BIOFÍSICA

 

TRANSFUSÃO SANGÜÍNEA

 

CLASSIFICAÇÃO DOS DESVIOS DO EQUILÍBRIO ÁCIDO-BASE

 

INTRODUÇÃO

 

Figura 6. Classificação dos distúrbios do equilíbrio ácido-base, conforme o seu mecanismo de produção.

 

Os distúrbios do equilíbrio ácido-base são classificados conforme os seus mecanismos de produção. Dessa forma, as alterações podem ter origem respiratória ou metabólica. Esses desvios correspondem, portanto, a quatro tipos de alterações, relacionadas na figura 6.

 

Os desvios do tipo respiratório devem-se a alterações da eliminação do dióxido de carbono. Os desvios do tipo metabólico não sofrem interferência respiratória na sua produção.

 

Conforme a duração, os desvios do equilíbrio ácido-base podem ser agudos ou crônicos. Os distúrbios crônicos. em geral, acompanham doenças crônicas do sistema respiratório ou dos rins. Os distúrbios crônicos costumam ser de intensidade mais leve, parcialmente compensados e melhor tolerados.

 

ACIDOSES

 

Ocorre acidose quando a concentração de íons hidrogênio livres nos líquidos do organismo está elevada; em conseqüência, o pH, medido no sangue arterial, está abaixo de 7,35. As acidoses podem ser de dois tipos: acidose respiratória e acidose metabólica.

 

A acidose respiratória ocorre em conseqüência da redução da eliminação do dióxido de carbono nos alvéolos pulmonares. A retenção do C02 no sangue que atravessa os capilares pulmonares, produz aumento da quantidade de ácido carbônico no sangue. com conseqüente redução do pH, caracterizando a acidose de origem respiratória.

 

A acidose metabólica ocorre em conseqüência do aumento da quantidade de ácidos fixos, não voláteis, no sangue, como o ácido lático, corpos cetônicos ou outros. O pH do sangue se reduz, devido ao acúmulo de íons hidrogênio livres; não há interferência respiratória na produção do distúrbio. As acidoses, como distúrbio primário do equilíbrio ácido-base, são encontradas na prática clínica, mais freqüentemente que as alcaloses.

 

ALCALOSES

 

Ocorre alcalose quando a concentração de íons hidrogênio livres, nos líquidos do organismo está reduzida. Em conseqüência, o pH medido no sangue arterial está acima de 7.45.

 

Conforme o mecanismo de produção, as alcaloses podem ser de dois tipos. Alcalose respiratória e alcalose metabólica.

 

A alcalose respiratória ocorre em conseqüência do aumento da eliminação de dióxido de carbono nos alvéolos pulmonares. A eliminação excessiva do C02 do sangue que atravessa os capilares pulmonares, produz redução da quantidade de ácido carbônico no sangue. com conseqüente elevação do pH, caracterizando a alcalose de origem respiratória.

 

A alcalose metabólica ocorre em conseqüência do aumento da quantidade de bases no sangue, como o íon bicarbonato. O pH do sangue se eleva, devido à redução de íons hidrogênio livres; não há interferência respiratória na produção do distúrbio.

 

As alcaloses, como alterações primárias do equilíbrio ácido-base, são encontradas na prática clínica com menos freqüência que as acidoses.

 

PRÓXIMO TEXTO: TRANSFUSÕES DE SANGUE

 

Voltar ao Índice: TRANSFUSÃO SANGÜÍNEA

Hosted by www.Geocities.ws
GridHoster Web Hosting
1