ORIENTAÇÕES POR BÚSSOLA

 

 

.Achando em mapa a real posição através da bússola

 

Pegue dois azimutes visivelmente separados que afetam pontos característicos no terreno indicados no mapa.

Com seu mapa orientado, leia o ângulo de cada ponto, então trace dois raios de acordo com  os ângulos lido. Onde os dois raios se cruzam é o seu local presente.

Você é onde os dois raios cruzam um com o outro.

 

.Trace orientação através de bússola

 

Com o mapa  abaixo em superfície de nível plana, alinhe norte que indica linha em mapa com norte magnético de bússola. o mapa é orientado agora.

 

.Um azimute magnético

 

Um azimute magnético de qualquer objeto é a leitura angular da bússola que visa um objeto em relação ao norte magnético.

 

.Entrando em escuridão e névoa densa e por terreno áspero

 

A linha na visada de copo é para caminhar rapidamente por terreno áspero: - (na superfície do copo são achadas duas linhas, longo e curto. eles formam um ângulo de 45° entre si. ) primeiro, vire sua bússola para enfrentar verdadeiro norte, então gire a linha luminosa em sua visada de copo para o rumo (para qualquer número de graus) que você deseja caminhar;

exemplo - mova visada até que alinha esteja em (por exemplo) 60°, quando bússola estiver alinhada com norte - agora você pode levar uma leitura rápida a qualquer hora. enquanto você está caminhando, há pouco vira sua bússola para o norte magnético e entra na direção da linha na visada.

 

.Rumo – Quando o limbo for graduado em quadrantes, é preciso que o ângulo seja seguido do nome do quadrante em que foi lido.

Ex: azimute = 330°

Rumo    = 30° noroeste (norte – oeste)

Quadrante (NE) : Rumo = Azimute

Quadrante (SE)  : Rumo = 180° - Azimute

Quadrante (SO)  : Rumo = Azimute – 180°

Quadrante (NO) : Rumo = 360° - Azimute

.RECOMENDAÇÕES PARA OPERAR A BÚSSOLA:

 

.Verificar se satisfaz às condições previstas para seu funcionamento.

.Evitar medições nas proximidades de quaisquer materiais que possam atrair a agulha imantada, como cercas de arame, postes, linhas de alta tensão, máquinas, etc..

.Colocá-la em posição horizontal.

.Visar, cuidadosamente, deslocando a linha de fé para o alinhamento.

.Ler o azimute no limbo graduado da bússola, onde a ponta norte da agulha imantada(indicada pela coloração escura ou pelo N nela gravado) assinalar o ângulo.

 

.OBS:

 

.Linha de fé – linha que passa pelas indicações N-S do limbo em quadrante, ou  0° – 180° nos de 0° a 360° .

.Limbo – parte onde fica gravada a graduação da bússola (fixa no copo com agulha solta ou solto no copo sem agulha visível mas com “N” como marcador do norte magnético).

.As bússolas com o limbo fixo no copo marcando de 0° a 360° têm a graduação no sentido contrário à dos ponteiros do relógio (levogiro) e graduadas em quadrantes invertem a posição dos pontos cardeais E e O , possibilitando a leitura direta do azimute ou do rumo, no respectivo quadrante.

.As bússolas com o limbo solto no copo são graduados no sentido horário.

.Existe uma arvore cujo o nome popular é PAU-DÁLIO que faz com que a bússola fique  desorientada.

.MEDIÇÃO DE ALINHAMENTOS 

 

Medição de baixa precisão: conduz resultados mais ou menos satisfatórios. É usada em levantamentos rápidos, e quando a precisão é pouco exigida. Ex:

Passo do homem ou do animal que se monta, rodas das viaturas(odômetros e velocímetros),

Som e relógio.

Medição de media precisão: indicada para os levantamentos comuns. Ex: trenas.

 

 

 

.Passo do homem:

 

Quando devidamente aferido, o passo é um meio prático e satisfatório de medir, com rapidez e relativa segurança, a extensão de um alinhamento. O valor do passo varia com a estatura, modo de caminhar e resistência física do operador e com as condições do terreno (alonga-se nas descidas e encurta-se nas subidas). O comprimento do passo de um homem de 1,70 de estatura pode ser fixado em 0,80. Para cada cinco centímetros de diferença na estatura, aumenta-se ou diminui-se um centímetro no valor do passo correspondente.

 

Características do Passo:

 

                                       Comprimento         Nº de passos por                 Velocidade

Designação                         do passo                  minuto                             aproximada

                                                                                                                      (Km/h)

Acelerado                           0,65 m                      110                                   4,29

Geométrico                         0,75 m                      105                                   4,50

De estrada                           0,80 m                      100                                   4,80   

Ginástico                             0,83 m                até 165                               ±  8,20

 

Deve-se estabelecer o passo médio, aferido por uma trena, pára uma distância, por exemplo, de 100m, no terreno plano. Percorre-se essa distância duas ou três vezes, em passo normal de estrada, contando os passos. O resultado exprime o valor médio do passo do operador, em metros.

Assim, quando se mede um alinhamento qualquer, sendo n o número de passos dados, de valor médio p, a distância percorrida será dada pela expressão  d = n x p .

O valor das projeções dos passos em terrenos inclinados pode também ser determinado pelas fórmulas de Rziha, que dão o valor aproximado do passo, P, em rampa, com base no passo, P, aferido em terreno horizontal, isto é:

Em declive: p = p(1 - senα) e

Em aclive:   p = p(1 - senα)

                                      2

sendo α o valor do ângulo de inclinação do terreno, medido com o auxílio de clinômetro ou outro instrumento.

Os dados obtidos por jordan, resumidos no quadro seguinte, confirmam as fórmulas de Rziha.

 

RAMPA

SUBIDA

DESCIDA

0,77 m

0,77 m

0,70m

0,74 m

10°

0,62 m

0,72 m

15°

0,56 m

0,67 m

20°

0,50 m

0,65 m

25°

0,45 m

0,60 m

30°

0,38 m

0,50 m

 

 

 

 

 

 

.Odômetro

 

Instrumento que registra as voltas dadas pela roda de uma viatura, cujo número total (n) é multiplicado pelo comprimento (c) da circunferência da roda, para se calcular a distância, isto é:  d = c x n .

 

.Velocímetros dos veículos

 

Os velocímetros dos veículos de motor registram a velocidade e a distância percorrida, encontrada pela diferença entre as quilometragens no ponto de partida e no ponto final.

 

.Som

 (importante para quando se corre de descargas elétricas provenientes de raios).

 

A luz propaga-se com uma velocidade de 300.000 km por segundo, e o som se transmite com uma velocidade de 343 m por segundo. Sendo assim, para obter a distância do ponto em que se deu uma explosão, basta observar a sua luz (tempo zero), cronometrar o tempo gasto (em segundos) para se ouvir o seu som, multiplicando-se os segundos por 343.

 

.Relógio

 

A distância pode ser medida pela velocidade de deslocamento, ou seja, número de metros percorridos em um minuto. Para isso, deve-se ter conhecimento da velocidade da marcha e do tempo necessário para percorrer a distância.

O tempo será dado pelo relógio, devendo-se anotar as horas de saída e de chegada.

Quanto à velocidade, pode-se orientar pelos seguintes dados:

A pé --------------------80 m por minuto.

A cavalo ---------------100 m por minuto.

A trote ------------------240 m por minuto.

A galope----------------350 m por minuto.

Esses dados devem ser reduzidos de 1/7 em regiões acidentadas e de 1/5 em regiões montanhosas.

 

.Trenas

Quando usadas convenientemente, conduzem a maior precisão na medição dos alinhamentos, desde que sejam tomadas algumas precauções, principalmente no que concerve a sua horizontalidade.   

 

 

Hosted by www.Geocities.ws
GridHoster Web Hosting
1