Seja Bem-Vindo !
:: Home
:: Retinoblastoma
:: Fotos
:: Estudos Bíblicos
:: Curios. Bíblicas
:: Receitas
:: Frases
:: Gravidez&Bebê
:: Meus Quadros
:: Humor
:: Quem sou
:: Contato
:: Dicas
:: Histórias
:: Vacinas

10 mandamentos para combustível do carro

Essas dicas rápidas servem para você economizar combustível:

1 - Não estique as marchas, trocando-as numa rotação mais adequada.
2 - Trabalhe com aceleração progressiva e controlada. Nada de arrancadas e freadas bruscas.
3 - Sempre faça as revisões e manutenções preventivas nos bicos, velas, e peças necessárias.
4 - Escolha bem o posto onde vai abastecer para evitar prejuízos com combustível adulterado.
5 - Utilize preferencialmente gasolina aditivada, ou aditivos para manter o sistema 'limpo'. Entretanto, jamais misture gasolina comum com aditivada no tanque, pois a 'sujeira' retirada da própria gasolina comum vai ficar acumulada.
6 - Verifique rotineiramente as condições do filtro de ar.
7 - Não ultrapasse a velocidade limite do carro.
8 - Faça uso do freio motor em declives acentuados.
9 - Sempre deixe os pneus na calibragem correta, e não carregue peso 'morto' (desnecessário) no carro.
10 - Faça uso do ar-condicionado só em situações necessárias, pois o exagero aumenta bastante o consumo.

Ajustar o cinto de segurança

O uso do cinto de segurança é obrigatório em todo o território nacional, e o desrespeito a essa regulamentação é passível de multa e sanções. As estatísticas mostram que o acessório realmente é eficaz na preservação da vida na maioria dos acidentes. Por isso, ao invés de pensar em uma desculpa para não usá-lo, é melhor ajustar o equipamento corretamente:

:: Empurre o banco para trás o máximo possível. Quanto mais longe ficar do painel frontal, menor é o risco de bater em uma colisão. Mas lembre-se que as pernas precisam ficar levemente flexionadas quando os pés tocam os pedais e não inteiramente retas.

:: Desembarace o cinto antes de colocá-lo. O objetivo é controlar a força do impacto com a faixa. Se ela estiver enrolada ou torcida, a área de absorção da força ficará reduzida.

:: Coloque o cinto inferior envolvendo a cintura, não a barriga. Mantenha-o apertado. Seus ossos da bacia e cintura são grandes e fortes e capazes de resistir melhor à tensão do impacto do que o abdomên.

:: Mantenha a cinta de ombro confortável sobre o peito. Ela deve cruzar seu tórax. Nunca passe o cinto por trás do ombro. Você pode ferir gravemente o pescoço, costelas e até o fígado, em caso de acidente.

:: Certifique-se que ambas as faixas estão apertadas. Frouxas elas são ineficazes e permitirão que seu corpo deslize para a frente para o impacto.

Aviso: Mulheres grávidas devem usar o cinto sobre a parte superior das coxas. Apesar de ser incômodo, esse procedimento pode salvar duas vidas.

Arrancadas bruscas

Essa situação é muito comum em semáforos: após o sinal abrir, o motorista acelera rapidamente provocando uma arrancada brusca. Ele pode até não saber, mas está prejudicando, e muito, o veículo. A primeira consequência é o consumo excessivo de combustível nessas horas. Depois, o câmbio e os coxins são forçados ao extremo podendo até quebrar. Além disso, juntas homocinéticas e engrenagens são afetadas, comprometendo a durabilidade. Portanto, o melhor é evitar essas arrancadas.

Atravessar lombadas

Para preservar seu carro, não passe por uma lombada diagonalmente. Apesar de ser mais bonito e elegante, isto provoca uma força exagerada em um dos lados, provocando uma torção da carroceria.

Balanceamento dos pneus

É fácil perceber quando o carro está desbalanceado: a roda vibra e passa a trepidação para o volante. Em alguns carros a trepidação ocorre em baixa velocidade, em outros a mais de 80 km/h. Mas é uma trepidação facilmente percebida pelo motorista. Nesse caso, é recomendável procurar uma oficina ou posto especializado.

Barulho no freio

Às vezes ao acionar o freio ouve-se um barulho parecido com um assobio. Esse chiado pode ser do desgaste da pastilha ou do tipo de material usado na fabricação da peça.

Bateria fraca de injeção eletrônica

Se seu veículo for de injeção eletrônica e a bateria estiver fraca, não adianta tentar aquele velho truque de fazer o carro 'pegar no tombo'. Isso porque a bomba de gasolina não vai consequir presturizar o combustível nos bicos injetores. A única alternativa viável é apelar para a conhecida 'chupeta' (ligação com bateria de outro veículo). É importante ficar atento para a polaridade das baterias.

Cálculo do consumo de combustível

Essa dica é muito importante para o motorista que deseja saber se seu veículo está consumindo muito ou pouco combustível por quilômetro rodado. O procedimento para calcular é válido para carro, moto, caminhões. Ao abastecer o veículo, encha o tanque completamente e zere o hodômetro, ou simplesmente anote a quilometragem percorrida.

Rode normalmente com o carro até que a quantidade de combustível atinja a reserva do tanque. Nesse momento, você terá que abastecer de novo seu veículo. Tente reabastecer na mesma bomba e na mesma posição da vez anterior. Encha o tanque novamente e anote quantos litros de combustível foram colocados. Registre também a quantidade de quilômetros percorridos entre uma abastecida e outra. Depois é só dividir os quilômetros pelos litros de combustível para obter o consumo médio do veículo.

Esse cálculo será mais preciso a depender da quantidade de combustível que seja colocada no tanque. Quanto mais líquido o tanque comportar, o resultado vai ficar mais próximo ainda da média de consumo.

Carro ligado sem funcionamento do motor

Os motoristas que deixam o carro ligado sem o funcionamento do motor (normalmente para fazer o ventilador ou o som funcionar) estão causando danos à bobina do automóvel. Se o motor não estiver funcionando, a bobina sofre aquecimento excessivo, provocando o desgaste da peça.

Checagem do óleo do carro

Você precisa checar regularmente o nível do óleo do motor para mantê-lo sempre na quantidade ideal. É bom sempre executar essa operação quando o motor estiver morno, pois se o carro estiver quante o óleo expande e frio ele se contrai.

Estacione o carro numa superfície plana e desligue o motor. Abra o capô e retire a vara de metal para a medição. Limpe o equipamento e depois introduza completamente no recipiente do óleo.

Verifique a linha do óleo deixada no metal em comparação com a marca existente na vareta. Se o óleo estiver abaixo da linha marcada, some uma quantidade pequena de óleo com um funil. Alguns medidores têm duas linhas para mostrar que o nível de óleo deve ficar entre ambas.

Coloque o óleo no recipiente localizado no topo do motor sempre em pequenas quantidades (é mais fácil adicionar o óleo necessário do que tentar remover o excesso). Ao final, confira novamente o nível do óleo e feche bem a tampa do recipiente.

Combater o sono ao volante

Os perigos de uma cochilada ao volante podem ser fatais para motorista e passageiros. Por isso, é sempre recomendável tomar algumas precauções para o cansaço da noite não se tornar um vilão. Em viagens longas, faça uma parada a cada duas horas para uma caminhada. Utilize água fria para lavar o rosto e a nuca.

Procure dirigir com as janelas semi-abertas e direcione o fluxo do ar condicionado para o rosto. Na falta de um companheiro para conversar, ligue o rádio e dirija cantarolando algumas canções. Se essas medidas não ajudarem a afastar o sono, o jeito é parar o carro em algum lugar seguro e tirar uma soneca.

Como agir na derrapagem

Saber como agir no momento de uma derrapagem é questão de segurança e pode evitar acidentes. Carros com tração dianteira costumam derrapar com a frente para fora da curva. No instante da derrapagem, tire o pé do acelerador e não pise no freio. Gire o volante para dentro da curva, com o objetivo de controlar a derrapagem. Acelere progressivamente para sair da curva.

Em veículos com tração traseira, a derrapagem geralmente acontece com o fundo para fora da curva. Tire o pé do acelerador e, sem frear, gire o volante para o lado contrário da curva. Quando o carro começar a virar para dentro da curva, acelere progressivamente.

Como proteger suspensão de buracos

A depender do estado das estradas, a rotina do motorista pode ser apenas desviar de buracos. As irregularidades das ruas são os principais inimigos da suspensão e podem danificá-la seriamente. Em alguns casos, nem o máximo de atenção é capaz de evitar o choque com o buraco. Nessa situação, você pode minimizar o prejuízo para a suspensão com uma técnica simples.

Quando avistar o buraco, primeiro verifique se há algum carro atrás do seu e logo em seguida vá freando o veículo. Na hora de passar pelo buraco, pise na embreagem e deixe o carro solto. Se o carro estiver freado, a roda cairá travada no buraco podendo empenar o aro, desalinhar a roda ou até mesmo quebrar a suspensão.

Conservação da lataria e pintura

Quando for lavar o carro, comece de cima para baixo e utilize um outro pano para limpar da metade do carro para baixo. Dê um jato forte d’água para remover bem a sujeira, pois sujeira que fica, arranha a pintura na hora que passar o pano. Utilize sempre o pano bem macio, tipo toalha. Utilize sempre sabão neutro ou recomendável para automóveis. Lave o carro uma vez por semana ou pelo menos remova a poeira da lataria.

Conservação da pintura do carro

O grande segredo para a pintura do seu carro durar mais tempo é evitar que o veículo permaneça longos períodos sob a incidência de raios solares. Ficar estacionado sob sol ou chuva também costuma diminuir bastante o brilho da pintura do carro.

Uma forma de minimizar os estragos é encerar a lataria, depois da lavagem. De preferência, utilize a cera abrandada, pelo menos uma vez a cada três meses. Dessa forma, você estará colocando um película protetora na superfície do veículo.

Ceras abrasivas só são recomendadas quando é necessário dar um polimento em pinturas oxidadas. Entretanto, exagerar no uso desse produto pode causar graves problemas. Se este tipo de pasta for utilizado sucessivamente três ou quatro vezes pode desgastar tinta e comprometer a aparência da pintura.

Conservação das dobradiças, maçanetas e travas

Deve-se dar jatos de ar para remover o excesso de poeira nessas partes. Após feito isso, aplique óleo lubrificante (aerosol é o recomendado). Com certeza você verá a diferença ao abrir e fechar as portas.
Pelo menos uma vez a cada dois meses faça uma aplicação de óleo nessas partes. Independente de lavá-las ou não.

Conservação de bancos de couro

Bancos de couro dos veículos podem manter sua aparência original por um bom tempo se forem observados cuidados simples. O principal é evitar a incidência de raios solares diretamente sobre o couro. O sol é o pior inimigo desse tipo de material. Com o tempo, ele deixa o couro ressecado e com aparência quebradiça.

Na limpeza, nunca devem ser utilizados produtos como vaselina ou silicone. Apesar de serem bastante usados nas lavagens feitas por postos de gasolina, eles contribuem para o desgaste, pois penetram no couro. Além de estragar, são capazes de atingir a cola provocando o descolamento da forração. Na hora de limpar ou remover manchas, opte por um pano limpo e sabão neutro.

Outro cuidado é evitar arranhar o banco. Isso acontece com calças ou roupas que têm acessórios metálicos, que produzem riscos no couro.

Conservação e revisão do carro

Deve-se, com certa frequência, fazer uma revisão no veículo. Semanalmente, checar a calibragem dos pneus, a água do radiador, o nível do óleo do motor, o óleo da direção hidraúlica (se existir), o óleo de freio e lavá-lo.

Cuidado na ignição do carro

Na hora da dar a partida do motor não é bom permanecer com a chave no último estágio da ignição. Com essa atitude, o motor de partida sofre uma espécie de tranco no motor. Quanto maior for a frequência dessa ação, menor será a vida útil da peça. Em situações extremas, isso pode até comprometer o funcionamento do sistema de partida do veículo.

Cuidados com bateria do carro

Uma série de cuidados com a bateria são necessários para garantir o bom funcionamento do veículo. Verifique sempre se a solução está no nível adequado. Se não estiver, mande colocar água destilada. Observe se há sinais de cor esverdeada ou esbranquiçada nos terminais da bateria. Isso pode indicar pontos de oxidação. Caso seja verdade, o funcionamento da bateria está prejudicado e, conseqüentemente, o sistema elétrico também. O processo correto para remover este material é derramar sobre os terminais uma solução de água - de preferência morna - com bicarbonato de sódio. Para proteger os terminais contra a oxidação, use vaselina ou mel de abelha. Não utilize graxa

Cuidados com o catalisador do carro

Vários cuidados devem ser tomados para que o catalisador do automóvel dure por mais tempo. Aí estão as principais recomendações:

1. Desligar os bloqueadores de ignição;
2. Evitar fazer com que o motor do carro 'pegue no tranco';
3. Deixar de lado o hábito ruim de dar bombeadas no acelerador;
4. Evitar as partidas contínuas quando o motor se recusa a ligar;
5. Manter bicos injetores, filtros e velas sempre limpos;
6. Realizar a manutenção peródica indicada no manual do proprietário;
7. Usar sempre peças originais, dentro das especificações da fábrica, e abastecer com combustível de boa qualidade.

Cuidados com os pneus

A pressão dos pneus deve ser verificada a cada 15 dias e sempre antes de viagens longas. A pressão inadequada dos pneus pode prejudicar a dirigibilidade do veículo. Uma dica é só realizar qualquer inspeção nos pneus quando eles estiverem frios.

A calibragem deve ser feita obedecendo as recomendações do fabricante. Tradicionalmente, a pressão dos pneus traseiros é de 4 a 6 libras maior do que os dianteiros, para suportar melhor a carga. E o estepe deve ser mantido com uma pressão ligeiramente superior à normal, pois costuma perder ar com o tempo.

Além da calibragem, as rodas devem ser removidas periodicamente para descobrir possíveis sinais de dano nas paredes internas. As bandas de rodagem podem apresentar falhas. Verifique se elas estão gastas e remova qualquer fragmento pontiagudo com uma chave de fenda. Em seguida, veja se o pneu está perdendo pressão.

Se apresentarem muitas rachaduras, é o momento de trocá-los. As depressões podem ser causadas por derrapagens. O execesso de pressão provoca o desgaste irregular do centro da banda de rodagem. Já o desgaste das bordas indica que a pressão do pneu está abaixo da adequada. Se houver abrasão em apenas um dos lados da banda de rodagem, verifique a direção e a suspensão. Os pneus que apresentam deformações nas paredes laterais devem ser substituídos o quanto antes.

Cuidados para injeção eletrônica

A injeção eletrônica é um equipamento que pode provocar um grande prejuízo se necessitar reparos. Por isso, é melhor evitar que ele seja danificada com medidas simples:

:: Opte por gasolina de boa qualidade e evite deixar o tanque na reserva ou com nível baixo de combustível, pois isto sobrecarrega a bomba elétrica.

:: Verifique a vela de ignição a cada 7 mil quilômetros e troque o filtro de combustível a cada 20 mil quilômetros. É preciso também fazer limpeza dos bicos injetores a cada 30 mil quilômetros rodados.

:: Certifique-se do bom funcionamento da bateria para garantir o funcionamento da bomba elétrica. Evite fazer o carro pegar no tombo.

Dar a partida em dias frios


No inverno ou em dias mais frios, alguns carros, tanto a álcool quanto a gasolina, têm problemas para dar a partida. Isso é relativamente comum, pois com a temperatura baixa as baterias ficam com carga reduzida. Com uma partida demorada ela pode até queimar. Não adianta forçar a barra, o melhor é utilizar alguns macetes.

Se o automóvel for carburado, o correto é acionar o afogador, pisar duas ou três vezes no acelerador e só então girar a chave. Se após sete segundos tentando o carro não pegar, interrompa o processo, aguarde mais cinco segundos e tente novamente. Forçar a partida prejudica a bateria e danifica o motor de arranque.

Por outro lado, em carros com injeção eletrônica, você deve ligar o carro sem dar a partida logo de primeira. Aguarde cinco segundos e só então gire a chave completamente. O próprio sistema eletrônico vai se encarregar de ajustar a temperatura nesse intervalo.

Não adianta ficar forçando a partida, pois isso pode fazer a bateria queimar, em casos extremos. Com qualquer tipo de carro (carburado ou com injeção), se houver muita demora para ele ligar deve haver problema de regulagem. E isso só é consertado por um mecânico.

Defeito na embreagem

De acordo com os mecânicos, o ideal é o motorista fazer uma revisão na embreagem a cada 10 mil km, para manter a integridade do sistema. Para identificar se a embreagem está com algum problema, basta observar os seguintes itens:

- O pedal fica mais duro do que o normal, exigindo mais força na hora de pressioná-lo

- É possível ouvir o rangido do cabo da embreagem, sempre provocando um cheiro de lona de freio queimada

- As marchas começam a arranhar mesmo com o pedal da embreagem totalmente pressionado

Nesse caso, antes de efetuar a troca completa do conjunto, vale a pena substituir somente o cabo. A maioria dos problemas surge por causa de seu desgaste.

Diagnóstico de problemas no motor

Várias podem ser as razões para quando o motor do carro demora a dar a partida ou não pega. Relacionamos algumas delas:

- Carburador sujo ou entupido por impurezas presentes no combustível;
- Motor afogado por excesso de combustível;
- Bateria com pouca água, ou com cabo frouxo ou oxidado;
- Desregulagem do ponto de ignição;
- Velas gastas e cabos de vela mal colocados ou úmidos;
- Motor de arranque apresentando algum defeito;
- Rachamento ou defeito na tampa do distribuidor;
- Falta de combustível no reservatório;

Em carros com ignição eletrônica, além desses problemas podem aparecer platinados gastos, queimados ou mal ajustados.

Quando o veículo está rodando e engasga repentinamente, como se estivesse sem força, a causa geralmente é alguma impureza no tanque de combustível que entupiu o carburador ou a bomba. Também é provável uma falha no sistema elétrico, tampa do distribuidor ou defeito na bobina de ignição.

Todas essas dicas servem para você procurar ver a causa do defeito no carro, evitando consertos mais complicados e dispendiosos. Para ajudar na solução, recomenda-se a leitura do manual do fabricante.

Dicas de prevenção contra roubo

A escalada da violência impõe uma série de medidas para diminuir as chances de seu automóvel ser roubado. Uma delas é não deixar objetos expostos no interior do veículo. Pacotes, bolsas, roupas caras, equipamentos eletrônicos devem ficar trancados no porta-malas ou porta-luvas. A visão deles aguça a vontade dos assaltantes em fazer o arrombamento.

Estacione seu carro em locais confiáveis, principalmente em estacionamentos que sejam pagos e vigiados. Pode ser um pouco dispendioso, mas esses locais dão garantia e possuem até seguro próprio contra furtos. Se for colocar na rua, opte por lugares de boa visibilidade.

Um recurso utilizado por assaltantes é provocar uma leve colisão. Ao parar e sair do veículo, os marginais costumam fazer o roubo. Se você notar alguma movimentação estranha, anote a placa do veículo que colidiu com o seu e registre a ocorrência depois.

Fique atento se não está sendo seguido. Nesse caso, procure manter a naturalidade e guiar seu carro até um local onde haja policiais. Se, por outro lado, você perceber que o carro está sendo roubado jamais aja por conta própria. Chame a polícia e deixe que eles façam a abordagem.

Procure não parar em sinais fechados tarde da noite. Prefira reduzir a velocidade do veículo antes do semáforo para dar o tempo do sinal abrir. Em caso de parada, mantenha a primeira marcha e conserve uma distância do carro da frente suficiente para fazer uma manobra de emergência. Jamais discuta ou troque ofensas com outros motoristas, é impossível prever a reação de alguém que você não conhece.

Diminuir desgaste da embreagem

O mecanismo da embreagem sofre desgaste com o tempo, que pode ser minimizado com a observação de algumas regras básicas. O pedal de embreagem deve ser usada apenas para mudanças de marcha e rapidamente. No entanto, alguns motoristas quando estão dirigindo esquecem o pé sobre ele, provocando o abuso da peça.

Quando parar o carro, principalmente em semáforos, é aconselhável colocar em ponto morto. Se isso acontecer em uma ladeira, use o freio de mão. Não segure o carro com a embreagem, pois essa não é a função dela. Evite manter o carro engatado, pois isso diminui a vida útil do sistema de embreagem. Isso serve também para você relaxar o braço e as pernas.

Direção segura para gestantes

Desde que não se sinta em posição incômoda, a gestante pode muito bem continuar dirigindo se tomar as precauções necessárias para não criar problemas à gravidez. A Associação Brasileira de Acidente e Medicina de Tráfego (ABRAMET) tem uma série de recomendações para a mulher grávida:

:: A principal delas é sobre o uso de cinto de segurança. Ele é indispensável desde que seja o de três pontos: a faixa subabdominal fica abaixo da barriga e deve ser bem ajustada sem, no entanto, apertar ou provocar incômodo; a faixa deve passar entre os seios e pelo lado do útero.

:: O cinto abdominal (aquele de faixa única presente no banco traseiro) não pode ser usado, pois há riscos de comprimir a barriga e provocar o descolamento da placenta. Por isso, a gestante deve sempre viajar no banco da frente.

:: O volante com inclinação ajustável deve ficar na posição mais elevada possível, acima da barriga.

:: O encosto do banco tem que ficar perpendicular ao assento (formando ângulo de 90 graus), tanto para o passageiro quanto para o motorista.

:: O banco deve ser afastado do volante sem comprometer a dirigibilidade. Quanto mais distante a barriga da grávida ficar do painel, mais segura estará.

Dirigir bem

Dirigir bem é uma arte que exige cuidados. Não ´espiche´ as marchas em excesso (fazer o motor rodar a mais de 3 mil giros). Sempre use a marcha adequada para cada velocidade sem arrancadas bruscas.

Quando estiver trafegando por ruas esburacadas, procure andar em baixa velocidade e sempre que cruzar em elevações ou buracos (como lombadas e quebra-molas) mantenha a embreagem pressionada ou pare e arranque vagarosamente. Se você cruzar com alguma marcha engatada, sem pisar na embreagem, as engrangens da sua caixa de marchas vão sentir uma enorme pressão e você vai sofrer uma grande sacudida.

Eliminar cheiro de gasolina das mãos

Para tirar o cheiro de gasolina, molhe as mãos, esfregue borra de café (pó de café) nelas e deixe por alguns minutos. Enxague. Repita a operação, mais uma vez.
Pronto! Sumiu o cheiro forte e impregnante.

Equipamentos elétricos do carro ligados

Todo motorista deve ter bastante atenção para evitar dar a partida no carro com equipamentos elétricos ligados. As baterias têm um limite máximo de liberação de carga sem prejudicar a integridade. Por isso, uma vez esse limite excedido, danos serão causados. Portanto, nunca esqueça de desligar som, faróis e ar condicionado na hora de dar o start no motor.

Estojo de primeiros socorros do carro

É importante ter no veículo um estojo com produtos para primeiros socorros. Ele permite que você trate rapidamente lesões em caso de acidentes e pode até salvar vidas. Os itens de um estojo para automóvel devem ser:

:: Curativos rápidos;
:: Compressas esterilizadas;
:: Ataduras grandes;
:: Pomadas anti-sépticas e anti-histamínicas;
:: Tesoura sem ponta;
:: Loção de calamina para ser utilizada em caso de queimaduras solares.

Evitando eletricidade estática-1

Muita gente toma choques leves ao sair do carro e encostar na porta. Isso acontece por causa da eletro-estática. Um eletricista disse que para evitar o problema basta tirar os cabos da bateria e aterrar com outros dois cabos até o chão, deixando-os em contato com a terra durante 30 minutos. Fiz isso e até agora não tive mais choques constantes.

Evitando eletricidade estática-2

A eletricidade estática que se acumula entre o banco e os ocupantes do carro pode provocar pequenos choques quando a pessoa sai do veículo. O fenômeno é comum em períodos de baixa umidade relativa do ar, normal no inverno. Geralmente, o choque ocorre quando se toca algum objeto com carga de energia diferente da acumulada pelo corpo.

Uma técnica quase sempre eficaz para descarregar a eletricidade e evitar o choque é tocar numa parte metálica do veículo antes de sair de contato com o banco. Você pode, por exemplo, abrir o vidro do carro e sentado mesmo colocar a mão na área externa da porta.

Frenagem em pista molhada

Quando estiver dirigindo em pista molhada, nunca libere bruscamente o pedal da embreagem depois de reduzir a marcha. Essa ação pode acarretar frenagem nas rodas motrizes e fazer com que o carro derrape na pista. Sempre que reduzir a marcha em pista molhada, faça suavemente. Engrene a marcha e depois solte gradativamente o pedal da embreagem

Lavagem de carro

A lavagem do carro exige uma preparação toda especial. Utilize sempre água morna, sabão neutro (de preferência os especiais para carro), ou xampu especial para veículos. Sempre tome o cuidado de lavar o carro na sombra e com jato de água não muito forte, pois o sol, junto com a água e o sabão, podem manchar a pintura, se o veículo não for secado a tempo.

Não lave o motor com jato de água, pois a pressão pode infiltrar líquidos em partes que não devem ser molhadas. Lave com sabão especial ou apenas gasolina ou querosene e um pano limpo. Se você não tem segurança ou conhecimento para lavar o motor, não o faça; mande numa oficina ou posto de lavagens especializado, pois de outra forma poderá danificar alguma peça mais sensível.

Limpeza de estofados do carro

A durabilidade dos estofados do veículo depende da limpeza regular. Semanalmente, os estofados devem ser aspirados para a retirada de sujeira. Manchas de líquidos cremosos, como sorvete, precisam de cuidados especiais. A sujeira deve ser removida com sabão neutro esfregado levemente em movimentos circulares para não estragar o tecido. Da mesma forma, manchas de batom ou graxa devem ser limpas com sabão neutro e escova.

Você sabe lavar o seu carro ?

Pode parecer algo simples, mas lavar o carro é um exercício que exige muita paciência e cuidados, além de métodos e produtos adequados. Quem gosta do seu carro, já teve a experiência de passar o fim-de-semana no ritual de lavagem. Mas alguns regras básicas são ignoradas pela maioria dos proprietários.

A maioria das pessoas escolhe locais a céu aberto, em dias de sol, para fazer o trabalho, quando o correto é escolher espaços à sombra. “Outro erro comum é esfregar a lataria com força para retirar fezes de passarinho ou cica de laje. Isso jamais pode ser feito, pois além de não dar resultado, pode acabar com a pintura”, explica Luiz Guilherme Mattos, diretor da SSA, que oferece serviços de conservação automotiva e cursos na mesma área.

Siga essas dicas para não estragar o carro ao invés de valorizá-lo, siga este roteiro de limpeza:

1. O primeiro passo é molhar o carro de cima para baixo. Durante a lavagem, tenha o cuidado de não deixar a lataria secar no tempo, pois isso causa o aparecimento de manchas.

2. Use apenas sabão neutro ou um xampu apropriado diluído em água. Produtos abrasivos ou feitos para limpeza pesada (como os detergentes ou querosene) destroem a pintura.

3. Na hora de esfregar, use uma toalha ou pano de algodão novo. Tecidos velhos ficam ressecados e arranham a lataria. Comece pelo teto, depois lave os vidros e pára-lamas. Deixe o capô aberto por um tempo para dissipar o calor do motor. Lave por último a parte de baixo da carroceria, aquela que fica sob o friso lateral ou vinco, seguindo depois para as rodas e pneus. Se começar a limpeza por ali, ponto onde há acúmulo de terra, o pano utilizado ficará carregado de grãos, causando mais arranhões.

4. Recolha todos os objetos antes de começar a limpeza. Esvazie o cinzeiro, os porta-trecos e veja se não há nada esquecido debaixo dos bancos. Abra as portas e comece limpando as soleiras, com um pano úmido.

5. Não passe produtos abrasivos nos revestimentos. Prefira um pano úmido. Na hora de limpar os vidros por dentro, pode-se utilizar um produto apropriado para o serviço, desses vendidos em supermercados.

6. No painel, passe apenas um pano seco. Não use produtos como silicone ou qualquer outro que dê brilho, pois isso causará reflexos no pára-brisa e prejudicará a visibilidade. Limpe os botões e grades da ventilação com um pincel.

7. Na hora de passar o aspirador, retire os tapetes e tenha cuidado com o bico de sucção. Com o uso, este pode ficar afiado como uma faca e cortar o revestimento dos bancos. Nos pontos de difícil alcance, opte por empurrar a sujeira para partes mais acessíveis.

8. É possível passar um pano úmido no estofamento, mas com muito cuidado. O excesso de água pode causar mau cheiro.

PNEUS

É verdade que correr gasta mais o pneu?

Evite dirigir em alta velocidade, pois exige maior esforço da carcaça, provocando superaquecimento e acelerando o desgaste.
Fazer curvas em alta velocidade forçam o atrito, causando desgaste excessivo nas laterais da banda de rodagem.
Pegar estrada com o carro pesado danifica o pneu?

Não rode com excesso de carga no veículo: pode haver deformação e quebra da estrutura dos pneus, além do comprometimento de todo o sistema de suspensão.
De quanto em quanto tempo é bom calibrar?

A calibragem deve ser feita semanalmente, sempre com pneus frios, e tendo o cuidado de rodar com a pressão indicada pelo fabricante, pois a calibragem incorreta é o principal fator que diminui a vida útil dos pneus.
É bom esquentar o motor do carro no frio?

Mesmo no inverno, não deixe o motor funcionando muito tempo para aquecer. A temperatura ideal é atingida mais facilmente com o carro em movimento. Basta dirigir com suavidade.
Se o carro quebrar é só empurrar?

Se o veículo possuir catalisador, evite fazê-lo pegar no tranco. O combustível ainda não queimado pode se alojar no interior do equipamento, o que aumenta o risco de superaquecimento do motor.
Qual é o grande problema de não descer engrenado?

Ao descer uma ladeira, procure usar a mesma marcha que colocaria se estivesse na subida, pois o maior esforço dos freios pode levar os discos e pastilhas ao superaquecimento, podendo deixar o carro sem freio.
Freio motor poupa as pastilhas?

Ao aproximar o carro de cruzamentos e semáforos, tire o pé do acelerador e mantenha a marcha engatada para que o motor diminua a velocidade do carro. Você evita freadas bruscas e preserva discos e pastilhas de freio.
Quando é bom aumentar a pressão dos pneus?

Calibre os pneus sempre que for pegar estrada. Excepcionalmente nessas condições, é aconselhável utilizar duas libras acima da normalmente recomendada.
Como saber quando trocar o pneu?

Os pneus trazem indicadores de desgaste. Estão localizados em seu costado, entre os sulcos e em alto-relevo. Quando eles se tornam visíveis, chegou a hora de substituir o pneu.
Qualquer carro suporta grandes pneus?

Use sempre as medidas de pneus indicadas pelo fabricante do veículo, que são informadas no manual do proprietário. Tamanhos diferentes daqueles recomendados alteram o comportamento da direção, tornando o carro inseguro.
Afinal, para que serve o rodízio de pneus?

Para igualar o uso dos cinco pneus do carro (incluindo o estepe), faça um rodízio a cada 5000 quilômetros. Ele compensará as diferenças do desgaste, permitindo aumento de quilometragem e proporcionando boa estabilidade.
Como saber a hora de balancear?

O primeiro sinal de que é preciso fazer um balanceamento das rodas é o aparecimento de trepidações no volante. Fique atento, também, a qualquer desgaste irregular dos pneus.
Rodas de liga-leve precisam de atenção especial?

Evite passar em buracos, essa ação poderá entortar ou amassar as rodas, chegando a inutilizá-las.
Rodar com os pneus vazios pode atingir e danificar as rodas.
Nunca utilize rodas recuperadas, elas não garantem qualquer segurança.
Para comprar rodas, procure lojas especializadas que ofereçam garantia e orientação técnica.

Pais ou responsáveis,
Depois que passamos pelo problema, resolvi fazer este site como alerta aos pais e avós. Sobre o perigo do

MATEUS 11:28 -Vinde a mim, todos os que estão cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
Hosted by www.Geocities.ws
GridHoster Web Hosting
1