| Página Inicial | Sites | Sugestões de Brincadeiras | Músicas Infantis | Contato | Histórias Infantis |









O Piano e as Teclas

A sala era muito grande, toda circundada pelas janelas altas, com vidros coloridos.Quando o sol batia ali parecia que um grande arco íris estava dentro da sala. Era ali, que estava o imenso piano. De cor preta com imensa cauda brilhando sempre. O banquinho que sempre o acompanhava era da mesma cor, preto brilhante e com o estofado vermelho. Orgulhava-se de acompanhar o piano seu grande senhor. Por cima deste não havia nada.Não colocavam vasos nem porta retratos que era para não arranhar o móvel tão maravilhoso. E o som que dali saia então, era divino. Mas com tudo isto o piano estava triste. O som já não era o mesmo. O que estaria acontecendo?

O banquinho andava meio nervoso, pois percebendo toda esta tristeza não podia fazer nada. Ah, pensou, vou perguntar direto para ele. Assim o fez.

- Diga-me senhor piano o que está acontecendo? Sinto sua tristeza seu som não está igual.

- É, meu amigo, as coisas não vão bem.

- Por quê? Posso saber ou ajudar?

- Agradeço a atenção, banquinho, mas já falei até com o pedal que lá debaixo vê tudo. Até as cordas já me perguntaram o que estaria acontecendo. Sei o que é mas duvido que eu consiga resolver.

- Diga-me então, quem sabe posso ajudar.

- São as teclas, meu caro. Estão brigando entre elas por causa da flanelinha. Não querem mais a flanelinha encima delas o tempo todo. Assim sendo ficam irritadas e não prestam atenção no serviço. Não tenho culpa já disse a elas, mas está difícil. Estão misturando tudo, até as teclinhas pretas entraram no joguinho delas.

- Ah, sr Piano, e agora o que vai fazer?

- Não sei, estou pensando ainda para ver se resolvo o caso.

Passaram-se alguns dias e a situação era a mesma.

Foi então que na sala apareceu o espanador. Grande com seus penachos tirando o pó de tudo.

- Pronto está aí a solução, vou pedir para que ele ajude as teclas, poderemos então retirar a flanelinha.

E assim foi feito. Estavam livres sem a flanelinha agora, já podiam trabalhar. Mas no cantinho da sala a flanelinha toda sentida chorava o lugar que havia perdido. Com que carinho cobrira as teclas por muitos anos, e agora não servia para mais nada. Foi então que alguém ali na sala disse:

- Puxa, que maravilha era a flanelinha que eu estava procurando! Gosto de ter uma sempre no meu carro e esta é ótima!

E lá se foi a flanelinha toda contente, pois iria ser útil novamente. É amiguinho, precisamos tomar cuidado para não fazermos trocas desnecessárias, magoando até quem nos ajudou por muito tempo. Mas pensando bem sempre há alguém que precisa do que descartamos. É sempre melhor dar do que jogar fora.

Ah, as teclas se arrependeram, pois o espanador era meio brusco e muitas vezes arranhava as pobrezinhas que já sentiam falta da flanelinha sempre macia e delicada.

Portanto preste muita atenção numa possível troca, quando estamos muito bem e procuramos novidades às vezes mais tarde reconhecemos que tínhamos o melhor.

Hosted by www.Geocities.ws

1