MACRO E MICRONUTRIENTES NA CULTURA DO CAFÉ

Analise foliar

Macro

Micronutrientes

Outras alterações visuais

Até algum tempo atrás, mais precisamente até a década de 60, os cafezais formados em áreas recém-desbravadas, cujos solos apresentavam fertilidade natural elevada. Entretanto, os surtos mais recentes de expansão da cultura ocorreram principalmente em áreas de cerrado, por serem: mais baratas, em razão de sua abundância, e facilmente mecanizáveis, em decorrência do relevo. Mas, os efeitos da baixa fertilidade apresentada pelos solos sob cerrado não tardaram a se manifestar.

As lavouras formadas m solos mais pobres e as lavouras velhas mal conduzidas têm apresentado freqüentes deficiências, tanto de macronutrientes, especificamente de nitrogênio, potássio, magnésio, cálcio e enxofre, como de micronutrientes, especialmente zinco e boro.

Por outro lado, a toxidez de alumínio ou de manganês assume relativa importância, pelos prejuízos que sua ocorrência acarreta.

A importância dos principais nutrientes envolvidos na nutrição do cafeeiro, as conseqüências das deficiências são apresentadas nos quadros nº. 1 e nº. 2.

A apresentação desses quadros tem por objetivo os extensionistas na identificação de deficiências nutricionais do cafeeiro mediante exame sintomatológico, servindo também de complemento à coleção de slides sobre o mesmo assunto que se encontra disponível em todos os Escritórios Regionais da EMATER-MG, prestando-se ainda como roteiro de apresentação (comentário) durante a projeção da referida seqüência de slides.

QUADRO 1 - MACRONUTRIENTES NA CULTURA DO CAFÉ:

Sua Importância.

Deficiências Nutricionais: Sintomas, Conseqüências e recomendações de aplicação.

NUTRIENTES

Importância da Presença do Nutriente e recomendações de aplicação.

Deficiências Nutricionais: Sintomas e consequencias.

NITROGÊNIO

Possui retenção média e deve ser adicionado de 3 a 3,5 kg por 1000 covas de dezembro a março, 0,5 kg de junho a agosto e nos demais meses 2 kg. Recomenda-se 11% na segunda quinzena de agosto, 20% na segunda quinzena de dezembro , 20% na primeira quinzena de fevereiro e 49% na segunda quinzena de março. Promove desenvolvimento rápido do cafeeiro e aumento da produção. Juntamente com o magnésio, é um dos componentes da clorofila. Seu efeito se faz sentir na exuberância da vegetação e no aumento do número de gemas florais.

As folhas ficam com coloração verde claro e perdem o brilho. Segue-se um amarelecimento uniforme da lâmina foliar. As folhas podem ficar quase brancas, com desfolha e seca de ponteiros. Nos casos mais graves pode ocorrer a morte descendente dos ramos e o desfolhamento dos ramos medianos (pescoço de galinha). Deficiência acentua-se no período de seca intensa e quando a carga de frutos é grande, pois o N transloca das folhas para os frutos. Deficiência aparece inicialmente no sentido das folhas mais velhas para as mais novas. O período seco, solos ácidos e baixos teores de matéria orgânica predispõem à deficiência deste nutriente.

FÓSFORO

Deve ser adicionado em maior quantidade no plantio. No cafeeiro em produção deve ser adicionado no inicio do periodo vegetativo. E importante para o rápido desenvolvimento do sistema radicular do cafeeiro, principalmente para plantas novas. É importante também na floração, na frutificação e na maturação dos frutos.

. Começa com manchas amareladas que passam depois a pardo avermelhadas. Quando agrava aparece coloração marron arroxeado. A deficiência aparece inicialmente nas folhas mais velhas e evoluem para as mais novas. Queda prematura das folhas mais velhas.

POTÁSSIO

É muito importante para o cafeeiro, tendo exigência equivalente a do nitrogênio. Está associado a produção havendo uma relação direta entre o K e a síntese de carboidratos. É importante na fotossíntese, respiração e circulação da seiva. É o nutriente mais exigido pelo cafeeiro em produção. A adubação foliar não se mostra viável, como também a adubação em solos ricos deste nutriente.

As folhas apresentam clorose marginal, seguida de necrose, que se inicia pela ponta e bordos das folhas velhas. Provoca desfolha dos cafeeiros, má formação dos frutos e morte descendente dos ramos. Aumenta a percentagem de grãos chochos, frutos menores e em conseqüência provoca a queda da produção.

MAGNÉSIO

Elemento fundamental na composição da clorofila, a qual, participando no processo de síntese dos hidratos de carbono, determina o volume da produção .

Apresenta clorose amarelo-claro no tecido internerval. Essa clorose passa a amarelo-avermelhado. As nervuras permanecem verdes. A deficiência agrava-se a partir do início da granação e fica mais evidente quando o fruto está na fase de cereja. Pode haver desfolha e diminuição da produção. A deficiência apresenta-se inicialmente nas folhas mais velhas e progride para as folhas mais novas. O período seco, o plantio em solos naturalmente ácidos e por isso pobres em Mg, o excesso de K e o uso contínuo de adubos que fazem abaixar o pH, induzem a sua carência.

ENXOFRE

O enxofre entra na composição de alguns aminoácidos essenciais , que são contribuintes da proteína.

. A deficiência aparece nas folhas mais novas, que apresentam uma coloração verde-amarelado. Os sintomas progridem para encurtamento de internódios e dsfolhamento. Uso de fórmulas concentradas nas adubações, não contendo enxofre, poderá facilitar o aparecimento da deficiência, assim como os plantios em solos ácidos e pobres em matéria orgânica.

CÁLCIO

O cálcio é importante nos pontos de crescimento dos cafeeiros, como para o desenvolvimento de raízes e gemas. É importante para a retenção de folhas e maturação dos frutos.

. Provoca o amarelecimento das folhas mais novas, das margens para o centro. Inicia-se a clorose pelos bordos e pode atingir a folha toda. Aparece pequenas áreas necróticas. Pode provocar a morte da gema terminal. Pode provocar atrofia e até a morte do sistema radicular. O cálcio não retransloca com facilidade.


QUADRO 2 - MICRONUTRIENTES NA CULTURA DO CAFÉ.

Sua Importância.

Deficiências Nutricionais: Sintomas, Conseqüências e recomendações.

NUTRIENTES

Importância da Presença do Nutriente

Deficiências Nutricionais: Sintomas e Conseqüências

BORO

O Boro exerce importante papel no desenvolvimento apical dos ramos e das raízes. Tem papel importante na formação da parede celular, na divisão celular e no aumento do tamanho das células assim como, na velocidade de transporte de carboidratos das folhas para outros órgãos.

A deficiência ocorre principalmente em solos muito lixiviados, pobres em matéria orgânica, com pH elevado, acima de 6,5 e em períodos secos. A deficiência provoca a morte de gemas terminais, paralização do crescimento dos ramos, brotação, excessiva com aspecto de leque e redução na produção. As folhas ficam deformadas, menores, retorcidas e com bordas irregulares e encurtamento dos entrenós. Provoca também a inibição do crescimento. Parece influir no abordamento das flores ou menor pegamento da florada. Sua falta provoca a morte da ponta das raízes.

ZINCO

O Zinco exerce importan-te papel no crescimento da planta e principalmente na produção. O Zinco tem a participação como ativador de várias enzimas, sendo importante para a síntese do triptofano que é um precursor do AIA responsável pelo aumento do volume celular ou maior desenvolvimento das plantas.

A deficiência provoca redução dos internóides, folhas pequenas e estreitas, formação de rosetas de folhas. provoca a morte de gemas terminais, seca de ponteiros, superbrotamento, folhas mais novas coreáceas e quebradiças. Os frutos são menores e produção reduzida. Solos pobres e ácidos, a calagem excessiva ou o excesso de fósforo predispõe à deficiência.

FERRO

É importante na formação da clorofila, intervem na respiração e síntese de proteínas.

A deficiência ocorre quando se eleva muito o pH, em solos mal drenados e rasos e em terras ricas em Mangânes. Deficiência caracterizada principal-mente em folhas mais novas. . As folhas apresentam coloração verde-pálida, nervuras com coloração normal, em casos mais graves as nervuras também perdem gradualmente a coloração. Casos extremos a folha inteira fica amarela depois esbranquiçada.

COBRE

É importante na fase de formação da cultura, pois interfere no crescimento. Apresenta função impor-tante na síntese de proteínas e no metabolis-mo dos carboidratos.

Essa deficiência provoca deformações das folhas, pois a nervura central se torce em forma de S. As nervuras das folhas são mais salientes, com formato de "costelas". Todas as folhas curvam-se para baixo, dando impressão de falta de umidade. Casos mais graves há desfolha-mentos. Sua carência é comum em solos pobres, como nos cerrados ou poderá ser provocada pelo excesso de matéria orgânica, calagem ou adubação de N em excesso.

TOXIDEZ DE MANGÂNES

O excesso de Mangânes diminui o crescimento e a produção pelo seu efeito antagônico na absorção do Zinco.

Ocorre em solos ácidos. Folhas com margens amareladas, segue-se amarelecimento completo das mais novas. As folhas mais velhas caem e também as cerejas. Há casos que a planta pode morrer.

 

Outras auterações visuais

Completando as informações dos quadros apresentados, convém esclarecer que, além da falta efetiva dos nutrientes, outras alterações visuais indicativas de deficiências podem aparecer, provocadas por:

. Adensamento do solo, que limita o desenvolvimento do sistema radicular, provocando menor absorção de nutrientes;

. Pragas e doenças no sistema radicular, tais como, nematóides, cochonilhas, roseliniose, etc, que prejudicam a absorção de nutrientes.

. Calor excessivo aliado à deficiência de água no solo, causando clorose foliar.

. Plantio com mudas de sistema radicular deficiente, com pião torto ou enovelado.

. Adubação desequilibrada, provocando deficiências.

. Herbicidas provocando sintomas de toxidez.

Hosted by www.Geocities.ws
GridHoster Web Hosting
1