. ,
1989

ENQUETE

        Com o lançamento de Kid, no inverno de 89, o grupo viveu um dos grandes momento da carreira: sua obra estava amadurecida, reconhecida e conceitualmente unificada. A exploração da possibilidade romântica e do estilo de composição, servem às suas idéias brilhantemente.

        O texto é claro e profundo. Paula Toller conseguiu extrair seus sentimentos mais íntimos tornando transparente o valor de cada palavra e verso na medida exata de sua intensidade poética.

        Para entender melhor a importância deste trabalho para o grupo, convém ressaltar que é o primeiro em que eles assumem a produção musical na parceria entre George e Nilo Romero, em oito faixas, e Bruno, em uma. Para o grupo, nada é mais tentador do que fazer deste disco um paradigma de sua versatilidade como compositores, músicos e arranjadores.

Paula Toller grávida na turnê KID - Boate Babilônia (RJ), 89 / Arquivo pessoal de Leonardo Pires

        Com a visível maturidade musical do grupo, Cazuza declarava enfaticamente: "Cada dia que passa gosto mais do trabalho do Kid Abelha. A banda não é ruim e descartável como os críticos imbecis tachavam no início dos anos 80". Além dessa e de outras afirmações, o cantor e compositor acabou assinando o realize do disco: "A carreira do Kid começou praticamente junto com a nossa, do Barão, no Circo Voador. Eu não gostava do grupo nem daquela garota tímida miando no microfone, achava tudo muito bobo. Mas a vida e o tempo, os amigos inseparáveis, vieram a me provar que não. A banda, com a energia de George Israel, a contenção de Bruno, firme na guitarra, o charme da Paula, que cada dia canta melhor e fica mais gostosa – está usando os graves, voz de mulher decidida – tudo isso transformou o Kid na maior banda pop brasileira. Eu tenho orgulho de ser parceiro de George Israel e ter uma letra minha neste disco, e assim de uma certa maneira, ser um Kid Abelha".

        As gravações do Kid foram efetuadas no estúdio Nas Nuvens, sob a orientação de Paulo Junqueira e Vitor Farias. No estúdio estiveram: Nilo Romero, no baixo (em todas as faixas); Nico Rezende, Renato Neto, José Lourenço, Herbert Vianna e Joe Peterson, nos teclados; Claudinho Infante, João Barone e Alfredinho Dias Gomes, na bateria; Don Harris e Mattos, nos metais e Marçalzinho e Peinha na percussão. O resultado é impecável com um som potente e limpo.

Voltar ao disco anterior Próximo disco
Voltar à seção de "Discografia"

Hosted by www.Geocities.ws

1