ANEXO 7
Radiações não-ionizantes

1. Para os efeitos desta norma, são radiações não-ionizantes as microondas, ultravioletas e laser. 

2. As operações ou atividades que exponham os trabalhadores às radiações não-ionizantes, sem a proteção adequada, serão consideradas insalubres, em decorrência de laudo de inspeção realizada no local de trabalho.  

3. As atividades ou operações que exponham os trabalhadores às radiações da luz negra (ultravioleta na faixa - 400-320 nanômetros) não serão consideradas insalubres. 

ANEXO 8
Vibrações 

1. As atividades e operações que exponham os trabalhadores, sem a proteção adequada, às vibrações localizadas ou de corpo inteiro, serão caracterizadas como insalubres, através de perícia realizada no local de trabalho. 

2. A perícia, visando à comprovação ou não da exposição, deve tomar por base os limites de tolerância definidos pela Organização Internacional para a Normalização - ISO, em suas normas ISO 2631 e ISO/DIS 5349 ou suas substitutas. 

2.1. Constarão obrigatoriamente do laudo da perícia: 

a) o critério adotado; 

b) o instrumental utilizado; 

c) a metodologia de avaliação; 

d) a descrição das condições de trabalho e o tempo de exposição às vibrações; 

e) o resultado da avaliação quantitativa; 

f) as medidas para eliminação e/ou neutralização da insalubridade, quando houver. 

3. A insalubridade, quando constatada, será de grau médio. 

ANEXO 9
Frio

1. As atividades ou operações executadas no interior de câmaras frigoríficas, ou em locais que apresentem condições similares, que exponham os trabalhadores ao frio, sem a proteção adequada, serão consideradas insalubres em decorrência de laudo de inspeção realizada no local de trabalho.  

ANEXO 10
Umidade

1. As atividades ou operações executadas em locais alagados ou encharcados, com umidade excessiva, capazes de produzir danos à saúde dos trabalhadores, serão consideradas insalubres em decorrência de laudo de inspeção realizada no local de trabalho.  

ANEXO 11
Agentes químicos cuja insalubridade é caracterizada por limite 
de tolerância e inspeção no local de trabalho 

1. Nas atividades ou operações nas quais os trabalhadores ficam expostos a agentes químicos, a caracterização de insalubridade ocorrerá quando forem ultrapassados os limites de tolerância constantes do Quadro no 1 deste Anexo. 

2. Todos os valores fixados no Quadro no 1 - Tabela de Limites de Tolerância são válidos para absorção apenas por via respiratória. 

3. Todos os valores fixados no Quadro no 1 como "Asfixiantes Simples" determinam que nos ambientes de trabalho, em presença destas substâncias, a concentração mínima de oxigênio deverá ser 18 (dezoito) por cento em volume. As situações nas quais a concentração de oxigênio estiver abaixo deste valor serão consideradas de risco grave e iminente. 

4. Na coluna "VALOR TETO" estão assinalados os agentes químicos cujos limites de tolerância não podem ser ultrapassados em momento algum da jornada de trabalho. 

5. Na coluna "ABSORÇÃO TAMBÉM PELA PELE" estão assinalados os agentes químicos que podem ser absorvidos, por via cutânea, e portanto exigindo na sua manipulação o uso da luvas adequadas, além do EPI necessário à proteção de outras partes do corpo. 

6. A avaliação das concentrações dos agentes químicos através de métodos de amostragem instantânea, de leitura direta ou não, deverá ser feita pelo menos em 10 (dez) amostragens, para cada ponto - em nível respiratório do trabalhador. Entre cada uma das amostragens deverá haver um intervalo de, no mínimo, 20 (vinte) minutos. 

7. Cada uma das concentrações obtidas nas referidas amostragens não deverá ultrapassar os valores obtidos na equação que segue, sob pena de ser considerada situação de risco grave e iminente. 

Valor máximo = L.T. x F. D. 

Onde: L.T. = limite de tolerância para o agente químico, segundo o Quadro no 1. 

F.D. = fator de desvio, segundo definido no Quadro no 2. 

QUADRO 2
 
L.T. F.D.
             (ppm ou mg/m3)
0 a 1 3
1 a 10 2
10 a 100 1,5
100 a 1000 1,25
acima de 1000 1,1
 8. O limite de tolerância será considerado excedido quando a média aritmética das concentrações ultrapassar os valores fixados no Quadro no 1. 

9. Para os agentes químicos que tenham "VALOR TETO" assinalado no Quadro no 1 (Tabela de Limites de Tolerância) considerar-se-á excedido o limite de tolerância, quando qualquer uma das concentrações obtidas nas amostragens ultrapassar os valores fixados no mesmo quadro. 

10. Os limites de tolerância fixados no Quadro no 1 são válidos para jornadas de trabalho de até 48 (quarenta e oito) horas por semana, inclusive. 
 
  10.1. Para jornadas de trabalho que excedam as 48 (quarenta e oito) horas semanais dever-se-á cumprir o disposto no art. 60 da CLT.

QUADRO 1
TABELA DE LIMITES DE TOLERÂNCIA
 
AGENTES QUÍMICOS Valor teto Absorção também p/pele Até 48 horas/semana Grau de insalubridade a ser considerado no caso de sua caracterização
ppm* mg/m3**
Acetaldeído     78 140 máximo
Acetato de cellosolve   + 78 420 médio
Acetato de éter monoetílico de etileno glicol (vide acetado de cellsolve)     - - -
Acetato de etila     310 1090 mínimo
Acetato de 2-etóxi etila (vide acetato de cellosolve)     - - -
Acetileno     Axfixiante simples -
Acetona     780 1870 mínimo
Acetonitrila     30 55 máximo
Ácido acético     8 20 médio
Ácido cianídrico   + 8 9 máximo
Ácido clorídrico +   4 5,5 máximo
Ácido crômico (névoa)     - 0,04 máximo
Ácido etanóico (vide ácido acético)     - - -
Ácido fluorídrico     2,5 1,5 máximo
Ácido fórmico     4 7 médio
Ácido metanóico (vide ácido fórmico)     - - -
Acrilato de metila   + 8 27 máximo
Acrilonitrila   + 16 35 máximo
Álcool isoamílico     78 280 mínimo
Álcool n-butílico + + 40 115 máximo
Álcool isobutílico     40 115 médio
Álcool sec-butílico (2-butanol)     115 350 médio
Álcool terc-butílico     78 235 médio
Álcool etílico     780 1480 mínimo
Álcool furfurílico   + 4 15,5 médio
Álcool metil amílico (vide metil isobutil carbinol)     - - -
Álcool metílico   + 156 200 máximo
Álcool n-propílico   + 156 390 médio
 * ppm - partes de vapor ou gás por milhão de partes de ar contaminado. 

** mg/m3 - miligramas por metro cúbico de ar. 

AGENTES QUÍMICOS Valor Teto Absorção também p/ pele Até 48 horas/semana Grau de insalubridade a ser 
considerado no caso de sua caracterização
ppm* mg/m3**
Álcool isopropílico   + 310 765 médio
Aldeído acético (vide acetaldeído)     - - -
Aldeído fórmico (vide formaldeído)     - - -
Amônia     20 14 médio
Anidro sulfuroso (vide dióxido de enxofre)     - - -
Anilina   + 4 15 máximo
Argônio     Asfixante simples -
Arsina (arsenamina)     0,04 0,16 máximo
(1)          
Brometo de etila     156 695 máximo
Brometo de metila   + 12 47 máximo
Bromo     0,08 0,6 máximo
Bromoetano (vide brometo de etila)     - - -
Bromofórmio   + 0,4 4 médio
Bromometano (vide brometo de metila)     - - -
1,3 Butadieno     780 1720 médio
n-Butano     470 1090 médio
n-Butano (vide álcoo n-butílico)     - - -
sec-Butanol (vide álcool sec-butílico)     - - -
Butanona (vide metil etil cetona)     - - -
1-Butanotiol (vide butil mercaptana)     - - -
n-Butilamina + + 4 12 máximo
Butil cellosolve   + 39 190 médio
n-Butil mercaptana     0,4 1,2 médio
2-Butóxi etanol (vide butil cellosolve)     - - -
Cellosolve (vide 2-etóxi etanol)     - - -
Chumbo     - 0,1 máximo
Cianeto de metila (vide acetonitrila)     - - -
Cianeto de vinila (vide acrilonitrila)     - - -
Cianogênio     8 16 máximo
Ciclohexano     235 820 médio
Ciclohexanol     40 160 máximo
 * ppm - partes de vapor ou gás por milhão de partes de ar contaminado 

** mg/m3 - miligramas por metro cúbico de ar. 
 
AGENTES QUÍMICOS Valor Teto Absorção também p/ pele Até 48 horas/semana Grau de insalubridade a ser considerado no caso de sua caracterização
ppm* mg/m3**
Ciclohexilamina   + 8 32 máximo
Cloreto de carbonila (vide fosgênio)     - - -
Cloreto de etila     780 2030 médio
Cloreto de fenila (vide cloro benzeno)     - - -
Cloreto de metila     78 165 máximo
Cloreto de metileno     156 560 máximo
Cloreto de vinila +   156 398 máximo
Cloreto de vinilideno     8 31 máximo
Cloro     0,8 2,3 máximo
Clorobenzeno     59 275 médio
Clorobromometano     156 820 máximo
Cloroetano (vide cloreto de etila)     - - -
Cloroetílico (vide cloreto de vinila)     - - -
Clorodifluometano (freon 22)     780 2730 mínimo
Clorofórmio     20 94 máximo
1-Cloro 1-nitropropano     16 78 máximo
Cloroprene   + 20 70 máximo
Cumeno   + 39 190 máximo
Decaborano   + 0,04 0,25 máximo
Demeton   + 0,008 0,08 máximo
Diamina (vide hidrazina)     - - -
Diborano     0,08 0,08 máximo
1,2-Dibramoetano   + 16 110 médio
o-Diclorobenzeno +   39 235 máximo
Diclorodifluormetano (freon 12)     780 3860 mínimo
1,1 Dicloroetano     156 640 médio
1,2 Dicloroetano     39 156 máximo
1,1 Dicloreotileno (vide cloreto de vinilideno)     - - -
1,2 Dicloroetileno     155 615 médio
Diclorometano (vide cloreto de metilino)     - - -
1,1 Dicloro-1-nitroetano +   8 47 máximo
1,2 Dicloropropano     59 275 máximo
Diclorotetrafluoretano (freon 114)     780 5460 mínimo
Dietil amina     20 59 médio
Dietil éter (vide éter etílico)     - - -
2,4 Diisocianato de tolueno (TDI) +   0,016 0,11 máximo
Diisopropilamina   + 4 16 máximo
* ppm - partes de vapor ou gás por milhão de partes de ar contaminado. 

** mg/m3 - miligramas por metro cúbico de ar. 

AGENTES QUÍMICOS Valor teto Absorção também p/pele Até 48 horas/semana  Grau de insalubridade a ser considerado no caso de sua caracterização
ppm* mg/m3**
Dimetilacetamida   + 8 28 máximo
Dimetilamina     -8 14 médio
Dimetiformamida     8 24 médio
l,l Dimetil hidrazina   + 0,4 0,8 máximo
Dióxido de carbono     3900 7020 mínimo
Dióxido de cloro     0,08 0,25 máximo
Dióxido de enxofre     4 10 máximo
Dióxido de nitrogênio +   4 7 máximo
Dissulfeto de carbono   + 16 47 máximo
Estibina     0,08 0,4 máximo
Estireno     78 328 médio
Etanol 9vide acetaldeído)     _ _ _
Etano     Asfixiante  simples _
Etanol (vide etílico)     _ _ _
Etanotiol (vide etil mercaptana)     _ _ _
Éter decloroetílico   + 4 24 máximo
Éter etílico     310 940 médio
Éter monobutílico do etileno glicol (vide butil cellosolve     _ _ _
Éter monoetílico do etileno glicol (vide cellosolve)     _ _ _
Éter monometílico do etileno glicol (vide metil cellosolve)     _ _ _
Etilamina     8 14 máximo
Etilbenzeno     78 340 médio
Etileno     Asfixiante simples _
Etilenoimina   + 0,4 0,8 máximo
Etil mercaptana     0,4 0,8 médio
n-Etil morfolina   + 16 74 médio
2-Etoxietanol   + 78 290 médio
Fenol   + 4 15 máximo
Fluortriclorometano (freon 11)     780 4370 médio
Formaldeído (formol) +   l,6 2,3 máximo
Fosfina (fosfamina)     0,23 0,3 máximo
Fosgênio     0,08 0,3 máximo
freon 11 (vide flortriclorometano)     _ _ _
Freon 12 (vide diclorodiflormetano)     _ _ _
Freon 22 (vide clorodifluormetano)     _ _ _
Freon 113 (vide 1,1,2,tricloro-1,2,2- trifluoretano)     _ _ _
 * ppm - partes de vapor ou gás por milhão de partes de ar contaminado. 

**mg/m3 - miligramas por metro cúbico de ar. 
 
 

AGENTES QUÍMICOS Valor teto Absorção também p/pele Até 48 horas/semana Grau de insalubridade a ser considerado no caso de sua caracterização
ppm* mg/m*
Freon 114 (vide declrorotetrafloretano)          
Gás amoníaco (vide amônia)     _ _ _
Gás carbônico (vide dióxido de carbono     _ _ _
Gás cianídrico (vide ácido cianídrico)     _ _ _
Gás clorídrico (vide ácido clorídrico)     _ _ _
Gás sulfídrico     8 12 máximo
Hélio     Asfixiante simples _
Hidrazina   + 0,08 0,08 máximo
Hidreto de antimônio (vide estibina)     _ _ _
Hidrogênio     Asfixiante simples _
Isobutanol (vide álcool isobutílico)     _ _ _
Isopropilamina     4 9,5 médio
Isopropil benzeno (vide cumeno)     _ _ _
Mercúrio (todas as formas exceto orgânicas)     _ 0,04 máximo
Metacrilato de metila     78 320 mínimo
Metano     Asfixiante simples _
Metanol (vide álcool metílico)     _ _ _
Metilamina     8 9,5 máximo
Metil cellosolve   + 20 60 máximo
Metil ciclohexanol     39 180 médio
Metilclorofórmio     275 1480 médio
Metil demeton   + _ 0,4 máximo
metil etil cetona     155 460 médio
Metil isobutilcarbinol   + 20 78 máximo
Metil mercaptana (metanotiol)     0,04 0,8 médio
2-Metoxi etanol 9vide metil cellosolve)     _ _ _
Monometil hidrazina + + 0,l6 0,27 máximo
Monóxido de carbono   + 39 43 máximo
Negro de fumo(1)        3,5 máximo
Neônio     Asfixiante simples _
Níquel carbonila (níquel tetracarbonila)     0,04 0,28 máximo
Nitrato de n-propila     20 85 máximo
Nitroetano     78 245 médio
Nitrometano     78 195 máximo
1 - Nitropropano     20 70 médio
2 - Nitropropano     20 70 médio
Óxido de etileno     39 70 maximo
 * ppm - partes de vapor ou gás por milhão de partes de ar contaminado. 

**mg/m3 - miligramas por metro cúbico de ar. 
 
 

QUADRO 1
TABELA DE LIMITES DE TOLERÂNCIA
 
AGENTES QUÍMICOS Valor teto Absorção também p/pele Até 48 horas/semana Grau de insalubridade a ser considerado no caso de sua caracterização
ppm* mg/m3**
Óxido nítrico (NO)     20 23 máximo
Óxido nitroso (N2O)     Asfixiante simples -
Ozona     0,08 0,16 máximo
Pentaborano     0,004 0,008 máximo
n-Pentano     470 1400 mínimo
Percloroetíleno   + 78 525 médio
Piridina   + 4 12 médio
n-propano     Asfixiante simples -
n-Propanol (vide álcool n-propílico)     - - -
iso-Propanol (vide álcool isopropílico)     - - -
Propanona (vide acetona)     - - -
Propileno     Asfixiante simples -
Propileno imina   + 1,6 4 máximo
Sulfato de dimetila + + 0,08 0,4 máximo
Sulfeto de hidrogênio (vide gás sulfídrico)     - - -
Systox (vide demeton)     - - -
1,1,2,2,Tetrabromoetano   + 0,8 11 médio
Tetracloreto de carbono   + 8 50 máximo
Tetracloroetano   + 4 27 máximo
Tetracloroetileno (vide percloroetileno)     - - -
Tetrahidrofurano     156 460 máximo
Tolueno (toluol)   + 78 290 médio
Tolueno-2,4-diisocianato (TDI) (vide 2,4 diisocianato de tolueno)     - - -
Tribromometano (vide bromofórmio)     - - -
Tricloreto de vinila (vide 1,1,2 tricloroetano)     - - -
1,1,1 Tricloroetano (vide metil clorofórmio)     - - -
1,1,2 Tricloroetano   + 8 35 médio
Tricloroetileno     78 420 máximo
Triclorometano (vide clorofórmio)     - - -
1,2,3 Tricloropropano     40 235 máximo
1,1,2 Tricloro-1,2,2 trifluoretano (freon 113)     780 5930 médio
Trietilamina     20 78 máximo
Trifluormonobramometano     780 4760 médio
Vinibenzeno (vide estireno)     - - -
Xileno (xilol)     78 340 médio
 * ppm - partes de vapor ou gás por milhão de partes de ar contaminado. 
** mg/m3 - miligramas por metro cúbico de ar. 
   
     [continua]
 
 
 
Hosted by www.Geocities.ws
GridHoster Web Hosting
1