CICLO DO CARBONO
                  O carbono é um elemento químico que ocorre em todos os organismos vivos. Não existe substância orgânica que não tenha o carbono. Ele entra nas plantas através da fotossíntese onde o gás carbônico (CO2) é transformado em glicose (C6H12O6 – outro composto com carbono). Ele é repassado aos animais através da alimentação e devolvido a atmosfera através da respiração, quando se expulsa o CO2.
                   Os decompositores também participam do ciclo do carbono ao absorver todos os nutrientes da matéria morta e devolvendo ao meio ambiente os gases: metano (CH4) e carbônico (CO2), fechando o ciclo.

DESEQUILÍBRIO DO CICLO DO CARBONO

                   Ao efetuar queimadas de florestas ou de combustíveis fósseis (carvão e petróleo), uma grande quantidade de gás carbônico segue para a atmosfera. Esse gás é importante na atmosfera porque absorve calor e mantém o planeta em uma temperatura confortável para sobrevivência. Porém, em excesso, o gás carbônico passa a concentrar mais calor que o suportável, criando ambientes superaquecidos. É o que chamamos de EFEITO ESTUFA: o aquecimento do ambiente em virtude do excesso de CO2 no ar.
                  Hoje o mundo experimenta uma situação muito séria graças ao efeito estufa. O mundo todo produz muito CO2 através das chaminés de suas indústrias e queimadas, provocando o designado AQUECIMENTO GLOBAL.
                  Aumentando a temperatura de todo o planeta, alteramos o clima e o nível do mar, o que consequentemente leva a extinção de várias espécies de animais e vegetais mais sensíveis às mudanças ambientais. Atualmente, o aquecimento global é responsável pelo aumento na incidência de furacões, derretimento das calotas polares e aumento do nível oceânico.
                  Regularmente, os representantes de todos os países se reúnem para encontrar uma solução para esse sério problema ambiental. A partir de um desses encontros, se propôs o PROTOCOLO DE KYOTO. Criado no início da década de 90, propunha redução da produção de CO2 em 6%, por todos os países. Entretanto, esse tratado não deu certo porque os maiores poluidores (EUA) não aceitaram o acordo, já que demandaria gastos muito grandes, o que resultaria em prejuízos econômicos muito sérios.
Menu principal
Escrito por: Prof. Carlos Gomes Barboza-Filho
Pirapozinho/SP - Brasil
Minhas apostilas
Hosted by www.Geocities.ws
GridHoster Web Hosting
1