SEMENTE

 

A formação da semente se dá na fecundação, o encontro dos núcleos masculino e feminino, formando o zigoto, ainda no ovário da flor.

O zigoto, uma célula simples, sofre então muitas divisões celulares e dá origem a um pequeno embrião, pluricelular.

O óvulo fecundado desenvolve-se formando então uma semente. Ela contém um embrião e substâncias nutritivas que o alimentarão quando a semente germinar.

A formação de uma ou mais sementes no interior de um ovário provoca o seu desenvolvimento e ele, crescendo muito, origina o fruto, enquanto murcham todas as demais partes da flor.

 

COMO É UMA SEMENTE?

Podemos dizer que a semente é a parte do fruto que resulta do desenvolvimento do óvulo após a fecundação. Compõe-se de duas camadas: tegumento e amêndoa.

O tegumento é a camada mais externa, que protege a semente. É o que em geral se denomina casca da semente.

A amêndoa, parte principal da semente, é formada pelo albúmen e pelo embrião.

· Albúmen: é a parte que acumula material nutritivo, constituído principalmente por amido (arroz, milho e trigo), gordura (amendoim, mamona), proteína (feijão, ervilha) ou celulose (uva, café).

· Embrião: é a parte da semente que germina, isto é, que dá origem ao novo vegetal. Compõe-se de quatro partes: raiz, hipocótilo, epicótilo e cotilédones.

Os cotilédones são folhas modificadas que absorvem o material nutritivo do albúmem para alimentar a planta durante a germinação, podendo também reservar nutrientes.

Há sementes com albúmen bem desenvolvido. Quando isso ocorre, os cotilédones são finos.

Entretanto, em sementes com pouca quantidade de albúmen ou mesmo sem albúmen, os cotilédones são bem espessos, ocupando quase toda a semente. É o caso das leguminosas, como o feijão e a ervilha.

Algumas plantas, como o trigo, a cebola, o milho, a palmeira e o lírio, apresenta apenas um cotilédone no embrião da semente. Por isso, são classificados como monocotiledôneas. Outras apresentam dois cotilédones, classificando-se como dicotiledôneas. O café, o feijão, a ervilha e a mamona, entre outras, são dicotiledôneas.

 

 

GERMINAÇÃO DA SEMENTE

Quando encontra condições favoráveis do meio ambiente, desenvolve-se, dando origem a uma nova planta. A isso dá-se o nome de germinação.

A semente absorve água através do tegumento e começa a inchar. Com o aumento do volume, o tegumento se abre. A primeira parte do embrião a emergir é a raiz. Ao mesmo tempo, observa-se o início do alongamento do hipocótilo e do epicótilo.

Muitas sementes passam por um período de dormência antes de iniciar a germinação. Algumas precisam de um estímulo, como a exposição a baixas temperaturas ou a períodos de seca. Com isso, plantas de regiões com invernos rigorosos, por exemplo, apresentam germinação só na primavera.

Para que uma semente germine é necessário que esteja inteira, madura e sadia. Além disso, é preciso que no ambiente haja oxigênio, calor e umidade suficientes. É por isso que o agricultor, antes de fazer a semeadura, afofa a terra. Com esse procedimento, há maior penetração do ar da atmosfera no solo.

 

 

DISPERSÃO DAS SEMENTES:

Para que as espécies vegetais sobrevivam e se propaguem, é necessário que suas sementes se espalhem. Essa dispersão das sementes pode ser feita através de:

Vento:

Quando as semente são leves ou apresentam estruturas que o vento pode facilmente carregar.

Homem:

Ao fazer a semeadura, o homem promove a dispersão de inúmeros vegetais. Além disso, pode, involuntariamente, transportar sementes que se prendem em suas roupas quando anda no meio do mato.

Animais:

Ao comer muitos tipos de frutos, os animais também comem as sementes. As sementes são protegidas por uma membrana resistente, que impede que sejam digeridas. Assim elas são eliminadas inteiras, juntamente com as fezes, em lugares ás vezes bem distantes daquele que se encontravam. Também, alguns frutos apresentam espinhos que se grudam nos pêlos dos animais ou em nossas roupas, podendo ser transportadas para longe.

Água:

As sementes podem ser transportadas pela água das chuvas até os rios. Daí podem ser transportadas pela correnteza para lugares distantes.

Frutos:

Depois de maduros, certos frutos secam. Com o calor do sol, estalam e projetam as sementes a uma certa distância. Isso ocorre, por exemplo, com a mamona.

 

AS SEMENTES E O HOMEM

As sementes são usadas, de inúmeras formas, na alimentação do homem e dos animais. Lembremos, por exemplo, a ervilha, o feijão e a lentilha, entre outras. São empregadas ainda na indústria de óleos (soja, algodão, amendoim), de bebidas (café) e de tintas (linho, de cuja semente se extrai o óleo de linhaça). Servem também para fazer remédios, como a mamona (óleo de rícino), a noz-vômica, o estrofanto, entre outros.

Hosted by www.Geocities.ws
GridHoster Web Hosting
1