CAULES

 

O caule é um órgão geralmente ereto, sendo a parte do vegetal que serve de ligação entre a raiz e as folhas.

Suas funções são:

* Sustentar a copa (folhas, flores e frutos) devido à presença de lignina (substância muito dura que dá resistência e flexibilidade aos troncos) nos vasos lenhosos;

* Transportar a seiva bruta, devido a presença de vasos condutores denominados vasos lenhosos, que são muito finos e localizados próximo da região central do caule;

* Transporte de seiva elaborada, devido a presença de vasos liberianos, localizados próximo da casca;

* Armazenar substâncias de reserva.

Quando jovens os caules são verdes e podem realizar fotossíntese.

ESTRUTURA DO CAULE

1. CASCA: onde está localizado o tecido de condução, chamado floema. Esse tecido transporta a matéria orgânica produzida nas folhas ( pela fotossíntese) para todo vegetal. A casca de muitos vegetais possui uma grossa camada de cortiça.

2. CILINDRO CENTRAL OU LENHO: onde está localizado o tecido de condução chamado xilema, que transporta água e sais minerais das raízes até as folhas.

3. MERISTEMA: é uma camada entre a casca e o cilindro central, é denominado câmbio, tendo característica a constante multiplicação de suas células. Essas novas células se transformarão em novo xilema e novo floema, assim o diâmetro do caule vai aumentando lentamente.

PARTES DO CAULE

* NÓ: é a região mais espessa do caule, do nó sai um broto, um ramo, uma folha ou uma flor.

*ENTRENÓ: é o espaço entre dois nós consecutivos.

* GEMAS OU BOTÕES VEGETATIVOS: são as partes onde se localizam as células responsáveis pelo desenvolvimento do caule. As gemas podem ser apicais (localizadas na extremidade superior, onde o caule cresce) ou laterais (localizadas ao longo do caule, dando origem a ramos, folhas e flores). 

TIPOS DE CAULE:

Cada tipo de caule representa uma especialização que possibilita melhor adaptação do vegetal ao seu ambiente. De acordo com o ambiente em que se desenvolvem, os caules podem ser:

CAULES AÉREOS:
São os que crescem acima da superfície do solo.
1. TRONCO:

Caule forte e lenhoso, sua base apresenta-se mais desenvolvida e seu ápice é ramificado, sendo o caule de quase todas as árvores frutíferas e da maior parte das árvores madeireiras.

Ex: Abacateiro, Ipê, Carvalho, Jacarandá e Angico

2. ESTIPE:

Caule bastante resistente, cilíndrico e não ramificado. Seu ápice apresenta um tufo de folhas presas diretamente a ele.

Ex: Coqueiro e Palmeira

3. COLMO:

 

Ele possuem toda a sua extensão, nós e entrenós evidentes. Não se ramificam.

Ex: Bambu (oco) e Cana-de-açúcar (cheios)

4. HASTE:

 

Caule pouco consistente e frágil. Existe em plantas pequenas.

Ex: Couve, Alface, Agrião e Soja

5. VOLÚVEL:

Caule sem força suficiente para sustentar o peso da copa, por isso, ao encontrar um suporte, enrola-se nele em espiral, são as plantas trepadeiras.

Ex: Campânula e Madressilva

6. RASTEJANTE ou ESTOLHO:

Cresce paralelamente à superfície do solo. De espaço em espaço apresenta gemas, de onde surge uma nova planta que, por sua vez, desenvolve um novo caule rastejante com gemas.

Ex: Melancia, Grama, Morango e Abóbora

7. ARBUSTIVO:

 

Ramificam-se logo acima do solo, portanto não apresentam caule principal.

Ex: Hortênsia, Hibiscus e Rosa

 

CAULES SUBTERRÂNEOS:
Se desenvolvem no interior do solo.
1. RIZOMA:

 

Crescem no interios do solo, onde atingem uma certa espessura.

Ex: Bananeira (a parte acima do solo são as folhas)

2. TUBÉRCULO:

 

São caules que armazenam substâncias de reserva, como o amido (açúcar).

Ex: Batata-inglesa, Cará e Inhame

3. BULBO:

São caules curtos e arredondados, ricos em substâncias nutritivas.

Ex: Cebola, Alho e Lírio

 

CAULES AQUÁTICOS:

 

Se desenvolvem dentro da água. Armazenam ar para flutuação e a respiração. Em geral são tenros e aclorofilados.

Ex: Aguapé (com flores violáceas, que servem de ornamentos)

 

MODIFICAÇÕES DO CAULE:
Existem caules que se modificam para se adaptar às condições do clima ou para exercer funções que normalmente não precisam realizar.
1. ESPINHOS:

São resistentes e pontiagudos, não se destacando com facilidade. Servem de proteção contra os animais.

Ex: Laranjeira e Limoeiro

2. GAVINHAS:

São adaptações de certas plantas trepadeiras, que não possuem caules volúveis e que, para subir, agarram-se em suportes.

Ex: Videira, Chuchuzeiro e Maracujazeiro

3. CLADÓDIOS:

São caules suculentos, pois armazenam água, ocorrem em plantas de regiões secas.

Ex: Cactos

4. ACÚLEOS:

Não são espinhos verdadeiros, são estruturas afiadas originadas de tecidos mais superficiais da epiderme, por isso destacam-se facilmente.

Ex: Roseira

MUDAS

O caule tem um papel importante na reprodução dos vegetais, pois muitas plantas podem se reproduzir assexuadamente através do caule, sendo chamada de reprodução por muda.

Ela consiste em plantar, na terra úmida, um ramo separado do tronco, que nada mais é do que uma parte do caule. Depois de pouco tempo, numerosas raízes nascem nos pontos em contato com o solo, permitindo que a muda se alimente, cresça e se torne uma nova planta.

 

EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO:

Hosted by www.Geocities.ws
GridHoster Web Hosting
1