25; IITs.3:3).
48. Filipenses 1:6 - Deus mesmo terminará a obra no crente (Fp.2:13).
49. Colossenses 3:3 - A vida do crente está escondida com Cristo em Deus.
50. Efésios 5:27 - A igreja será sempre irrepreensível (IICo.11:2; ICo.12:26,27).
51. I Tessalonicenses 5:1-10 - O crente não será surpreendido na vinda do Senhor.
52. II Timóteo 2:13 - O crente infiel será salvo pela fidelidade de Deus (Rm.3:3).
53. Hebreus 13:5 - O crente jamais será abandonado por Deus.
54. I João 5:1 - O crente é nascido de Deus, e não pode "desnascer"
55. I Pedro 1:4 - O crente possui a natureza divina.
56. Romanos 8:9-11 - O crente é propriedade de Cristo (ICo.6:19,20).
57. I Tessalonicenses 5:23,24 - O crente é conservado irrepreensível.
58. I João 5:16 - O crente não pode pecar para a morte eterna (IJo.3:9;5:18).
59. I Coríntios 12:3 - O crente não pode blasfemar contra o Espírito Santo (Mt.12:32; Mc.9:39,40;Lc.11:23; IJo.5:10; Jo.3:33).
60. I João 2:19 - O crente é perseverante na fé (Mt.10:22;24:13; IIJo.9; Ap.13:10;14:12).
61. João 10:26 - O crente é ovelha e não porca lavada (IIPe.2:20-22).
62. João 13:10 - O crente já está limpo do seu pecado (Jo.15:3).
63. I Coríntios 1:30 - Cristo é a justiça do crente.
64. I Coríntios 1:30 - Cristo é a santificação do crente.
65. I Coríntios 1:30 - Cristo é a redenção do crente.
66. Salmos 25:20 - Deus é o refúgio do crente (Hb.6:18).
67. I João 2:22,23 - O crente não pode negar o filho (Mt.10:33; IITm.2:12).
68. Romanos 8:37 - O crente sempre será vencedor (Jo.16:33; Ap.2:7,11,17,26;3:5,12,21).
69. I João 5:4 - O crente vence o mundo.
70. I João 2:14 - O crente vence o diabo (IJo.4:4; Ap.12:11).
71. Romanos 6:14 - O crente vence o pecado (a carne).
72. Romanos 11:29 - O dom de Deus é irrevogável.
73. João 19:30 - Todo o pecado do crente está consumado.
74. Gálatas 3:13 - O crente foi resgatado para sempre da maldição da lei.
75. Apocalipse 5:9 - O crente foi comprado com sangue (ICo.6:20;7:23; IPe.1:18,19).
76. Salmos 90:17 - É Deus quem efetua a obra no crente (Jo.3:21; Ef.3:20; Is.26:12;64:4; Fp.2:13).
77. João 17:20 - Cristo intercedeu pelos crentes, e continua intercedendo (Hb.7:25; IJo.2:1; Rm.8:34).
78. Romanos 8:26,27 - O Espírito Santo intercede pelo crente.
79. II Coríntios 1:20 - Jesus é o "Amém" das promessas de Deus (Jo.6:47).
80. I Pedro 4:1 - O crente já cessou do pecado (Rm.6:14; IJo.3:9).

 

Seis Regras para Jovens Cristãos  

 

Brownlow North

copiado de http://www.editorafiel.com.br/Revista/Fph2/North.htm

 

1. Jamais despreze a oração diária. E, quando orar, lembre que Deus está presente ali, ouvindo suas orações "Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam." Hebreus 11:6).

2. Jamais menospreze a leitura diária das Escrituras. E, quando ler, lembre que Deus está falando a você; portanto, precisa crer e agir de acordo com o que Ele diz. Acredito que toda apostasia começa em se negligenciar estas duas regras [crer o que a Bíblia DIZ; PRATICAR, mesmo, o que ela diz] "Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam;" (João 5:39).

3. Jamais passe um dia sem fazer algo para Jesus. Todas as noites, medite sobre aquilo que Ele fez por você e pergunte a si mesmo: "O que estou fazendo por Ele?" "Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus." (Mateus 5:13-16).

4. Se você está em dúvida acerca de algo ser correto ou errado, dirija-se ao seu quarto, dobre seus joelhos e peça a bênção de Deus sobre aquilo "E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai." (Colossenses 3:17). Se você não puder fazê-lo, aquilo é algo errado "Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque não come por fé; e tudo o que não é de fé é pecado." (Romanos 14:23).

5. Jamais copie seu cristianismo de outros cristãos ou argumente que tal pessoa faz isto ou aquilo e, por conseguinte, você também pode fazê-lo "Porque não ousamos classificar-nos, ou comparar-nos com alguns, que se louvam a si mesmos; mas estes que se medem a si mesmos, e se comparam consigo mesmos, estão sem entendimento." (2 Coríntios 10.12) Pergunte a si mesmo: "Como o Senhor Jesus agiria em meu lugar?" e esforce-se para segui-Lo "As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem;" (João 10:27).

6. Jamais creia naquilo que você sente, se contradiz a Palavra de Deus. Pergunte a si mesmo: "O que eu sinto é verdadeiro, sendo confirmado pela Palavra de Deus?" Se ambos não podem ser verdadeiros, creia em Deus e acredite que seu coração está mentindo "De maneira nenhuma; sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em tuas palavras, E venças quando fores julgado." (Romanos 3:4) "Quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho; quem a Deus não crê mentiroso o fez, porquanto não creu no testemunho que Deus de seu Filho deu. E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho." (1 João 5:10-11) .

 

PROFECIAS SOBRE JESUS CRISTO,NO TENAR

 


Hélio de M. Silva

(Esboço esquemático para apresentar Cristo a um judeu ortodoxo e sincero)

(Ouça esta passagem bíblica, diga-me de que livro do Novo Testamento você acha que a tirei, e de quem ela está falando:)

. Texto: Isa 52:13-53:12.


13 ¶ Eis que o meu servo procederá com prudência; será exaltado, e elevado, e mui sublime. 14 Como pasmaram muitos à vista dele, pois o seu parecer estava tão desfigurado, mais do que o de outro qualquer, e a sua figura mais do que a dos outros filhos dos homens. 15 Assim borrifará muitas nações, e os reis fecharão as suas bocas por causa dele; porque aquilo que não lhes foi anunciado verão, e aquilo que eles não ouviram entenderão. 1 ¶ Quem deu crédito à nossa pregação? E a quem se manifestou o braço do SENHOR? 2 Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos. 3 Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum. 4 ¶ Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. 5 Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. 6 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. 7 Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca. 8 Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido. 9 E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca. 10 ¶ Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do SENHOR prosperará na sua mão. 11 Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniqüidades deles levará sobre si. 12 Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores. (Isaías 52:13-53:12) (Todos as referências são da Almeida Corrigida Fiel, da SBTB, a única Bíblia em português 100% baseada no infalível Texto Tradicional, a Palavra de Deus perfeitamente preservada).

De quem fala esta passagem? ............ Acertou! De Jesus Cristo! Mas ela está em Isaias, confira no Tenar!

. Há dois tipos de profecias sobre o Messias no Tenar (V.T.):

1o) Servo em humildade; cruz; rejeitado.
2o) Rei em glória; trono; 1000 anos de paz para Israel.

. A genealogia do Messias tinha que ser por:
Eva
Abraão
Isaque
Jacó
Judá
Davi
Hoje é impossível provar a genealogia de qualquer judeu; portanto o Messias já veio!

. Dan 9:25-26 – O Messias tinha que vir em 32 D.C.; e antes da destruição do templo em 70 D.C.


25 Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos. 26 E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações. (Daniel 9:25-26)

. O Messias teria que ser
Nascido miraculosamente de uma virgem,
Nascido em Belém.

. Entrar em Jerusalém em um jumentinho.

. Rejeitado pelos judeus.

. Zac 11:12-13 – Vendido por $30.

12 Porque eu lhes disse: Se parece bem aos vossos olhos, dai-me o meu salário e, se não, deixai-o. E pesaram o meu salário, trinta moedas de prata. 13 O SENHOR, pois, disse-me: Arroja isso ao oleiro, esse belo preço em que fui avaliado por eles. E tomei as trinta moedas de prata, e as arrojei ao oleiro, na casa do SENHOR. (Zecarias 11:12-13)

. Sal 22:14-15 – Intenso sofrimento.

14 Como água me derramei, e todos os meus ossos se desconjuntaram; o meu coração é como cera, derreteu-se no meio das minhas entranhas. 15 A minha força se secou como um caco, e a língua se me pega ao paladar; e me puseste no pó da morte. (Salmos 22:14-15)

Is 53:4-6 – Sacrifício vicário.

4 ¶ Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. 5 Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. 6 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. (Isaías 53:4-6)

Miq 5:1 – Ferido com vara na face.

Agora ajunta-te em tropas, ó filha de tropas; pór-se-á cerco contra nós; ferirão com a vara na face ao juiz de Israel. (Miquéias 5:1)

Sal 22:16 – Mãos e pés perfurados.

Pois me rodearam cães; o ajuntamento de malfeitores me cercou, traspassaram-me as mãos e os pés. (Salmos 22:16)

Sal 69:21 – Vinagre e fel para beber.

Deram-me fel por mantimento, e na minha sede me deram a beber vinagre. (Salmos 69:21)

Is 53:12 – Morto .

Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores. (Isaías 53:12)

Sal 34:20 – Nenhum osso partido.

Ele lhe guarda todos os seus ossos; nem sequer um deles se quebra. (Salmos 34:20)

Sal 16:10 – Vencer a morte e degradação.

Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. (Salmos 16:10)

Zac 12:10 – Israel identificará o crucificado (Cristo está prestes a arrebatar os salvos, que com ele virão 7 anos depois, ele será o Rei, reinará sobre toda a Terra).

Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem traspassaram; e pranteá-lo-ão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito. (Zacarias 12:10)

   

NOSSA OBEDIÊNCIA

 

 


Hebreus 10:7; João 17:4; 19:30; Fil. 2:8

Por Deus ser soberano, justo, perfeito, santo, O Todo Poderoso, onisciente, amor e o criador, Ele tem todo direito e capacidade para reinar como quer. O reinado de Deus é justo, perfeito, santo e amoroso (Salmos 45:6; 145:17). O que Deus pedir também é justo e santo pois Ele “é de tão puro olhos, que não podes ver o mal, e a opressão não podes contemplar” (Habacuque 1:13). Foi do agrado de Deus colocar o homem sob o Seu domínio. A lei de Deus é santa, e o mandamento santo, justo e bom (Rom 7:12). O Deus perfeito requer obediência perfeita. O desejo dEle é bem claro: Ele quer ser o primeiro de todo o coração, de toda a alma, de todo o entendimento e de todas as forças (Mar 12:30). Por isso os mandamentos são simples e específico: se comerdes, “certamente morrerás” (Gên. 2:17), e “a alma que pecar, essa morrerá” (Ezequiel 18:4). Deus é justo e soberano. Ele quer obediência completa.

Foi o homem que ‘comeu’. Foi o homem que ‘pecou’. A condenação é justa e certa (Rom 5:12). Mesmo o homem sendo pecador ainda é uma responsabilidade obedecer. O desejo de Deus é eterno, Ele não muda (Mal 3:6). Enquanto o homem for vivo, sua responsabilidade é obedecer a Deus (Rom 7:1).

Cristo tomou a descendência de Abraão (Heb 2:16), sob a lei, (Gal 4:4) para ser como nós tentado em tudo (Heb 4:15). Cristo veio a ser a obediência que Deus requer de nós (Hebreus 10:7).

Cristo foi obediente em tudo (Fil. 2:8; João 4:34). Cristo satisfez o justo e santo Deus em tudo, pois consumou a obra que lhe foi atribuída (João 17:4). “O fim da lei é Cristo para justiça de todo aquele que crê.” (Rom 10:4). O homem pecador que confia na obediência de Cristo é perdoado por Deus (João 3:16; Rom 8:1). O crente em Cristo tem a obediência de Cristo e é liberto da lei (Rom 7:6). O homem pecador que está fora de Cristo, ainda está sob a lei (Rom 7:1) e assim, sob a ira de Deus (João 3:36).

Enquanto a carne estiver fraca, Cristo será a nossa obediência - Rom 7:23-25
Enquanto satanás estiver forte, Cristo será a nossa obediência - Mat. 4:1-11; I João 4:4
Enquanto Deus estiver exigente, Cristo será a nossa obediência - foi em ‘tudo’
Fil. 2:8; João 19:30

 

 NOSSA ESPERANÇA


Col. 1:27, “Aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória;”

A. O Homen Que Não Tem A Cristo Também Não Tem Esperanças - Efés 2:12

O homem, sem Cristo, pensa ter algo para com Deus. O homen que não tem Cristo não tem um entendimento correto das coisas de Deus, é inútil sujeitar-se a lei de Deus, injusto, não tem o temor apropriado e é inimigo de Deus (Rom 3:10-18; 8:7).

Aquilo que o homem pode operar é o que ele faz para apaziguar o seu íntimo e pensa que essa força vêm de Deus. Deus fez o homem reto, porém o homem buscou muitas astúcias (Ecl. 7:29). Essas invenções em parte foram criadas para dar esperanças ao homem, e podem ser classificadas em quatro categorias: promessas, obras, tradição e cerimônia.

1. Promessas

O homem sem Cristo quer afirmar algo que para ele parece verdadeiro. Muitas vezes ele busca a filosofia ou uma linha de raciocínio que parece lógica para o homem. Tanto mais lógico melhor. Quanto mais fatos conhecidos e mais utilizado o raciocínio, mais confiável é a filosofia. Se uma filosofia bem estruturada e lógica promete um resultado, então o homem sem Cristo confiará nessa filosofia, nessa linha de pensamento. Todos aqueles que confiam naquilo que o homem tem desenvolvido se esquecem de fatos importantes. Através da sabedoria humana o homem não pode conhecer a Deus (I Cor 1:21; 2:14). Eles se esquecem também que: “Toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; Mas a palavra do Senhor permanece para sempre.” (I Ped 1:24,25). A palavra de Deus é mais confiável que qualquer voz do céu ou qualquer experiência espiritual (II Ped 1:19).

2. Obras

O homem que não conhece as verdades de Cristo sente-se, muitas vezes, impulsionado a fazer algo com a sua vida para agradar a Deus. Se a verdade é negligenciada, o homem criará a sua própria lei para ser obedecida com objetivo de sentir-se apaziguando o Santo Deus. É possível ter zelo de Deus sem entendimento (Rom 10:1,2) e é muito perigoso rejeitar a justiça de Deus, pois o homem procura estabelecer a sua própria justiça. Isso não é sujeitar-se a justiça de Deus (Rom 10:3). As obras do homem podem até mesmo parecer boas aos olhos de outros homens, mas Deus não tem prazer em holocaustos e sacrifícios senão na obediência a Sua Palavra (I Sam 15:22). Devemos lembrar que mãos sujas fazendo aquilo que um coração enganoso manda não podem agradar a um Deus justo de nenhuma maneira. O homen que confia em suas próprias obras, a Palavra de Deus diz que tal pessoa não deve ter esperanças.

3. Tradição

Se não é filosofia, ou obras, é tradição. O homem que rejeita a sabedoria de Deus vai seguir religiosamente aquilo que o homem afirma ser eficaz. A tradição não é nada mais que raciocínio, crença ou obras que muitos têm feito por anos e talvez séculos. A esperança é: se um pensamento ou ação tem sido mantido por muito tempo ele se torna poderoso para com O Eterno Deus. A verdade é: se o homem é imundo diante de Deus, as suas justiças não são melhor que um trapo de imundícia (Isa. 64:6). Uma seqüência de anos não pode transformar um pensamento falso em verdade, nem a força de pensamento de muitos por tempo prolongado pode transformar o erro em uma afirmação verdadeira (Mat. 6:27).

4. Cerimônia

A cerimônia é a beleza das tradições. O custo de uma roupa, igreja, processo ou o valor de um sacrifício não pode agradar a Deus a não ser aquilo que Ele mesmo ordenou. “Porventura não sabeis? Porventura não ouvis, ou desde o princípio não se vos notificou, ou não atentastes para os fundamentos da terra? Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra, cujos moradores são para ele como gafanhotos; é ele o que estende os céus como cortina, e os desenrola como tenda, para neles habitar;” (Isa 40:22,23). A cerimônia para Deus é vã.

A maior esperança que se pode ter é obedecer á Deus. O pecador sem Cristo precisa obedecer o mandamento de Cristo e vir a Ele se arrependendo de seus pecados e confiando na misericórdia de Deus pela Fé. Foi Deus que deu o Seu Filho Unigênito, e é por Este que podemos ir a Ele (João 14:6;I Ped 1:18,19) sem filosofia, obras, tradição ou cerimônia.

B. O Homen Que Tem A Cristo Também Tem Esperanças - Isa 40:28-31

A esperança que o homem em Cristo tem não é baseada naquilo que o homem pode ou não fazer. É baseada somente em Cristo e naquilo que Ele faz. Aquilo que Cristo é e fez pode ser resumido em Hebreus 2:10, 17,18 e entendido das seguintes maneiras:

1. Pode “expiar os pecados do povo.” - Heb 2:17

A primeira beleza que um pecador vê em Cristo é essa, a expiação dos seus pecados. Quando Deus, com misericórdia, abre o entendimento do pecador Ele faz com que o mesmo veja os seus próprios pecados e a sua escravidão. Depois disso, Deus capacita o pecador para que veja a Cristo como o Salvador de seus pecados terríveis (Rom 8:15). Com a fé em Deus o pecador arrependido pode enxergar o precioso Filho de Deus na sua beleza como o seu Salvador, e crendo nEle, é salvo (Rom 8:1,2).

O propósito de Cristo ter nascido e vivido no mundo era exatamente “remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos” (Gal 4:4,5). O homem em Cristo tem a esperança de nunca mais precisar temer ser julgado pelos seus pecados, pois a promessa da Palavra de Deus é: “quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.” (João 5:24). Deus Pai planejou a salvação (Efés 1:3-5), Cristo é o Salvador dos pecadores (Efés 1:6,7), e o Espírito Santo de Deus sela os crentes para a salvação (Efés 1:13) pois Ele é “o penhor da nossa herança” (Efés 1:14); a esperança está no poder de Deus. Mesmo o crente tendo problemas com o pecado na carne (Rom 7:18) ele não precisa ter problemas no julgamento dos seus pecados num dia futuro. Cristo já aniquilou o pecado pelo sacrifício de Si mesmo (Heb 9:26) morrendo pelos pecadores (Rom 5:6,8; Rom 9:22). Deus sente-se satisfeito com Este supremo sacrifício (Isa 53:11).

2. Pode trazer “muitos filhos à glória” - Heb 2:10

As belezas de Cristo não compreende somente a salvação. A primeira beleza vista em Cristo é a expiação dos pecados. Cristo tem muitas outras belezas além dessa primeira. Com o poder do pecado aniquilado e a condenação dos pecados levada, quem está em Cristo tem muito mais que a esperança de não precisar pagar mais pelos pecados. O crente, em Cristo, também é levado “à glória”, pois ele tem coisas melhores que a salvação. Há coisas que “acompanham a salvação” (Heb 6:9). Essas belezas enriquecem a esperança que o crente tem em Cristo.

Cristo é a esperança para seus filhos enquanto eles estão na terra

Enquanto o crente está no mundo, nessa carne, ele terá aflições (João 16:33). Satanás, “nosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;” (I Ped 1:8). Antes de irmos para o céu, ainda sendo salvos, temos o problema do “pecado que tão de perto nos rodeia” (Heb 12:1; Rom 7:18). Temos a esperança de que um dia tudo isso findará e teremos o nosso descanso eterno com Deus. Todavia, antes disso, temos a esperança, ainda agora, da promessa que Cristo “pode socorrer aos que são tentados” (Heb 2:18). Cristo foi feito “semelhante aos irmãos” (Heb 2:17) para que “possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.” (Heb 4:14-16). Cristo pode socorrer aqueles que estão passado por tentações porque Ele é Deus (João 1:1-3).

Cristo não só “pode” nos socorrer, como está pronto para isso. Por isso Cristo tem cuidado de nós (I Ped 5:7). Assim que nos cheguemos a Deus, Ele se chega a nós (Tiago 4:7,8). Assim resistimos o diabo, firmes na fé, e ele fugirá de nós (I Ped 5:9; Tiago 4:7). Todas estas benção acontecem devido a prontidão que Cristo tem para nos socorrer em tempo oportuno (Heb 4:16).

Em Cristo, achamos graça para viver (Heb 1:12; Gal 2:20) e graça para servi-lo tendo a vitória apesar das fraquezas, injúrias, necessidades, perseguições e angústias (II Cor 12:9,10). Cristo já foi adiante de nós e conhece as nossas fraquezas pois ele “padeceu” na carne tanto quanto qualquer um de nós (Heb 2:18). Cristo foi criado por uma família pobre, pois nasceu numa manjedoura. Assim Ele conhece a graça necessária que um pobre necessita. Cristo conheceu as limitações de um corpo humano (Mar 4:36-38; João 4:6), o amor e a tristeza que vêm com o amor (João 11:33-36) e a tentação que envolve cada tipo de pecado (Heb 4:15, “em tudo foi tentado”; Mat. 4:1-11 - pensamentos, blasfêmia, suicídio). Assim, conhecendo a nossa fraqueza e aquilo que estamos enfrentando, ajuda nos com a graça necessária para obedecermos a Ele. Por isso temos a beleza de esperar em Cristo enquanto estamos aqui na terra pois Ele já venceu a tudo “sem pecado” e pode “compadecer-se das nossas fraquezas” (Heb 4:15).

Cristo é a esperança para seus filhos enquanto Ele está no céu

Enquanto estamos na terra temos uma esperança viva em Cristo. Tudo aquilo que Cristo já fez dá-nos esperança para continuarmos passando por aquilo que Ele já passou. Temos maior razão para termos esperança. Temos esperança naquilo que Ele ainda está fazendo por nós no céu! Cristo está no céu intercedendo por nós assim como orava por nós enquanto estava aqui na terra (João 17:20; Heb 7:25).

Cristo, no céu, não só está orando por nós mas também mediando por nós “agora . . . perante a face de Deus” (Heb 9:24). Cristo continua amando-nos e clamando, diante de Deus, o seu precioso sangue que é eficaz para nos perdoar de toda a injustiça que continuamente temos nessa carne (I João 1:9). Conhecendo estas verdades o crente passa a ter esperança. Cristo é a nossa esperança!

A nossa ida para o céu é tão certa que Cristo prepara-nos um lugar. A beleza dessa verdade é que um dia estaremos onde Ele está agora pois Ele prometeu vir outra vez para nós estarmos junto dEle (João 14:1-6; I Cor 15:51-58) e “assim estaremos sempre com o Senhor” (I Tess 4:17).

Pode haver uma maior número de razões para se elevarem mãos cansadas e se fortalecerem os espíritos fracos? Que Deus te abençoe e que você conheça e viva a beleza que é a esperança em Cristo.

 

 NOSSA ESPIRITUALIDADE

 
I Cor 2:16

Há uma confusão na mente de muita gente hoje em dia em se tratando do assunto da espiritualidade. Alguns acham que a espiritualidade é relacionada ao espiritismo, outros pensam que é relacionado a poderes sobrenaturais que incluem qualidades de uma mente sempre feliz com poderes de curar, de fazer milagres e até mesmo a capacidade de viver sem pecado. A verdade é bem diferente desses dois extremos.

O homem que não conhece a Cristo como seu Salvador tem apenas um espírito morto para as coisas de Deus (Gên. 2:17; 3:6; Rom 5:12; 8:6-8). Para se entender as coisas de Deus é preciso o Espírito de Deus (I Cor 2:11,14).

O espiritismo é baseado na lógica e no raciocínio humano, carente da verdade e ainda assim procura explicar assuntos complicados referentes ao mundo físico e espiritual. Existem espíritos além do Espírito Santo e esta conclusão é da própria Bíblia (Rom 8:38; Efés 6:10). Satanás era um anjo de Deus e gozava da presença contínua de Deus até que o orgulho foi achado nele. Por querer se exaltar acima do Altíssimo, foi lançado por terra para ser posteriormente lançado no lago de fogo (Isa 14:11-15; Eze. 28:11-17; Mat. 25:41; Apoc 20:7-10). Os anjos que caíram com ele são os espíritos maus de hoje (Mat. 25:41; I Ped 2:4). O homem que não tem o Espírito Santo de Deus só pode entender o mundo dos espíritos ímpios (I Cor 2:14). Neste mundo de espíritos malignos não existe a verdade (João 8:44) e eles se rebelam contra tudo que é verdadeiro (I Cor 4:4; Rom 7:21; I Cor 2:11).

O homem sem Cristo é morto espiritualmente (Efés 2;1) e não pode conhecer a Deus pela sua própria sabedoria (I Cor 1:21). Na verdade, o homem pecador não tem espiritualidade; não pode conhecer a Deus além da maneira geral e limitada que Deus tem se revelado a todo o homem pela natureza (Rom 1:20) e isto “para que fiquem inescusáveis”.

O homem que conhece a Cristo como seu Salvador conhece uma outra verdade. O espírito morto em pecados e em ofensas foi vivificado juntamente com Cristo pela graça de Deus (Rom 8:10; Efés. 1:5; Tito 3:5,6). Pela operação do Espírito Santo, o pecador tem visto a sua situação de condenação diante de Deus. O Espírito Santo é quem traz o pecador a ver o Salvador e ministra a Fé para que se torna possível confiar em Cristo. Assim o Espírito vem dar vida espiritual a qual vai habitar no crente (João 1:13; Rom 7:8,9; 8:15; I Cor 3:4,5).

Com Cristo vem uma abundância de bênçãos para o crente. Agora, em Cristo, o crente tem uma nova natureza (II Cor 5:17) que pode discernir as coisas do Espírito de Deus (I Cor 2:15,16). A palavra de Deus que é espiritual (João 6:63) e verdade (João 17:17) já pode ser comida (I Ped 2:2) e assim o crente cresce no seu entendimento e na obediência a Palavra para receber mais bênçãos espirituais. Agora estando em Cristo, o regenerado pode provar se os espíritos são de Deus ou não (I João 4:1,4). Cristo sendo a espiritualidade do pecador renovado este pode orar da maneira que agrada a Deus pois Deus quer que os que O adoraram o adorarem em Espírito e em Verdade (João 4:24). Habitando o Espírito em nós (Rom 8:9; I Cor 6:19) temos Quem nos ajuda nas orações “porque não sabemos o que havemos de pedir como convém “ (Rom 8:15,26). É pelo Espírito Santo em nós e por Cristo a quem chamamos de Deus Pai, Aba, Pai. Tendo Cristo, temos a vitória sobre as tentações pois é como João nos diz: “maior é o que está em vós, do que o que está no mundo” (I João 4:4).

Sim, a beleza de Cristo é Ele ser a nossa espiritualidade. Sem cristo ninguém tem o Espírito, e se alguém não tem o Espírito, esse tal não é de Deus. O Espírito testifica de Cristo, e por Cristo vem a nova natureza. Não é necessário buscar e obter o Espírito, mas sim o Filho, Jesus Cristo. Cristo é o Caminho, a Verdade e a Vida (João 14:6). O Espírito sempre ministra a Palavra de Deus (João 14:26) e pela Palavra testifica de Cristo (João 15:26; 16:13,14). A pergunta é: Você já está em Cristo? Entre em Cristo pelo arrependimento dos seus pecados e pela fé neste Unigênito Filho de Deus, Jesus Cristo (Atos 17:30;16:31). É assim que se tem a vida eterna, a regeneração do espírito (Tito 3:5).

Aqueles que estão em Cristo devem observar que não devem se encher de orgulho por terem entendimento espiritual. Se vamos nos gloriar em algo, devem nos gloriar em Deus que conhecemos (Jer 9:23,24), e nossos nomes estarão escritos nos céus (Luc 10:20). A pessoa que conhece a Deus deve encher-se de gratidão graças a misericórdia que o leva obedecer mais a Sua Palavra.

Salmo 115:1, “Não a nós, SENHOR, não a nós, mas ao teu nome dá glória,por amor da tua benignidade e da tua verdade.”

Você pode se regozijar por conhecer a Deus através de Cristo? Pode discernir as coisas espirituais de Deus? Tem a nova vida que obedeçe a Palavra em Espírito e em verdade? Essa beleza: só em Cristo.

 

 NOSSA JUSTIÇA

 
“Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus . . . justiça” I Cor 1:30; II Cor 5:21

Definição:
Para vermos melhor essa beleza de Cristo é necessário, primeiramente, entendermos o que é a justiça de Deus. Ela não deve ser confundida com a justificação, a ação de ser aceito legalmente diante de Deus. A justificação é resultado da justiça de Deus. A justiça de Deus é a sua bondade. A justiça é definida como retidão, eqüidade e virtude. Como é vista a virtude de Deus? Como é vista a sua retidão e a sua eqüidade? Através da sua bondade.

Exemplo:
Um exemplo da justiça de Deus visto como bondade é o Salmo 33:5. Por Deus amar a justiça e o juízo a terra está cheia de manifestações de tal justiça. A justiça é vista na Sua bondade. Examine a criação e você verá a bondade de Deus. Contemple o equilíbrio na posição dos planetas em relação ao sol, os animais predadores e as presas, a quantidade de terra seca em relação a água, etc. Tudo o que Deus fez na terra revela a sua bondade, a sua justiça.

Moisés pediu que Deus mostrasse a ele a sua glória em Êxodo 33:13-19. Quando Deus falou que passaria diante dele foi a sua bondade que passou diante de Moisés. Nesse mesmo contexto Deus menciona que Ele terá misericórdia de quem Ele tiver misericórdia e terá compaixão de quem Ele compadecer. Quando Deus, então, mostrou a sua bondade a Moisés, Moisés clamou com exclamações de louvor à ações de misericórdia , piedade, longanimidade, beneficência e verdade de Deus (Êx 34:6,7). Quando Deus mostrar a sua justiça, veremos ações de bondade, pois a retidão de Deus é a sua bondade. Por Deus ser magnificamente bom, Ele é impulsionado a fazer atos justos. Veja esta bondade/justiça também em Oséias 3:5; Rom. 11:22 e Tito 3:4.

Resultado:
O homem não tem justiça própria pois está contaminado pelo pecado e não existe nada de bom nele (Rom 3:12). As suas ações mostram isto claramente (Rom 1:18,21; 3:10-18). O que o homem tem é a sua própria auto justiça. O homem faz boas ações porque ele as consideram boas e o homem que quer ser bom vive de acordo com os pensamentos de homens bons. Diante de homens bons o homem bom é aceito, mas diante de Deus, nenhum homem tem justiça/bondade alguma (Ecl. 7:20).

A justiça de Deus fez com que Cristo levasse as nossas transgressões e iniquidades, sofrendo o nosso castigo para que nós, os pecadores, pudéssemos ser sarados, salvos, lavados e justos diante dEle (Isa 53:4,5; II Cor 5:21).

“Aquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós;
para que nEle fôssemos feitos justiça de Deus.”
II Coríntios 5:21

Na salvação, Cristo é o Meio pelo qual a justiça de Deus opera em nós, os pecadores. Quando Deus, na sua santidade e retidão, vê o pecador confiando no sacrifício de Cristo, Ele o abençoa tanto quanto fosse Seu próprio Filho. Cristo é a nossa justiça (I Cor 1:30). Deus vendo a obra salvadora aplicada no homem por Cristo não vê mais razão para o condenar mas sim o abençoar especialmente. Que benção é termos a Cristo como a nossa justiça!

Tendo a Cristo como a nossa justiça:

A. Somos Adotados e Aceitos por Deus - Efés 1:5,6

A adoção é a ação voluntária e legal de aceitar a uma criança como filho dedicando a ela todos os privilégios que o mesmo merece.

O que muda conosco quando somos adotados por Deus é a nossa posição. Sempre fomos criaturas de Deus. Em Cristo nos tornamos criaturas salvas. Sendo criaturas salvas nós nos tornamos, em Cristo, filhos de Deus (Gal 4:1-7). Cristo sendo a nossa justiça não teremos mais erros, imperfeições e pecados diante de Deus. Ele nos vê como limpos e justificados. Além disso, com Cristo sendo nossa justiça, Deus nos vê como filhos e isso já é uma benção maior do que sermos vistos como somente criaturas salvas, “Amados, agora somos filhos de Deus” (I João 3:2).

Na adoção grandes bênçãos acontecem.

  • Transformados, de filhos da ira (Efés 2:3) para filhos de Deus (I João 3:1,2)
  • Transportados de longe para perto (Efés 2:13)
  • Transformados de família do maligno para a família de Deus (Efés 2:19)

O Tempo de Adoção

A adoção de cada filho já estava na mente eterna de Deus antes da fundação do mundo (Efés 1:4) mas começou em nós atualmente por Jesus Cristo (Gál 3:26; Efés 1:5) e só estará completa na segunda vinda de Cristo (Rom 8:23; II Cor 5:10).

Na adoção há provas internas e externas para o filho

  • Guiados pelo Espírito: Rom 8:4,14; Gál 5:18
  • Confiamos em Deus: Gál 4:5,6
  • Temos acesso a Deus: Efés 3:12
  • Temos amor: I João 2:9-11; 5:1
  • Somos obedientes: I João 5:1-3

Você tem estas provas na sua vida? Se você for filho de Deus ande como filho até estar face a face com o Pai.

B. Temos um lugar reservado no céu - João 14:1-6

Tendo Cristo como a nossa justiça, nós nos tornamos filhos e aceitáveis a Deus. Nada mais nos desqualifica para estarmos juntos de Deus no céu eternamente. Sendo justo diante de Deus há toda razão para estar na presença de Deus para sempre. É isso o que aconteceu em Cristo. Há um lugar reservado no céu para os filhos em Cristo (João 14:1-6). Jesus ora para que os Seus estejam com Ele (João 17:24). A glorificação é certa para os filhos (Rom 8:17; I João 3:2,3).

Tendo Cristo como a nossa justiça, temos uma nova natureza, espiritual, que é eterna. Temos de Deus para nós uma habitação eterna (II Cor 5:1-3) a qual habitaremos com o Senhor (II Cor 5:8). Esse lugar eterno e espiritual é o que Abraão viu pela fé (Heb 11:10, 14-16).

Antes que você pense demais nas bênçãos dos céus, não se esqueça de suas responsabilidades aqui na terra. Os filhos não só têm lugar no céu mas também as obras que são feitas aqui na terra. O lugar eterno e futuro é para os discípulos que servem a Cristo (Lu 14:26-33).

Há um lugar chamado céu. Este lugar é:

  • desejado - II Cor 5:2,6-8
  • eterno - Heb 11:10; Apoc 22:5
  • futuro - Heb 13:14 · na presença de Deus - Fil. 1:23; Apoc 3:21; 22:4
  • permanente - I Tess 4:16-18; Apoc 3:12
  • real - II Cor 5:6-8; Apoc 21:10-17; 22:1,2

Cristo é a sua justiça? Se for, há um lugar reservado para você lá no céu. sirva o seu Senhor agora na terra para “ser-lhe agradáveis, quer presentes, quer ausentes.” (II Cor 5:9).

C. Somos tratados como filhos - Rom 8:17

Sem Cristo como a nossa justiça, Deus nos tratava de acordo com aquilo que éramos: inimigos dEle (Rom 6,7). A ira de Deus permanecia sobre nós (João 3;36) e tínhamos o “espírito de escravidão” com o qual estávamos em temor (Rom 8:15). Em misericórdia geral Deus deu nos vida, saúde, família, bênçãos gerais e oportunidades para ouvirmos a Palavra da salvação. Nessa condição, se morrêssemos, teríamos lastimavelmente a agonia do eterno lago de fogo nos esperando, pois teríamos vividos sem nos arrepender dos pecados que de Deus nos separavam. Não teríamos nenhuma justiça suficiente para entrarmos no céu.

Quando Cristo transforma nossa justiça pelo arrependimento dos pecados e pela fé no Seu sacrifício e vitória, Deus nos trata como filhos. Agora, em amor particular, Deus age a cada instante em nossas vidas. Como filhos de Deus por Cristo, e não somente como criaturas dEle, entramos na realidade de termos grandiosas e preciosas promessas e bênçãos (II Ped 1:2-4).

Como filhos, com Cristo sendo a nossa justiça, Deus se compadece de nós como um pai se compadece de seus filhos lembrando-se que a nossa estrutura é pó (Sal 103:13-14; 78: 38-39), guiando a cada um dos seus filhos como ovelhas e amados do Seu rebanho (Sal 78:52; 79:13; 95:7; 100:3).

Como filhos, Deus opera em nossas vidas para transformá-las em glória a Ele. Antes de termos a Cristo como a nossa justiça éramos filhos da desobediência e das trevas (Efés 1:1,2), vivendo apenas para os nossos interesses que nos levam para destruição e morte (Rom 6:23). Agora sendo filhos, Deus dirige as nossas vidas para que elas dêem glória ao Seu Santo Nome. Operando assim Ele nos dirige para que estejamos mais à conformidade da imagem de Cristo (Rom 8:29) e isso com o objetivo fazer com que tudo o que passa em nossas vidas coopere para o nosso bem e a Sua glória (Rom 8:28). Até mesmo as tribulações e os transtornos na nossa existência Deus os faz para que sejamos aperfeiçoados, confirmados, fortificados e fortalecidos (I Ped 5:10-11) para a Sua glória.

Como filhos, Deus nos dá maior atenção para o nosso crescimento. O que, segundo a sabedoria do homem, seria bom para nós, Deus não vê como sendo tão bom assim. O que ele quer será o melhor para nós. Deus nos corrige para o nosso próprio bem, para o nosso melhor conhecimento, para sermos perfeitamente abençoados. O filho precisa confiar que o pai sabe o que é melhor e isso para o seu bem (Prov. 3:11-12). Se estamos nos encontrando a sós, sem correção, então não somos filhos. A correção de Deus, então, torna-se uma prova, na relação de filho, de amor e de conforto (Heb 12:5-11).

“Que filho há a quem o pai não corrija? - Hebreus 12:7

Como está a sua vida? Está sendo tratado como filho, levado em amor particular para se conformar mais à imagem de Cristo, ou esta sendo tratado como o inimigo de Deus só conhecendo a sua misericórdia geral? Confie em Cristo, arrependa-se dos seus pecados. Assim você nascerá como filho na família de Deus e será tratado como filho, filho de Deus.

D. Podemos saber o que é reto - I Cor 2:15; I João 5:20, “nos deu entendimento”

Quando estávamos estabelecendo a nossa própria justiça (Rom 10:3) ou ignorando a necessidade de qualquer justiça (Lu 11:34-35, andávamos em trevas), andávamos de acordo com o nosso próprio entendimento. O Rei da nossa vida era a nossa carne (I João 2:16,17). O conselheiro da nossa carne era o nosso coração. A carne só quis pecado (Rom 7:8,17-18), e o coração só sabia engano (Jer 17:9). Tendo a carne satisfeita, segundo o nosso coração enganoso, nos satisfazemos completamente.

Quando Deus, em misericórdia, nos vivificou com Cristo, foi implantado em nós o “entendimento para conhecermos o que é verdadeiro” ( I João 5:20). Tendo a Cristo, como a nossa justiça, não dependemos mais da nossa esperteza. Temos a “mente de Cristo”(I Cor 2:16) e “o Espírito que provém de Deus” (I Cor 2:12). Com este novo entendimento podemos discernir bem a tudo, espiritualmente. O nosso Rei mudou, e o conselheiro também. Agora o Rei é a nova natureza e o conselheiro é o Espírito Santo operando pela Palavra de Deus em nós.

Tendo o novo entendimento uma mudança tremenda se operou em nós. Os velhos hábitos e costumes (da carne) entraram em choque com este novo entendimento (de Deus). As amizades anteriores (do mundo) não preencheram a alegria como antes. E graças a Deus que tudo não fica da mesma forma. A luz é melhor que as trevas; a esperança é melhor que o desespero. Sendo novos, temos uma nova natureza. Tendo uma nova natureza, queremos viver diferentemente. O nosso novo querer pode ser realizado, pois agora sabemos o que é reto. O Espírito de Deus está presente em nós nos guiando em toda a verdade (João 16:13). Podemos tomar novas decisões com o novo entendimento dado por Deus. A força para essa nova natureza viver em nós é dada por Deus pois Ele vêm viver em nós na pessoa do Espírito Santo (II Cor 6:16-18; I João 4:4).

Os efeitos de se obter este novo entendimento:

  • O amor verdadeiro toma o lugar do amor a si próprio
  • O conforto e a paz tomam o lugar da confusão
  • A longanimidade toma o lugar da impaciência da língua e das reações
  • A benignidade toma o lugar antes ocupado pela malícia
  • A fé toma o lugar da confiança na carne
  • A paciência toma o lugar de brigas e de discursos não adequados
  • A temperança toma o lugar dos apetites desordenados emocionais da rebelião e do egoísmo
  • As boas obras reformam as obras más que noutro tempo andamos

Gal 5:22, “fruto do Espírito”
Efés 2:3-10, “somos feitura Sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras”

Mas, tendo tudo novo em nós por Cristo, não quer dizer que o velho Rei da carne e o conselheiro, coração enganoso, morreram. Enquanto estamos nessa carne, o velho Rei vive e quer sempre reinar como antes. Há uma batalha constante agora. O novo Rei é maior que o velho, e o novo conselheiro da verdade é mais potente que o engano.

Podemos saber o que é reto tendo a Cristo como a nossa justiça. Podemos todas as coisas em Cristo que nos fortalece (Fil. 4:13). Essa é uma beleza, estarmos em Cristo, tendo a Ele como a nossa justiça. Cristo já é a sua justiça? Pare de estabelecer a sua própria justiça e confie na obra de Cristo pelos pecadores. Assim, conforme a Bíblia, Ele torna-se a sua justiça diante de Deus e você começa a saber o que é reto.

 

 

   NOSSA PAZ 


João 16:33, “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz”

Para os ímpios “não há paz” (Isa 57:21) pois o pecado não pode fornecer paz. Aquele que vive com “inimizade contra Deus” (Rom 8:6) não tem paz. O Deus santo mostra a sua ira contra os que não crêem no Filho (João 3:36). Onde permanece a ira de Deus, não pode existir paz. Por isso o caminho dos transgressores é áspero (Prov. 13:15; 11:35; Sal 37:38).

O pecado não pode dar paz. Basta observarmos as vidas que caíram na armadilha de promessas de paz lançadas por Satanás para sabermos que não há paz para quem desobedece o caminho divino. Será que Adão e Eva tinham paz depois de crerem nas palavras do tentador (Gên. 3:7-10)? Se a resposta for sim, porquê estavam escondendo-se da presença do SENHOR Deus e coseram folhas de figueira para fazer para si aventais? Aqueles que não deram ouvidos à palavra de Deus por Noé estavam pulando de alegria quando durou o dilúvio quarenta dias sobre a terra, e cresceram as águas e levantaram a arca sem eles estarem dentro (Gên. 7:17,23)? Os que escolheram o caminho das suas próprias concupiscências em vez do arrependimento nas cidades de Sodoma e Gomorra estavam satisfeitos quando o SENHOR fez chover enxofre e fogo desde os céus sobre as suas cidades (Gên. 19:24)? Que felicidade restou para aqueles que eram destruídos? Quando Jonas fugiu da face do Senhor, quanta serenidade ele tinha quando o navio em que ele estava abordo esteve a ponto de se quebrar? Quanta tranqüilidade tinha Jonas nas entranhas do peixe que o Senhor preparou para que o tragasse (Jonas 1:5,17; 2:1-9)? É certo que aqueles que não se submetem às palavras de Deus em espírito e em verdade não podem conhecer o caminho da paz e em seus caminhos há destruição e miséria (Rom 3:16,17).

A razão pela qual não há paz no pecado é devida ao pecado ser contra Deus, que é soberano, e que requer santidade. Aqueles que querem o pecado estão contra o Deus justo e poderoso (Rom 1:32; 8:7). Na verdade, aqueles que engolem o que Satanás, pela carne pecaminosa do homem, oferece não estão vivendo a realidade. Deus tem declarado que: “a alma que pecar, essa morrerá” (Eze 18:4). Isso é a verdade ou Deus é mentiroso.

Em Cristo, há verdadeira paz. Sim, Cristo fez por si mesmo a paz pelo sangue da sua cruz. É por Ele que nós podemos nos reconciliar com Deus (Col. 1:20). Uma vez fomos inimigos de Deus, mas por Cristo, nós nos tornamos um com Deus. Por isso Cristo é a nossa paz (Efés 2:11-18). Foi Deus quem nos deu o Seu Filho unigênito, e Deus não é Deus de confusão, senão de paz (I Cor 14:33). Por Deus ser o autor da salvação dos pecadores os escritores inspirados das epistolas muitas vezes saudaram ou despediram-se dos irmãos em Cristo com a frase, “Graça e paz de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo” (Rom 1:7; 15:33). Eles se lembravam bem que Deus é de paz e queriam que os irmão também se lembrassem deste fato e que conhecessem melhor a paz de Deus.

A carne do homem é fraca. É fácil duvidar das promessas do bondoso Deus. Deus “conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó” (Sal 103:14) e por isso repetidas vezes conforta o homem com as palavras “não temas” (Lu 12:32), “aquietai-vos” (Sal 46:10), e “paz seja convosco” (João 20:19,21). Lembre-se que a paz é parte integrante da armadura de Deus (Efés 6:15).

“Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos.” Filipenses 4:4

Você conhece esta paz? Já está em Cristo? Está obedecendo os mandamentos de Deus? Obedecer pode ser difícil mas nunca será com a paz de Deus nas dificuldades.

A. Nas Aflições

Realmente, as aflições vêm para o povo de Deus, mesmo para o povo obediente. Este mundo não é o ‘lar final’ para os Cristãos. Jesus informou-nos que: “no mundo tereis aflições” (João 16:33) e nem Ele escapou delas. Pense nos patriarcas, nos juizes, nos profetas, nos discípulos e nos apóstolos. Qual deles viveu em um ‘mar de rosas’ nessa terra? Qual deles tinha o seu ‘descanso’ neste presente mundo? Não é a verdade que: “Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro” (Rom 8:36)?

Quando “o pavor repentino” ou “a investida dos perversos” vier não precisamos nos entregar ao pânico e ao desespero da sabedoria humana (Prov. 3:25), pois “o SENHOR será a esperança”, Ele “guardará os pés de serem capturados” (Prov. 3:26). A nossa força está “no sossego e na confiança”, naquilo que o Senhor pode e prometeu fazer (Isa 30:15). A paz e a vitória nas aflições não vêm “por força nem por violência, mas sim pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos” (Zac 4:6). Pode ser que há alguns que confiem nos carros da esperteza humana ou nos cavalos da força de possessões materiais, mas o homem que quer conhecer a verdadeira paz fará “menção do nome do SENHOR nosso Deus” (Sal 20:7).

Cristo deu nos o exemplo de como ter paz em meio as tentações. Quando o Tentador aproximou-se de Jesus e lançou os dardos inflamados do maligno (Efés 6:16) um após o outro, a PALAVRA DE DEUS foi o Seu conforto e a Sua vitória (Mat. 4:1-11). Se Jesus precisou passar por tentações, fique ciente que aqueles que o seguem também as passarão. Se Jesus empregou a PALAVRA DE DEUS para ter a calma e a operação do Espírito em meio as tentações, podemos saber que a paz em meio as nossas tentações acontecerá pelo emprego da mesma. Leve a PALAVRA DE DEUS consigo no seu coração, lembrando-se dela pelas horas do dia. Veja se ela não proporciona paz no seu caminhar.

Paulo mostrou-nos como ter paz em meio as perseguições. Paulo participou em muito mais trabalhos que os outros ministros de Cristo. Paulo sabia receber açoites, prisões e passar pelo perigo da morte, sim, muitas vezes. Paulo passou por trabalhos e fadiga, fome, sede, frio e nudez. Se não fossem as coisas exteriores suficientes, também seria oprimido a cada dia pelo cuidado de todas as igrejas em que tinha responsabilidade. Não foram poucas as vezes em que Paulo enfraquecia ou perturbava-se por ser escandalizado (II Cor 11:23-29). Onde Paulo achava força para continuar apesar das constantes perseguições? Na GRAÇA DE DEUS (II Cor 12:9,10). Por conhecer a GRAÇA DE DEUS e sabendo que todas as coisas cooperam para o bem (Rom 8:28) Paulo sentiu “prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias.” A GRAÇA DE DEUS levou Paulo a optar pela força que Deus dá em meio as perseguições em vez de ficar satisfeito com o prazer momentâneo que a vingança ou a sabedoria humana podia lhe dar. Se Paulo passou por perseguições e conheceu a GRAÇA DE DEUS suficientemente, nós, hoje, podemos conhece-la também pois Deus “tem cuidado” de nós (I Ped. 5:7) tanto quanto de Paulo. Procure a GRAÇA DE DEUS em meio as perseguições.

Jó mostrou nos como ter paz em meio as provações na sua vida. A perda de possessões, família, conforto, relacionamentos, status, saúde e o bom conselho de amigos não tirou a paz interior de Jó. A FÉ EM DEUS levou Jó a ficar fiel mesmo em meio a provação contínua. Foi a FÉ EM DEUS que estimulou ele a declarar: “ainda que ele me mate, nele esperarei” (Jó 13:15). Se você pretende vencer as provações que verdadeiramente existem neste mundo (João 16:33) e passar por elas com a mesma paz que Jó teve, precisará lembrar-se da FÉ EM DEUS e confie no fato de que “Justo é o SENHOR em todos os seus caminhos, e santo em todas as suas obras.” (Sal 145:17).

Deus te abençoe com a paz que vêm por você colocar a PALAVRA DE DEUS em ação durante as tentações e conheça a GRAÇA DE DEUS que te leva a ter FÉ EM DEUS em meio as provações esperando que Ele use a sua vida da Sua maneira para a Sua glória.

B. Na Morte
Sal 23:4, “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum.”

Há paz até na morte para aqueles que estão em Cristo, pois até na morte, Cristo é a nossa paz. Sim, foi para isso que Ele veio, para desfazer a inimizade, “isto é a lei dos mandamentos” que houve na lei que nos julgava culpados (Efés 2:12-18). “Mas os ímpios não têm paz, diz o SENHOR.” (Isa 48:21).

Exemplos de paz na morte:

  • 1. Deut 32:48-52; 34:1-6 - Moisés - não tinha a apreensão de ir ao lugar onde iria morrer.
  • 2. Juízes 16:30 - Sansão - orou para morrer, sem medo, enquanto estava obedecendo o Senhor.
  • 3. II Samuel 12:21-23 - Davi - a morte do filho só trouxe conforto, pois a esperança era vê-lo, um dia, novamente no céu.
  • 4. II Reis 2:1-12 - Eliseu - Vendo Elias ir para o céu ficou maravilhado, não aterrorizado.
  • 5. Jó 13:15 - Jó - “Ainda que ele me mate, nele esperarei”; é a esperança de quem confia no Senhor.
  • 6. Marcos 15:34 - Cristo - Cristo passou pelo fel da morte, pois levou a condenação dos pecadores que se arrependiam, mas depois da morte Ele passou a dizer “Não temas” pois Ele é a vitória, ele levou o aguilhão da morte que é o pecado. Cristo levou a condenação da lei que é a força do pecado. Em tudo isso Ele foi vitorioso. Por isso não há mais condenação. Sem condenação, há paz (I Cor 15:55-57).
  • 7. Lucas 16:23,25 - Lázaro - “e agora este é consolado e tu atormentado.”
  • 8. Fil. 1:21 - Paulo - “Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho.” Porquê podia dizer isto? Veja a expectativa de Paulo, II Tim 4:6-8.
  • 9. Heb 11:16 - os patriarcas - desejaram uma cidade celestial.
  • 10. Heb 11:21 - Jacó - a beira do morte o que Jacó estava fazendo? Abençoando os filhos e adorando a Deus.
  • 11. Heb 11:22 - José - próximo da morte, continuou obediente e vivendo pela fé.
  • 12. Heb 11:35 - mulheres dos fies - os mártires aceitaram a morte em vez de livramento. Isso mostra paz em face a morte, até de uma morte cruel com tortura.
  • 13. Apoc 21:1-8,27 - O Novo Céu e a Nova Terra - “não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor” e “não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira”. Não terá nada que possa causar dor ou tristeza, haverá perfeita paz. Talvez por isso os santos no passado não tivessem e os santos de hoje não têm medo de encarar a morte.

Essa paz, na morte, não é experimentada por todos aqueles que estão fora de Cristo têm “uma certa expectação horrível de juízo, e ardor de fogo, que há de devorar os adversários.” (Heb 10:27) E um espírito de escravidão para estarem em temor (Rom 8:15). Não estando em Cristo há ainda a ira de Deus permanecendo sobre o pecador devido aos seus pecados (João 3:35,36). Aqueles que estão fora de Cristo podem vir a Cristo pois Ele fez a paz pelo sangue da sua cruz e, é só por meio dEle que o pecador pode reconciliar-se com Deus (Efés 1:20) e estes são realmente exortados a virem a Cristo para terem a salvação (Mat. 11:28-30) e são convidados a virem a Cristo se desejarem (Isa 55:1,6,7).

A paz real que vêm de Deus, só vêm mesmo de Deus, e só para aqueles que estão:

  • “em Cristo” Somente por estarmos em Cristo a morte não tem mais o aguilhão e nem a lei tem força para nos condenar (I Cor 15:55-57; Rom 8:1,2); o Cristão tem a vida eterna (João 3:16-18,36); tem a esperança de uma morada preparada no céu (João 14;1-7).
  • obedientes a Cristo Aqueles que são obedientes a Cristo podem morrer sem se preocupar com o juízo final dos ímpios. Há o tribunal de Cristo (Rom 14:10) onde as obras dos Cristãos serão julgadas (I Cor 3:12-15). Se a obra permanecer, “esse receberá galardão” (como as mulheres em Hebreus 11:35) mas se a obra não for em obediência “sofrerá detrimento”, mas todavia, a alma é salva pois é habitação do Espírito Santo (I Cor 3:16,17).

Você já está em Cristo? Você está sendo obediente a Cristo? Como você encara a morte?

C. No Julgamento Final - Apoc 20:1-4

No julgamento final, diante do grande trono branco, “os mortos (espiritualmente - Efés 2:1), grandes e pequenos” estarão diante de Deus para serem “julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.” (Apoc 20:11-15). Os mortos do mar (símbolo para morte física, o corpo) e do inferno (símbolo para a morte espiritual, a alma) aparecerão diante de Deus para serem julgados segundo as suas obras. Durante este julgamento as obras de cada um mostrarão claramente a condição dos corações dos pecadores. A única finalidade, deste julgamento é a segunda morte, o lago de fogo, onde serão atormentados para todo o sempre (Apoc 20:10). Não há nenhuma chance para que alguma pessoa envolvida neste julgamento escape do lago de fogo (v. 14,15).

Aqueles que estão “em Cristo” tem um tratamento diferente, pois os pecados destes já foram julgados em Cristo e Cristo já pagou com a sua vida a tudo aquilo que a justiça santa de Deus exigiu. Examine estes versículos que referem-se ao efeito da morte de Cristo para aqueles que crêem nEle:

  • João 3:16,18, “para que todo aquele que nEle crê, não pereça mas tenha a vida eterna. Quem crê nEle não é condenado”
  • João 5:24, “não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida.” (Ver também v. 27).
  • Romanos 8:1, “Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus”
  • Romanos 8:3, “o seu Filho, . . . pelo pecado condenou o pecado na carne”
  • Heb 9:12, Cristo efetuou “uma eterna redenção”
  • Heb 9:24, “Cristo entrou . . . no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus;”
  • Apoc 1:5, “Àquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados”

O tribunal de Cristo (Rom 14:10) é onde as obras e não os pecados dos Cristãos serão julgados, (Rom 14:10-12; II Cor 5:10). Se a obra, de cada um, permanecer, “esse receberá galardão” (como as mulheres em Hebreus 11:35) mas se a obra não estiver em obediência “sofrerá detrimento” (I Cor 3:11-15), mas todavia, a alma é salva, pois é a habitação do Espírito Santo (I Cor 3:16,17). Haverá lagrimas neste julgamento por não termos feito na terra o melhor possível. Deus limpará toda a lagrima (Apoc 21:4).

Se Cristo voltasse hoje, você iria ao tribunal de Cristo ou ao grande trono branco?
Estando em Cristo há paz em meio as aflições, na morte e qualquer julgamento justo.

 

NOSSA REDENÇÃO 

 
Jer 23:26, “e esta será o seu nome, com o qual Deus o chamará: O SENHOR JUSTIÇA NOSSA”

A condição do homem antes da salvação é muito ruim pois ele não tem nenhuma justiça. O homem natural desde o seu nascimento fala mentiras (Sal 58:3), não tem nele coisa sã (Isaías 1:6), não tem o temor de Deus diante de seus olhos (Rom 3:10-18) e é condenado pela lei (Tiago 2:10). Este homem pecaminoso é enganado pelo seu próprio coração (Jer 17:9) a ponto de comparar-se a outros homens (II Cor 10:12) e achar que as coisas de Deus são loucura (I Cor 1:23; 2:14). Como é que este homem pode ter a esperança de olhar a face de um Deus Santo?

A beleza de Cristo é: Ele é a única razão diante de Deus que livra o homen do seu estado de condenação fazendo-se maldição pelo pecador fazendo com que o homen que nasceu sem justiça possa esperar olhar a face de Deus, tranqüilamente, um dia.

O pecador, sem Cristo, é vencido pelo pecado (Rom 7:14) mas Cristo é a sua redenção (I Cor 1:30; Heb 2:15). O primeiro Adão é morto em ofensas (Efés 2:1) mas Cristo é a vida eterna (João 14:6), o pão da vida (João 6:35) e a água viva (João 4:10-14; 7:35). Enquanto o descrente vaga em trevas (I João 2:11; Mat. 4:16) Cristo é a luz do mundo (João 8:12). Enquanto o perdido não têm justiça, Cristo faz do homem justo na Sua pessoa (II Cor 5:21). O homem pode fazer obras de justiça mas estas são para Deus como trapos de imundícia (Isa 64:6) e assim inaceitáveis por um Deus Santo. Em Cristo o homem não é mais condenado (João 5:24; Rom 8:1) pois ele foi remido pelo sangue de Cristo (I Ped 1:18,19). Que beleza se tem em Cristo, O Redentor!

Aqueles que estão, assim, remidos por Cristo lembram-se do estado em que eles estão no Amado. O crente que sempre louva a Deus por sua redenção e quer agradar o Salvador em tudo nunca se esquece da purificação dos seus antigos pecados (II Pedro 1:5-10).

 NOSSA VITÓRIA 


“Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo.” I Cor 15:57

Antes de conhecermos a Cristo pela pregação da Palavra de Deus (Rom 10:17) pensávamos que tínhamos a vitória. Éramos enganados pois, na verdade, estávamos presos aos laços do diabo (II Tim 2:26). Pensamos o que Satanás intenta, fazemos o que a nossa natureza corrupta deseja e “andamos segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar” (Efés 2:2, 3).

Nessa situação de perdição não queríamos fazer o bem, não buscávamos a Deus (Rom 3:10-18). Se tivéssemos o querer, não tínhamos o poder de fazer o bem, não pudemos agradar a Deus (Rom 8:6; I Cor 2:14). Estávamos em uma situação terrível, pois estávamos mortos em ofensas e pecados (Efés 2:1) e com isso éramos inescusáveis (Rom 1:20). Não tínhamos nenhuma esperança senão a ira de Deus sobre nós, permanecendo pela eternidade (João 3:36) no lago de fogo que arde para sempre (Apoc 20:11-15).

“Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo” (Efés 2:4,5). Em Cristo temos a vitória sobre tudo o que nos prendia antes. Cristo é a nossa vitória:

A. Sobre o Pecado
Heb 9:26-28

Que gozo tem o coração do crente quando medita na benção de ter a vitória sobre o pecado! O pecado é tão forte que nenhum homem, sozinho, pode dizer, “Purifiquei o meu coração, limpo estou de meu pecado” (Prov. 20:9). “O pecado, tomando ocasião pelo mandamento” nos engana e pelo mandamento, nos matou (Rom 7:9-11). O mandamento pede somente perfeição (Tiago 2:10), mas o pecado em nós traz a condenação pela lei, pois a nossa carne está enferma para resistir o pecado (Rom 8:3).

“Deus, enviando o seu Filho em semelhança da carne do pecado, pelo pecado condenou o pecado na carne” (Rom 8:3) e pela morte de Cristo na carne livrou nos “da lei do pecado e da morte” (Rom 8:2) aniquilando o pecado “pelo sacrifício de Si mesmo” (Heb 9:26). Por isso, “agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo” (Rom 8:1).

Sendo “libertados do pecado” somos feitos “servos da justiça” (Rom 6:18). Agora, sendo feitos novos, devemos e podemos ter o fruto das nossas vidas para a santificação, e por fim a vida eterna (Rom 6:22). Mesmo a presença do pecado estando em nossa carne, o poder e o preço do pecado já foram cancelados por Cristo.

A vitória sobre o pecado é uma beleza que temos em Cristo. Você está conhecendo esta vitória? Entre em Cristo já!

“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” João 8:36

B. Sobre a Carne
Rom 7:21-25; Col. 2:13

O homem que já saboreou as delícias de estar em Cristo, logo, tem amargas lembranças por ainda estar na carne. O homem espiritual sente-se miserável por ainda ter o embaraço do pecado que tão de perto o rodeia (Rom 7:24; Heb 12:1). O Espírito quer voar para viver em vitória, mas o pecado, na carne, força uma aterrissagem, e, isso, na lama e na sujeira.

As verdades desagradáveis da carne são:

  • A carne é enferma - Rom 8:3
  • O pecado reside na carne - Rom 7:20
  • A inclinação da carne é a morte - Rom 8:5,6

Não são poucos aqueles que, na tentativa de ter a vitória sobre a carne, tentaram derrubar o pecado sozinhos, mas a verdade é que o pecado:

  • derruba homens sem pecado - Adão e Eva, Gên. 3:1-6
  • derruba homens escolhidos por Deus - Saul, I Sam 15:2-9
  • derruba homens consagrados - Davi, II Sam 11:1-27
  • derruba servos de Deus - Jonas, Jonas 1:3
  • corrompe filhos com educação Cristã - Salomão, I Reis 11:1-8
  • destrói intenções famosas - Pedro, Mat. 26:33-35 (Mat. 26:69-74) Mat. 20:23; Êx 19:8

Quando se trata da carne é essencial nos lembrarmos dos avisos dos seguintes versículos: Prov. 16:18; 28:25; Jer 17:9

Aqueles que já estão em Cristo conhecem as belezas de Cristo mesmo na luta do dia a dia contra o pecado. Eles podem testemunhar estes fatos:

  • O poder de Cristo é maior que o pecado. Dan 4:35, “não há quem possa estorvar a sua mão”
  • Por Cristo temos a salvação por completo (Efés 2:11-22).
  • No julgamento final Cristo é maior (Fil. 2:9-11; Apoc 21:22-27; 20:12-15)

Em resumo podemos entender que: se Cristo é a vitória sobre a carne e se por Ele temos a salvação completa tanto agora como no futuro, por que devemos confiar na carne onde o pecado reside? A única solução é submeter-se a Deus para nunca mais confiar na carne. A natureza da carne sempre inclina para a morte. A beleza é: temos a Cristo que nos dá sempre a vitória completa sobre a carne.

C. Sobre a Morte - I Cor 15:53-57

A morte existe desde a entrada do pecado no jardim no Éden (Gên. 2:17; 3:1-6). A morte pode ser definida como separação. O homem, no jardim do Éden, primeiramente experimentou a separação da alma de Deus (espiritual) e depois a separação do corpo (físico). Sem a intervenção de Deus, nunca teve e nunca terá homem mortal algum que possa vencer a morte em qualquer sentido.

A morte é universal. Pelo pecado veio a morte. Todos os homens pecaram então a verdade é que: “a morte passou a todos os homens” (Rom 5:12). Deus declara, “A alma que pecar, essa morrerá” (Eze 18:20).

A morte é forte. Muitas vezes, nos juramentos, é dito que se alguém fizer um voto somente a morte o proibi (Rute 1:17) pois é universalmente entendido que a morte ninguém pode vedar.

A morte é o mais forte. Para enfatizar o quanto Deus ama o crente é dito que: “o amor é forte como a morte” (Cantares de Salomão 8:6) nos relatando que tanto podemos quebrar o amor imutável de Deus quanto podemos escapar da morte. “A força do pecado é a lei” de Deus e “o aguilhão da morte é o pecado” (I Cor 15:56). Se pode-se aniquilar o pecado, pode-se também aniquilar a morte.

Dessa forma, por Cristo, o crente tem a esperança de vencer até a própria morte. A verdade é que: “a justiça livra da morte” (Prov. 10:2). Cristo, o Filho de Deus, já nasceu “de mulher, nascido sob a lei, para remir aqueles que estavam debaixo da lei” (Gál 4:4,5). Cristo cumpriu a lei pela sua vida (Fil. 2:8), recebeu a condenação dos pecados dos pecadores na sua carne e morreu (Rom 5:6,8). As Escrituras não param aí. Cristo triunfou sobre a morte pois Ele ressuscitou da morte (Mat. 28:5,6; I Cor 15:1-8), aniquilando “o pecado pelo sacrifício de si mesmo” (Heb 9:26), sim, derribando até aquele “que tinha o império da morte, isto é, o diabo” (Heb 2:14). Cristo ressuscitou! Cristo vive!

Ou se está em Cristo que é o único que venceu a morte e vêm a todos pois todos são pecadores, ou se está confiando em algo, mesmo que não pareça agora após um pouco de tempo, logo na verdade sucumbirá à morte, à morte eterna.

D. Sobre o Mal
Col. 2:14,15; Heb 2:14; I João 4:4

Só depois de deixarmos este mundo é que não experimentaremos mais nenhum mal. No céu não entrará “coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira” (Apoc 21:27). Aqui nesta vida teremos aflições (II Cor 6:4-10; I Ped 5:9). O mal, aqui nesta vida, está tão perto quanto a nossa nova natureza. O mal está sempre conosco (Rom 7:21).

Cristo despojou principados e potestades triunfando sobre eles em si mesmo (Col. 2:15). O poder do mal foi ferido pela morte e pela ressurreição de Cristo (Gên. 3:15; Heb 2:14). A pessoa que confia pela fé em Cristo como o Salvador, segundo as Escrituras, está livre da sujeição (Heb 2:15). Tudo isso pela vitória de Cristo.

O crente tem a capacidade, por Cristo, de viver uma vida com vitória hoje em dia, mesmo na presença do mal (Fil. 4:13). O poder do mal tem sido quebrado por Cristo e nenhum mal pode proibir - nos de entrar no céu. Aqui na terra, neste tempo atual até que estejamos no céu, temos que vigiar para não cairmos nas armadilhas do mal. Só o fato de termos a Cristo e por Ele ter a vitória final nem sempre nos dá a vitória no dia a dia. Temos responsabilidades pessoais para que tenhamos a vitória constantemente. Há a necessidade de aplicarmos os princípios e mandamentos de Deus à nossa vida aqui na terra para termos a vitória agora.

Para ter a vitória diária sobre o mal é necessário ser revestido da armadura de Deus
Efés. 6:10-20

  • verdade - João 8:32, procurando o escape das tentações - I Cor 10:13
  • justiça - Efés 4:23-27 (coração limpo sempre; pecados perdoados)
  • evangelho da paz - Mat. 13-16 (vida testemunhando a verdade) ser sóbrio e vigilante - I Ped 5:6-8
  • fé - leitura Bíblica e obediência constante - Rom 10:17, resistindo firmes na fé - Tiago 4:7; I Ped 5:9
  • salvação - sua vida transformada por Cristo - João 3:5-7, 14-21
  • palavra de Deus - conhecida na pratica - II Tim 2:15; 3:15,16
  • oração - constantemente - I Tess 5:17; Mat. 17:21; 6:13, chegando a Deus - Tiago 4:7,8; I Ped 5:7

Deve ser relembrado que mesmo havendo uma luta, a luta é espiritual (Efés 6:12). Por isso não devemos entrar em contendas com o mal (Judas 9). Resista com convicção e firmeza, mas fique firme na verdade chegando a Deus, deixando que Deus trave a guerra espiritual. A nossa guerra é estar mortos na carne. O mal está sempre conosco, mas graças a Deus, Cristo já despojou os principados e as potestades e triunfou (Col. 2:15). Que vitória temos em Cristo!

E. Sobre o Mundo
Col. 2:20-23; João 16:31, “eu venci o mundo”

Quando se pensa na palavra ‘mundo’, pode se pensar na terra natural que engloba a natureza e todo o sistema solar que Deus criou e, sobre o qual Cristo tem poder, ou se pode pensar daquele que envolve o efeito do pecado sobre o qual Cristo também tem a vitória. Cristo tem a vitória sobre maneira em se tratando do ‘mundo’.

Mundo Físico

  • Criar Tudo - Gên. 1; Col. 1:16
  • Fender a terra - Núm. 16:30; Gên. 7:4,7
  • Estacionar o Sol e Lua - Josué 10:12,13
  • Fazer serpentes ardentes - Núm. 21
  • Trazer doenças aos homens, Tornar rios e fontes de águas em sangue, Fazer o sol queimar os homens, etc. - Apoc 16
  • Trazer água da rocha - Êx 17:6
  • Suprir a fome no deserto com cordonizes e maná - Êx 16:11-21·
  • Norrer e Ressuscitar dos mortos - João 10:18
  • Curar qualquer enfermidade - Mat. 11:5

Mundo de Pecado

  • Usar a cólera do homem para a glória de Deus - Sal 76:10; Atos 2:23; 4:27,28; Col. 1:12-17
  • Dar escape em meio a tentação - I Cor 10:13; Mat. 4:1-11
  • Aniquilar o império da morte - Heb 2:14· Fazer com que Satanás fuja de nós - Tiago 4:7; I João 4:4
  • Lançar a morte e o inferno ao lago de fogo - Apoc 20:14
  • Salvar perfeitamente os pecadores - Heb 7:25; Col. 2:20-23
  • Dar graça sobre a dor, a tristeza - Mat. 27:39-44; Isa 53:7; Apoc 21:4

Entendendo que Cristo tem tal poder sobre o mundo, nós que estamos no mundo, não precisamos viver do mundo ou como o mundo (João 17:15,16). Se Cristo, o Salvador da nossa alma, tem a vitória sobre a eternidade, também podemos recorrer a Ele para termos a vitória em nosso dia a dia.

Cristo pode controlar o mundo físico em respeito a você e pode, também, controlar o efeito do pecado em você. Não há razão, a não ser por causa da enfermidade da carne, para não vivermos com a vitória sempre.

Portanto: Viva com a vitória, com ousadia, com fé e com gozo uma vida que agrada a Deus pela situação em que se encontra Heb 13:14-16; 4:14

 

 

 NOSSO GOZO


“. . . para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo.” João 15:11

O gozo pode ser definido como sendo a satisfação em união com o amado ([Matthew Poole] por exemplo João 3:29). Ter este gozo ou esta satisfação íntima é uma ocupação constante e intensa no ser humano. O homem tem procurado o gozo nos quatro cantos do mundo e até mesmo nas limitações do espaço no universo. A realidade é que: o gozo verdadeiro, o júbilo íntimo é o fruto do Espírito Santo (Gal 5:22). O homem foi feito para glorificar a Deus completamente. Quando o homem cumpre o seu dever para com Deus, tem gozo e prazer, a recompensa que Deus dá aos obedientes. O pecado destruiu o gozo que o homem recebia de Deus (Gên. 3:6-10). O coração do homem é enganoso (Jer 17:9) e o leva a procurar satisfação e regozijo na carne (Efés 2:2,3), pela concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida (I João 2:16). O homem procura o gozo em tudo, menos em Deus, e por isso continua vazio. O gozo e a alegria verdadeira vem somente de Deus. O homem estando em Cristo pelo arrependimento do seu pecado e pela fé na morte de Cristo, segundo as Escrituras pode voltar a conhecer o gozo que é determinado como a paz que “excede todo o entendimento” (Fil. 4:7). Salomão procurou satisfazer-se com prazeres, bens, obras grandiosas, ouro e prata, música, conhecimento (Ecl. 2), mas só encontrou o gozo real temendo a Deus e guardando os seus mandamentos (Ecl. 12:13). É verdade que o homem procura o gozo em muitos lugares mas nunca encontrará fora de Deus pois “no seu favor está a vida” (Sal 30:5) e este gozo é chamado de “a paz de Deus” (Col. 3:15) e é fruto de crermos de maneira correta na verdade (Rom 15:13). Se tivermos o gozo do Senhor, nosso gozo será completo.

É confortante saber que a Deus interessa que tenhamos o júbilo íntimo. Deus é tão pessoal que se interessa por nosso gozo, para que nosso gozo seja completo Ser salvo pela graça já é uma benção tal que levará uma eternidade para que a compreendamos e a gozemos. Ter a graça suficiente a cada dia em todas as aflições (II Cor 12:9) é uma benção que nos relembra o amor de Deus. Ter a benção da alegria e do prazer no nosso interior juntamente com outras bênçãos mostra mais do amor imenso que o próprio Deus em Cristo tem por nós. Jesus confirmou o seu amor por nós e nos ministrou as verdades para continuarmos gozando deste amor em nossas vidas continuamente e isso não dá somente gozo a Ele mas também faz com que o nosso gozo seja completo. Que beleza de Cristo!

O homem que tem o júbilo de guardar os mandamentos de Cristo
é o mesmo que tem o seu próprio gozo por completo.
O homem que insiste em entristecer o Espírito
é destituído do gozo verdadeiro.

A. A fonte de Gozo Verdadeiro

O gozo interno é fruto do Espírito de Deus (Gal 5:22). Nenhum lugar, pessoa, bem ou experiência no mundo pode fornecer o gozo verdadeiro. Por ser fruto do Espírito então é de Deus. A alma que sofre tribulações ou está procurando a satisfação interna sempre tem alívio quando fixa os olhos no Senhor (Sal 39:7). Esperar no Senhor é o caminho para se achar o descanso para um coração atribulado (Sal 27:14; Isa 40:31). Uma vez saboreada a alegria celestial que vêm por esperarmos completamente, pela fé, no Senhor podemos aceitar os problemas, as tribulações e as angústias que vêm em direção a nossa vida pois achamos a nossa “alta defesa” no Senhor (Sal 59:3-9). Quando as tentações, as angústias, o medo, as provações e as dúvidas vierem em direção a sua vida, não procure descanso nos braços do homem, mas na pessoa de Deus (Jó 40:9, “Ou tens braço como Deus?”).

Se o gozo interno é mesmo de Deus, então, nenhum lugar é melhor para olharmos senão na própria Palavra de Deus. Quando Jeremias achou as palavras de Deus disse: “logo as comi, e a tua palavra foi para mim o gozo e alegria do meu coração” (Jer 15:16). A palavra de Deus, quando aceita e praticada, tem um encontro agradável com a nova natureza no interior do crente. Essa união, da palavra de Deus com a nova natureza causa uma satisfação por completo e assim o “gozo está cumprido” (João 3:29). É nesse encontro que acontece aquela “alegria que ninguém tira” (João 16:22) “nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados nem as potestades, nem o presente, nem o provir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura” (Rom 8:38,39). Veja que esta esperança (Rom 15:4) está muito além de um sorriso solene maquiado no rosto ou a crença de que nenhuma tristeza há realmente no crente. Não é um desvio da realidade. É uma experiência efetiva e uma segurança íntima e, é, verdadeiramente, uma canção durante a noite que O SENHOR dá quando “um abismo chama outro abismo” (Sal 42:6-8).

O júbilo íntimo no coração vêm de Deus e da Sua Palavra, não de nós. Mas, não vêm automaticamente. Vêm de Deus quando obedecemos a Sua Palavra (Rom 15:4). Assim se obedecemos a Bíblia com fé e amor a Deus a alegria de Cristo se completa em nós (João 17:13). Somente quando estamos “cheios do conhecimento da Sua vontade” podemos realmente “andar dignamente diante do Senhor” “corroborados em toda a fortaleza, segundo a força da Sua glória, em toda a paciência, e longanimidade com gozo” (Col. 1:9-11). Você já conhece esse gozo?

A sabedoria de Deus estar além do nosso entendimento (Rom 11:33) significa que Ele sabe fazer com que a nossa alegria seja pura e completa. Ele pode usar “várias tentações” (Tiago 1:2-4) que vêm a nós com a sua permissão, mas vêm mesmo de Satanás que usa a fraqueza da nossa carne para nos tentar (Jó 1:8-12; 2:1-6; Tiago 1:13-16). As provas que Deus nos dá e as aflições que Deus nos permite operam caraterísticas em nós que nos deixam exercitados por elas “sem faltar em coisa alguma” (Tiago 1:4). Deus usa as ocasiões de várias tentações e “encaminha os vossos corações no amor de Deus, e na paciência de Cristo.” (II Tess 3:5). Quando as “varias tentações” vêm a você corra a Deus, de onde vêm a misericórdia e a graça em tempo oportuno (Heb 4:16). Se as tentações levam você a procurar a Deus então você encontrará o gozo verdadeiro, pois ele vêm de Deus.

Deus também em amor sabe usar “a correção” que “ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça” (Heb 12:11). Por isso o conselho é: “Filho meu, não rejeites a correção do SENHOR, nem te enojes da sua repreensão. Porque o SENHOR repreende aquele a quem ama, assim como o pai ao filho a quem quer bem.” (Provérbios 3:11,12). A correção faz com que o homem de Deus esteja pronto para toda a boa obra (II Tim 3:16,17). Tendo experiência com a Palavra e tendo sido exercitado pela correção, o homem de Deus terá produzido nele “um fruto pacífico de justiça” (Heb 12:11) que é o gozo verdadeiro. Você tem sido corrigido pelo Senhor? A fonte de gozo verdadeiro. Não despreze a correção do SENHOR pois vêm com amor para o nosso bem (Rom 8:28,29). Deixe que a correção te impulsione a procurar o caminho certo na Palavra de Deus sendo conformado a imagem de Cristo, que é vista na Palavra, você terá assim o gozo verdadeiro e a sua vida terá o crescimento que convém.

Quando vierem as tentações, procure o escape
. Quando vierem as provas, procure a graça de Deus.
Quando vier a correção, aprenda a obedecer perfeitamente.

B. A Utilidade do Gozo Verdadeiro

Lembre se que o gozo verdadeiro vêm de Deus (é fruto do Espírito, Gal 5:22). Há grande utilidade se trouxermos este fato à memória nas horas de profunda necessidade porquê Deus não muda, (Mal 3:5; Heb 13:5) é eterno (I Tim 1:17) e a Sua palavra permanece para sempre. Depois que a carne do homem tiver secado e a sua glória tiver caído (I Ped 1:23-25) a fonte do gozo verdadeiro continuará com força e sabedoria. Há várias aflições e perseguições, que vêm a nossa vida e Satanás está sempre querendo derrubar o fiel em Cristo pois “não ignoramos os seus ardís” (II Cor 2:10; I Ped 5:8,9), e nessas circunstâncias é útil o gozo verdadeiro. Quando os discípulos se depararam com a possibilidade de não ter mais junto deles a pessoa de Cristo o gozo verdadeiro veio a eles, através da promessa que Cristo é o caminho, a verdade e a vida (João 14:1-6). A fé de Deus descansava na sabedoria de Deus na pessoa de Cristo que trouxe a paz e o júbilo interno aos discípulos. Quando o medo do terror da noite vêm, ou a seta que voa de dia ameaça, ou quando vier a peste que anda na escuridão ou quando a mortandade assola ao meio dia, quando olhamos para o esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará” (Sal 91:1-6). Quando você tem o Senhor e anda com Ele, também terá os benefícios do gozo verdadeiro nas horas de indecisão e de imprevistos.

O gozo verdadeiro também mostra o seu proveito nas horas de tristeza. Quando Maria e Marta perderam o irmão Lázaro pela morte, as palavras de Cristo vieram para as confortarem. A promessa era: “se creres, verás a glória de Deus” (João 11:40) mesmo ao lado do sepulcro do irmão Lázaro. O gozo verdadeiro não depende das circunstâncias para existir, daí o seu proveito. O gozo verdadeiro vêm de Deus, Aquele que venceu a morte em Cristo (I Cor 15:57) e não há nada maior que “poderá nos separar do amor de Deu, que está em Cristo Jesus nosso Senhor” (Rom 8:39). Se estes fatos não trazem conforto aos nossos corações nas horas amargas e se não produzem em nós o gozo verdadeiro quando passamos pelo vale da sombra da morte, então, não há utilidade nenhuma no gozo verdadeiro. Nestas horas Deus está conosco e leva-nos a crer nEle nos enchendo “de todo o gozo e paz” (Rom 15:13). Foi este gozo que segurou a Jó, daí ele ter declarado: “Ainda que Ele me mate, nEle esperarei” (Jó 13:15). Não achou Jó a utilidade do gozo verdadeiro? Você também tem achado tal vantagem?

 

 NOSSA SANTIDADE


Apoc 1:5

Por Deus ser quem é, santo. Não há santo como o Senhor (I Sam 2:2). Um atributo que faz de Deus ser Deus é a Sua Santidade. Toda a excelência moral possível está somada em Deus (I João 1:5, “Deus é luz, e não há nEle trevas nenhuma.”). Pela eternidade os serafins clamam uns aos outros, dizendo: “Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da Sua glória.” (Isa 6:1-4). A santidade de Deus é manifestada nas suas obras (Sal 145:17, “Justo é o SENHOR em todos os seus caminhos, e santo em todas as suas obras.”), vista na Sua lei (Rom 7:12, “E assim a lei é santa, e o mandamento santo, justo e bom.”; Sal 19:8,9) e gloriosamente revelada na cruz (Sal 22:1-3, “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? . . . Porém Tu és santo”).

Cristo é Deus em toda a Sua beleza e divindade (Heb 1:3, “O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa”). Cristo é verdadeiramente Deus e quanto á isso não há dúvidas. Os escritores inspirados por Deus referem-se a Cristo como o Filho com. o título de “único Deus sábio, Salvador nosso” (Judas 24). As Profecias que pertencem a Deus são cumpridas por Cristo (Joel 2:32; Atos 16:31; Rom 10:13). Cristo é EMANUEL, que traduzido é: Deus conosco.” (Mat. 1:23). Dessa forma Jesus declara: “Eu e o Pai somos um.” (João 10:30).

Cristo sendo Deus também é santo. Quando Cristo foi concebido pelo ventre de Maria referiam-se a Ele como “O Santo” (Luc 1:35). Deus, referindo-se ao Seu Filho Jesus Cristo diz através do Salmista que Cristo não permanecerá morto após a sua crucificação porque Deus, o Pai, “não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção.” (Sal 16:10).

O homem não é santo. O homem tem herdado de Adão uma natureza pecaminosa (Rom 5:12) e por isso ele não pode sujeitar-se à lei de Deus (Rom 8:7), não têm entendimento para compreender as coisas do Espírito de Deus (I Cor 2:14) e nem mesmo tendo desejo de vir a Deus para ser salvo do seu pecado (João 5:40). O homem está destituído da glória de Deus, que é nada menos que a Sua santidade (Rom 3:23).

Devido a santidade de Deus, nenhuma obra do homem será aceita em sua presença. Devido a pecaminosidade do homem, ele não pode fazer algo aceitável a Deus. É justamente por causa desta situação que Cristo, o Santo, veio em forma de homem, e fez-se o pecado pelo homem (II Cor 5:21) e, por ser Santo, a sua obra salvadora é aceita por Deus em troca do perdão dos homens devido aos seus pecados (Isa 53:11). Quando o pecador, pela fé confia na morte de Cristo como uma obra pelos seus pecados, procura o perdão de Deus por causa do sangue de Cristo, Deus o perdoa e o lava de todo o pecado. Verdadeiramente, o pecador que crê em Cristo, é justificado diante de Deus (II Cor 5:21).

Quem depende somente de Cristo como o seu salvador é lavado de todo pecado (Apoc 1:5). O pecador que põe a sua confiança somente na obra de Cristo tem os seus pecados esquecidos por Deus (Heb 8:12) e jamais serão lembrados por Ele (Heb 10:17). Este pecador, escondido em Cristo, torna-se adotado por Deus (Gal 4:5) e nessa posição torna-se filho do Deus Santo (Rom 8:17). Tal posição é possível somente porque Cristo é a nossa santidade. Não temos nenhuma santidade em nós mesmos, mas por Ele, somos aceitos por Deus que não tem trevas em si e nem mesmo o Seu Filho, o Santo.

Eis a beleza de Cristo. Essa beleza de Cristo é para aqueles que estão, pela fé, confiando em sua morte como o sacrifício suficiente pelos seus pecados. Você já conhece essa beleza de Cristo? Se diante de Deus você tornou-se santo, também está vivendo assim diante dos homens? Talvez, como crente, você não seja tão santo para um dia chegar a maturidade mas pode notar que não é como era antes. Assim como a aurora, você já está brilhando mais e mais (Prov. 4:18)? A visão que Deus tem dos seus, em Cristo, é cada vez mais evidenciada por aqueles que vêem aqui na terra e isso para a glória de Deus e à Sua santidade.

 

  SABEDORIA


“Em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência” Col. 2:3

O homem natural, sem Cristo, tem um problema constante por lhe faltar a sabedoria. Essa falta contínua faz dele um ignorante de sua falta de sabedoria e ele vive como se não lhe faltasse nada. Jeremias disse que o coração é tão enganoso que nenhum homem o pode conhecer (Jer 17:9). O coração do homem engana o próprio homem, dono do coração, para que ele não perceba que foi levado a tolice. As coisas de Deus, para o homem natural, “parecem loucura” e este “não pode entendê-las, porquê elas se discernem espiritualmente” (I Cor 1:23; 2:14). Mesmo o homem pudesse ver a sua situação não desejaria sair dela pois ele, na carne, não pode se sujeitar à lei de Deus (Rom 8:7,8). Mesmo que o homem pudesse sair da sua ignorância ele não desejaria pois o homem natural realmente está preso aos laços do diabo (II Tim 2:26) e com o seu entendimento cegado (II Cor 4:4).

Deus é diferente do homem pois para Ele não há limitações (Rom 11:33-36). A Bíblia descreve o SENHOR como tendo a lei perfeita, testemunho fiel, preceitos retos, mandamento puro, temor limpo e juízos verdadeiros juntamente justos (Sal 19:7-9).

Devido a regeneração em Cristo através do Espírito Santo (Tito 3:5) vêm uma operação de Deus que dá ao homem uma nova natureza (II Cor 5:17), pela qual o homem discerne bem a tudo (I Cor 2:15), pois recebemos um “entendimento para conhecemos o que é verdadeiro” (I João 5:20).

Cristo é como os eleitos de Deus com “sabedoria, e justiça e santificação, e redenção; para que, como está escrito: Aquele que se gloria glorie-se no Senhor.” (I Cor 1:30,31). Todos os tesouros da sabedoria e da ciência estão escondidos em Cristo. (Col. 2:3; Lu 2:40). Essa beleza ilumina o conhecimento da glória de Deus (II Cor 4:6). Tendo Cristo possuiremos a beleza da sua sabedoria que produz os seguintes efeitos na vida do crente.

A. Preenche a nossa falta de sabedoria

Enquanto estivermos nesse corpo de carne teremos problemas com a nossa velha natureza e com a falta de sabedoria gerada pela carne (Rom 7:18, 23). Ainda temos limites, não somos aperfeiçoados completamente (I João 3:2). O mandamento divino é pedir e buscar em Deus o que nos falta (Mat. 7:7,8; Tiago 1:5).

Como andam seus negócios? Você precisa de sabedoria para criar seus filhos? O seu relacionamento com os vizinhos, família e a sociedade é bom? Você está precisando de sabedoria? A beleza de Cristo é: nEle estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência (Col. 2:3). Podemos ter soluções sábias pois temos por Cristo a nova natureza pela qual podemos discernir inclusive as coisas de Deus (I Cor 2:15).

“E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus” Tiago 1:5

Procure estar em conformidade à imagem de Cristo tendo igualmente as suas reações, a sua palavra na boca e a obediência que Ele teve. Assim você conhecerá o princípio do conhecimento (Prov. 1:7).

B. Guia-nos pela vida

O crente, mesmo não procurando tal situação, encontra-se freqüentemente em lugares escorregadios. E isto não acontece somente com crentes novos ou fracos. O Salmista diz pela inspiração: “Quanto a mim, os meus pés quase que se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos” (Sal 73:2). Este mesmo servo de Deus falou em outra ocasião que seu pé vacilava (Sal 94:18) e aconteceu que ele se sentiu como um “odre na fumaça” (Sal 119:83). Tudo isso indica a realidade em que o crente vive, tendo que passar por situações pesadas e difíceis, tendo um caminho escuro a trilhar. Adicione à realidade de uma vida difícil um coração enganoso e uma natureza pecaminosa que o crente ainda possui, pois pode ser vista a sua necessidade de ser guiado.

Os caminhos de Deus são mais altos do que os nossos caminhos e os Seus pensamentos mais altos do que os nossos pensamentos (Isa 55:8,9). Os caminhos de Deus são inescrutáveis (Rom 11:33) e “faz maravilhas sem número” (Jó 5:9).

O crente deve andar aqui no mundo para a glória de deus, mas há lugares escorregadios, um coração enganoso e uma natureza pecaminosa mas também os caminhos de Deus são superiores aos nossos. Tudo isso mostra a necessidade do crente ser guiado no caminho que tem a trilhar.

Com isso as belezas de Cristo vêm se manifestando, lembre-se que nEle estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência de Deus (Col. 2:3) e por Cristo somos feitos um templo de Deus para a habitação do Espirito Santo( I Cor 6:19,20).

Por estarmos em Cristo temos o Espírito Santo e a sua obra é guiar-nos como filhos de Deus (Rom 8:14) nos dizendo na hora certa o que devemos falar (Mar 13:11). As belezas de Cristo são ministradas a nós pelo Espírito Santo pois a sua obra é testificar a si (João 15:26). Quando temos a obra do Espírito Santo conosco ele nos ensina todas as coisas e traz à nossa memória Cristo (João 14:26) e cumprindo assim a profecia: “E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nEle, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda.” (Isa 30:21).

Para termos essa beleza de Cristo andando conosco é necessária obediência (Lev 26:3-13) caso não aconteça isso teremos Ele andando contrariamente a nós. Se buscarmos primeiramente o reino de Deus, todas as outras coisas que precisamos nos serão acrescentadas (Mat. 6:33), pois quando o SENHOR é o nosso pastor, nada nos faltará e podemos até mesmo andar pelo vale da sombra da morte (Sal 23:1, 4). Tudo isso por Cristo.

C. Estabelece-nos

Estando em Cristo temos uma posição maravilhosa pois somos feitos filhos de Deus, “E, se nós somos filhos, logo somos herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo” (Rom 8:17). Tendo esta posição estaremos num lugar firme. Por isso o Salmista diz: “o SENHOR tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos (Sal 40:2).

Cristo é a “rocha” de Mateus 16:18 sobre a qual a igreja foi estabelecida e a vida com Ele é firmada no único fundamento que pode resistir a qualquer tempestade (I Cor 3:11; Mat. 7:25).

Na vida de cada um vêm varias vezes padecimentos, mas somente o que é permitido por Deus, (I Cor 10:13) somente o que opera no crente a paciência para a sua perfeição (Tiago 1:2-4). Estando em Cristo o Cristão está sob os cuidados de Deus Pai, as orações do Filho (João 17:20) e a presença do Espírito (Rom 8:8). Por isso Pedro conforta-nos dizendo “E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá.” (I Ped 5:10). Esse estabelecimento se dá por meio de um maior conhecimento de Cristo (Efés 4:13,14, “não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina”) Por Cristo, o crente tem a beleza de ser estabelecido.

Este estabelecimento se dá somente através da verdade, Cristo, de outra maneira vive-se sem paz (Isa 48:22). Você já está em Cristo?

“Para que saibais que tendes a vida eterna” I João 5:13

D. Conforta-nos - Col. 2:9

A falta de sabedoria e as limitações da carne freqüentemente deixam-nos desanimados, tristes, preocupados e confusos. A beleza de Cristo é: Ele é a sabedoria de Deus (I Cor 1:30). Deus nos iluminou para conhecermos a Ele por Cristo (II Cor 4:6) e assim podemos ser confortados.

Cristo conhece o começo do fim. Cristo é o Todo - Poderoso, Deus Conosco (Apoc 1:8; Mat. 1:23). Por Cristo Deus nos dará qualquer coisa para o nosso bem (Rom 8:31,32). Cristo é o conselheiro e Seu principado é paz a qual não terá fim (Isa 9:6).

Podemos ter falta de visão; podemos estar preocupados olhando à carne, às limitações da carne, o mundo mas, meditando em Cristo a sua posição com Deus dá-nos conforto. Obedecendo Ele o crente terá paz em qualquer instância.

E. Faz com que nossas vidas resultem na Glória de Deus - Rom 8:28

Devido a sabedoria de Deus em Cristo e devido Cristo ser Deus, Ele sabe o começo do fim. Este conhecimento leva as nossas vidas a terminarem dando glória a Deus.

Jesus orou pelos seus (João 17:20) e continua intercedendo por eles (Heb 7:25). Essa oração tem o propósito de que os Seus sejam completos em união (João 17:23), que vejam a glória de Deus em Cristo (João 17:24) e que conheçam a Deus, o Pai, cada vez melhor (João 17:26). Esta é uma oração dirigida com amor e sabedoria por aquele que tem todos os tesouros da sabedoria escondido nEle.

Deus atenta para as orações dos filhos e por isso sabemos que temos desde já todas as coisas necessárias para vivermos (Rom 8:32,37). A nossa vida vai mesmo dar glória a Deus pelo Espírito que vive em nós e pelas sábias súplicas de Cristo em nosso favor. Eis a beleza de Cristo.

Para ver este fato já colocado em prática basta examinar as vidas de Moisés, Josué, Daniel e Paulo. Nenhum destes tinham uma vida acompanhada somente por delícias e paz, mas conheciam a constante oposição do homem. Mesmo assim, as suas vidas deram glória a Deus pois mesmo nas aflições somos conformados mais a imagem de Cristo para a glória de Deus (I Ped 5:10,11).

Enquanto Cristo ora por nós para nos encorajar na obediência a Palavra de Deus procuramos a força de Deus necessária para confiarmos nEle e fazermos o que ele pede. Está tudo bem, Cristo é feito a nossa sabedoria e isso leva nos a dar glória a Deus. Se Deus está recebendo a glória, então, está tudo certo.

            Assinar o livro de visitas

              Exibir o Livro de Visitas

<< Anterior   |   Páginas: 01, 02, 03, 04, 05, 06, 07, 08, 09 10 11, 12, 13, 14, 15,16, 17, 18, |19, 20, 21, 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29, 30, 31, 32 | Próxima >>
 

Para mais informações entre em contato com [email protected]
Site reformulado em 25 de Maio de 2004.

Ilustrações
 ilustrações que poderá ajudar a ilustrar sua     mensagem.
CRONOLOGIA
Um relance sobre os primeiros seiscentos anos depois de Cristo.Durante este período, a Antiguidade clássica chegou ao fim, o paganismo desvaneceu-se gradualmente e começou a ser modelada uma civilização baseada no cristianismo. O quadro seguinte nos da um breve panorama deste processo.
Artigos da História

VENHA A NÓS O VOSSO REINO
  O ímpensável aconteceu: Constantino, o novo co-imperador de Roma, apoiava o cristianismo! Em breve, a Igreja, com o seu apoio, criaria um credo duradouro. Os pagãos reagiriam, mas em vão.  No entanto, uma nova Roma se ergueria no Oriente.

Mártires
Cristãos perseguidos 
até a morte.
“Apologia e Identidade”.
Paulo de Tarso
Os foros de cidadão romano, a instrução recebida nas escolas, as suas qualidades pessoais, tudo isto serviu para fazer dele um instrumento especial para a obra missionária.
Jesus de Nazaré

ESTUDO SOBRE A VIDA E MINISTÉRIO DO SENHOR JESUS CRISTO.

Homens de Deus
Patriarcas
Juizes
Reis
Profetas
Os Apóstolos.
Versões da Bíblia
Conheça o livro mais vendido no mundo, suas
versões e línguas de origem.
Bíbliologia
Como é constituida a Bíblia quais os canons
aceitos?; quais as suas divisões?
Escatologia
Conheça os fatos escatológicos mediante profundo estudo Bíblico.
Curiosidades Bíblicas
Perguntas e respostas contidas na Bíblia.
Significado de Nomes Bíblicos
Como morreram os Apóstolos
Você Sabia? Que:
Quem Somos
Nosso Credo
Declaração doutrinária

 

 
Nivaldo Maia de Brito Email: [email protected]                                 
Hosted by www.Geocities.ws

1