Hitokiri no Kokoro
Yoko Hiyama
 

Capítulo 6 – Espada Quebrada

- Estava te esperando, mestre.

- Eu sei.

As nuvens se avolumaram quando Seijuro Hiko finalmente se mostrou no campo de batalha e, em poucos minutos, as primeiras gotas límpidas de água começaram a cair ao mesmo tempo que  os dois guerreiros se olhavam fixamente, numa disputa mental que nunca teria vencedor.
Aoshi e Saitou largaram suas armas, compreendendo que, a partir de agora, eles pouco ou nada poderiam fazer para interferir naquela disputa e apenas observaram o tenso diálogo entre mestre e pupilo.

- Mestre, eu quero lhe dizer que você está errado. A filosofia final do Hiten Mitsurugi Ryu está errada.

Seijuro não respondeu, apenas franziu as sobrancelhas de forma quase imperceptível, esperando pela conclusão do seu aluno.

- Você me disse que a força mais poderosa que pode existir é o desejo de viver. Que esse desejo é que me torna poderoso. Mas eu descobri que não é assim. A filosofia que você me passou é suja e deturpada, baseada num instinto animalesco e pouco racional de preservação de vida. E é a minha missão destruir de uma vez esse estilo irracional.

A chuva tornou-se mais pesada quando Seijuro abaixou a cabeça por alguns segundos para só então responder:

- O desejo de viver parte de todos os seres humanos. E eles são como esta chuva. Cada pingo é uma vida que mantém o desejo de continuar existindo. O estilo Hiten Mitsurugi é como um reflexo dessa lei tão simples da sobrevivência.

- Por isso estão todos errados. Por isso é tão necessário que se limpe a alma humana de toda essa podridão. E é exatamente isso que eu vou fazer.

- ALUNO ESTÚPIDO! Como você pode destruir a chuva? A vontade de viver é a tradução da própria existência humana!
Foi a vez de Kenshin abaixar a cabeça antes de responder, calmamente:

- Eu vou limpar o mundo da existência humana. Se preciso for destruirei cada pingo de chuva, um por um. Mostrarei a todos que  o desejo de morrer é mais poderoso do que o desejo de viver. E começarei isso por você!

- Eu concordo! Vamos ver qual de nós é mais poderoso! – Seijuro respondeu, tirando a espada da bainha e se posicionando para desferir o seu ataque mais mortal. O Amakakeru Ryu no Hirameki. Kenshin fez o mesmo.

Os dois se estudaram por algum tempo, em busca do momento certo de atacar. Ambos sabiam que a luta seria decidida em milésimos de segundo. Aquele que estivesse realmente certo, venceria.

- Eles não percebem? A velocidade será a mesma! – Saitou falou, fazendo força para se levantar.

- Sim.... as duas forças... negativa e positiva... morte e vida... sempre se equipararam. Mas Kenshin ainda tem aquela energia demoníaca....

- As espadas vão quebrar....

- E Seijuro... vai morrer devido ao novo poder do Batousai. Ele vai absorver a energia do próprio mestre.... e então se tornará invencível.

- Merda! Eu não vou deixar isso acontecer!

- O que vai fazer? Saitou! – Aoshi tentou gritar quando se deu conta da loucura que o outro estava prestes a cometer.

- Vamos lá. Ankoku Amakakeru Ryu .... – Kenshin fez o primeiro movimento.

- ... no Hirameki!!!!! – Seijuro gritou, partindo pra cima do inimigo.

O poder explodiu entre eles numa mistura atordoante de ken-ki e youki.

As duas espadas se quebraram com impacto poderoso e então Kenshin tentou esticar o corpo para cravar os dentes na carne de Seijuro e assim se alimentar do seu corpo e de sua energia. Mas foi nesse mesmo milésimo de segundo que ele sentiu que Saitou o segurava firmemente por trás.

- AAAAAAAÁÁÁÁÁHHHHHH!!!!!!!! – Kenshin gritou quando a metade da lâmina da espada do seu mestre penetrou sua barriga ao mesmo tempo que sua espada, também quebrada rasgava Saitou do peito ao abdômen de uma vez só. Mas nem por isso, se viu livre do abraço que impedia seus movimentos. – Isso é injusto....

- A minha vontade de viver falou mais alto desta vez... – Saitou falou cinicamente, quase sem forças para manter os olhos abertos.

- ME LARGUEEEE!!!!

-Não....

- EU VOU TE MATAR!

- Eu não vou deixar você nesse mundo!

- EU JURO QUE VOU TE MATAAAAR!!!! – Kenshin gritou, lutando de uma forma selvagem para se livrar do doloroso abraço do seu inimigo. Mas nem as cotoveladas, nem a sensação dolorosa do youki de Kenshin invadindo o seu corpo, muito menos o sangue viscoso que na parava de deslizar dos seus ferimentos abertos fariam com que Saitou desistisse da sua missão.

- Seijuro Hiko!!! Acabe logo com isso! – Aoshi gritou ao ver que este observava a tudo impassível, sem sequer se mover. E então, como se estivesse sido acordado de um transe, Seijuro se posicionou para seu último ataque, não antes de deixar de escapar uma última frase.

- Me desculpe.... Kenshin.... agora eu compreendo....

Num movimento ligeiro, Seijuro fez um corte profundo na pele do braço de Kenshin, que apenas pôde arreganhar os dentes de ódio, indefeso. Porém, o golpe serviu apenas para distraí-lo. A verdadeira intenção era empurrá-lo de uma vez para o portal recém-criado que prenderia Kenshin no Makai definitivamente.

Saitou percebeu logo a oportunidade e fez um último esforço com o intuito de empurrar o inimigo. Um puxão forte tirou o equilíbrio de Kenshin, um segundo empurrão fez com que ele caísse no chão, sem mais forças, levando o corpo pesado de Saitou junto com ele.

- EU VOU MATAR VOCÊS! VOU MATAR VOCÊS! VOU MATAR VOCÊS! – era tudo que Kenshin conseguia falar, ou melhor, grunhir, enquanto era empurrado para cada vez mais próximo do portal.

- Venha, Batousai! Nós vamos juntos! – Saitou garantiu, a dor fazendo sua visão ficar cada vez mais turva.

- MATAR! DILACERAR! TODOS VOCÊS! AAAAAAAÁHHH!!! – foi a resposta de Kenshin.
Aoshi também juntou sua últimas forças para ajudar Saitou e Seijuro a empurrarem Kenshin, dando uma decisão naquele cabo de guerra, que longe de ser uma disputa física, era muito mais espiritual. A força de Kenshin podia estar esmaecida pela ferimentos e cortes, mas continuava sendo esmagadora. A disputa parecia estar longe de acabar.

Os quatro se arrastavam no chão como animais, grunhindo, gritando, suando, enquanto se empurravam com toda a força que tinham. As espadas a muito haviam sido colocadas de lado e, no lugar delas, ficara apenas a vontade de vencer, de viver e morrer de cada um daqueles guerreiros. Kenshin mordia o braço de Aoshi ao mesmo tempo que tentava desesperadamente se livrar dos demais, que o apertavam de uma forma asfixiante, dolorosa. Algum tempo de luta sem tréguas se passou até que o portal fosse ficando perigosamente próximo e mais próximo e mais próximo.....

“Kaoru... Kenji....”

-NÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!!!!!!!!!!!

******

Já era noite e não existia mais chuva quando Aoshi acordou e se deu conta de que havia sobrevivido a todo aquele pesadelo. Pesadelo? A dor excruciante na barriga e no braço lembravam da realidade macabra daquela luta. Olhou em volta, ainda atordoado. -  Estava sozinho. -  Sabia que Saitou havia sido puxado pelo portal, provavelmente morto pelos inúmeros golpes de Kenshin. Já Seijuro...

Não, não importava mais.

Kenshin já não pertencia a esse mundo.

Estava tudo bem então, não é?

Com certeza, estava tudo bem...

Continua...



Capítulo 7
Hitokiri no Kokoro
 
 
 
Hosted by www.Geocities.ws

1