OS CÁTAROS

Carles Cevera

tradução de Carlos A. F. Guimarães

Quem eram?
Como viviam?
Por que tão pouca coisas deles nos restaram?


Castelo de Foix

O único testemunho concreto de sua existência, além dos documentos eclesiásticos, são os castelos em que habitavam.


É comum suceder com freqüência que todas as culturas que mais nos atraem são aquelas das quais não há ficado quase nenhum rastro e das quais não dispomos de demasiadas referências para conhece-las, como é o caso dos cátaros, de onde quase que o único testemunho mais concreto de sua existência advém dos castelos onde habitavam. É por isso que todas estas culturas e religiões despertam grande curiosidade e interesse, e as envolvem um alento de mistério.
O chamado "Pays Cathare" (País Cátaro) se extendia pela zona chamada Occitania , atual Languedoc, em uma extensão fronteiriça com Toulouse até o oeste, nos Pirineus até o sul, e no Mediterráneo até o leste. Em definitivo, uma área política que, durante o século XIII e em plena época medieval, limitava-se com a Coroa de Aragão, França e condados independentes como o de Foix e Toulouse.
A IDADE MÉDIA, UMA ETAPA MARCADA PELA VIOLÊNCIA RELIGIOSA, COORDENADA PELA SEDE DE PODER DA IGREJA CATÓLICA ROMANA A Idade Média é uma etapa da história muito marcada pela pressão religiosa, imposta desde Roma e materializada através da tão temida Inquisição e nas Cruzadas, tanto na Tierra Santa como pela Reconquista da Península Ibérica dos mouros.
O CATARISMO CHOCOU-SE FRONTALMENTE COM O DOGMATISMO DA IGREJA DE ROMA A religião cátara propunha, como aspectos básicos, a reencarnação do espírito, a concepção da terra como materialização do Mal, por encher a alma de desejos e prende-la às coisas efêmeras do mundo, e do céu como a do Bem, numa concepção dualista do mundo. Mas o principal ponto dediscordância, e talvez o mais original, tenha sido a de que os cátaros não admitiam qualquer tipo de intemediação entre o homem e Deus. Eles insistiam em que todos podiam e tinham o direito de vivenciarem diretamente a dimensão do transcendente, através de estados alterados de consciência. Esta crença chocou-se frontalmente com a religião romana, hegemônica em toda Europa, e base da estrutura social, cultural econômica e religiosa do Feudalismo. Durante muito tempo os cátaros foram tolerantes e eram relativamente poucos. Sem embargo o catarismo, com o tempo, se foi fazendo forte e començou a extender-se pela Occitania, até chegar a um ponto em que resultava demasiado incômodo tanto para Roma como para a França.
UMA ONDA HEREGE NA EUROPA FOI O DETONANTE DAS CRUZADAS

Puilarens
Um bastião religioso no centro da Europa não fazia mais que estorvar a cristalização do cristianismo de Roma no continente, e um território não católico era um pretexto ideal da Coroa da França para anexar as terras do Languedoc e expandir-se. Por esta razão, e também pela força que assumiu o catarismo em 1209, o Papa Inocêncio III estimulou os fiéis a ir para as cruzadas contra os que, hoje, conhecemos como hereges, sendo esta a primeira cruzada feita contra cristãos e em território franco. O presente que o santo Papa prometeu em compensação para aqueles que participaram da campanha era a partilha e doação das terras aos barões que as conquistassem, ou seja, converter-se-iam em senhores feudais.


O mais curioso nesta cultura é a cautela por construir seus castelos e abadias em cima de precipícios e inacessiveis colinas, as mais elevadas possíveis, razão pela qual, na atualidade, os fazem muito atrativos por suas inabarcaveis vistas sobre o horizonte e pela observação de paisagens impresionantes.

A CRUZADA ALBIGESA Nesta cruzada, que teve lugar sob o nome de Albigense devido à cidade de Albi, se recorreu a Simon de Montfort (1209 - 1224) e ao Rei Luis VIII (1226-1229), mas eles não conseguiram erradicar o catarismo de forma definitiva. Foi a Inquisição (1233 -1321), a instituição que realmente o conseguio. Não obstante foram os barões provenientes da coroa de França os que fundamentalmente fizeram a expansão dos francos até os Pirineus e amenizaram a retaguarda da Coroa de Aragão, mais preocupada com a Reconquista contra os árabes das terras do sul, com a expansão marinha até as ilhas Baleares, Córcega e Nápoles.
POLÍTICA E RELIGIÃO, DUAS CLARAS DESVANTAGENSA resistência cátara teve que enfrentar-se com duas desventagens muito importantes: o poder militar do Rei de França e o poder espiritual da Igreja Católica. Militarmente, a pesar de terem o apóio de pequenos condados, como o de Foix, e o da Coroa de Aragão contra a da França, não se ienvolveram de forma aberta ja que haveria significado o enfrentamento entre Roma e França. Se isto era assim, como se explica então o apóio que davam aos cátaros? Está claro que a anexão das terras cátaras à Coroa Francesa havia dado unm poder enorme, respeito de outros condados, a aquele que as possuiram. Estes feitos nos fazem expor algumas perguntas dignas de história de ficcão:

  • A não ser pelas barreiras naturais dos Pirineus, a expansão francesa haveria continuado até o sul?

  • Se os cátaros não haviam apresentado uma resistência tão forte, como o catarismo se tinha extendido até à Coroa de Aragão e outras partes da Europa?

    Espiritualismo Ocidental A Ordem dos Templários Os Druidas O Orfismo O idealizador destas páginas

    João Pessoa, Pb, 01/01/1997

    Hosted by www.Geocities.ws

    1