Clichês

 

É fácil de notar como algumas situações se repetem de história para história, não? Você sempre tem a impressão de que já viu isso acontecer antes, em algum outro lugar.

E não é só assistindo animes ou jogando videogames que isso acontece: ao ler um mangá ou fanfic, assistir a um filme ou seriado, ou mesmo ler um livro, existem certos clichês que encontramos sempre, mas que continuam funcionando.

Esta é uma lista de clichês centrada especialmente nos animes, já que existem listas com clichês de games bem famosas por aí. Caso queira enviar algum clichê para o site, escreva-o mais ou menos no formato dos outros e mande-o por e-mail, que ele aparece aqui com os devidos créditos. Alandria agradece! ^_^

==============================

Última atualização (10/01/2005): Adicionados clichês de 107 e 108.

==============================

 

Lista de clichês
(por ordem de inclusão):

 

1. Síndrome da trama amorosa ou síndrome de Marmalade Boy: Quando uma garota que está apaixonada por um rapaz, mesmo sabendo que ele está com outra, encontra um garoto que gosta da tal "outra". Eles então forjam um falso namoro para causar ciúmes e desmanchar o casalzinho feliz. Às vezes dá certo, às vezes não. Costuma aparecer muito em histórias onde imperam "polígonos amorosos".

2. Síndrome da identidade secreta: Por mais óbvia que seja, a identidade secreta de uma heroína é mantida a unhas e dentes na base do "Não... É óbvio demais para ser verdade" ou do "Ela? Uma heroína? Até parece...".

3. Síndrome do amor duplo: A personagem ama seu defensor sem saber que ele é o chato que vive lhe incomodando ou do qual ela vive debochando. De repente, quando ela começa a gostar do tal chato... puf! A identidade dele se revela. Alguém aqui percebe alguma semelhança entre Sailor Moon e Lois Lane? ^_^ Em alguns casos, pode até acontecer o contrário: o rapaz ama a heroína dos seus sonhos sem saber que encontra com ela todo dia...

4. Síndrome do polígono amoroso: Esta é uma velha conhecida: Fulano gosta da Fulana, que é paquerada pelo Cicrano, que é disputado pela Cicrana e pela Beltrana, sendo que a última vive recebendo indiretas do...

5. Síndrome da pequena ciumenta: Sempre tem uma menina miudinha e ciumenta, geralmente muuuito manhosa (leia-se GRUDENTA) que atrapalha o romance entre a protagonista e o herói, ou entre o protagonista e a mocinha. Se ambos vêm de mundos diferentes, pior ainda.

6. Síndrome do mascote espacial: Poderes especiais são recebidos de um animal falante vindo do espaço. Geralmente este torna-se o mascote da família ou vive escondido. Costuma dar muitas ordens.

7. Síndrome dos óculos nerd: O personagem mais nerd do grupo usa aqueles óculos que ficam girando. Sempre que tal personagem fala algo que parece inteligente, dá aquela ajeitadinha nos óculos como se dissesse: "O que eu digo é infalível.".

8. Síndrome do casal perfeito: O mocinho fica com a mocinha no final. Dã...

9. Síndrome da família feliz: A família padrão é composta por quatro integrantes: a irmã mais velha (que geralmente é a mais importante na história), o irmão menor chatinho, a mãe dona-de-casa e o pai que está sempre trabalhando. Se a garota tem uma identidade secreta, provavelmente o pai é jornalista ou paparazzi, só para atrapalhar.

10. Síndrome da desconfiança romântica: O casal parece perceber que está sendo observado por milhares e milhares de espectadores e se contém ou se esconde na hora do beijo, mesmo que os dois estejam completamente a sós. Altamente revoltante, especialmente entre os fãs ávidos de histórias românticas e/ou shoujo...

11. Síndrome do bishounen obrigatório: Todo anime tem pelo menos um bishounen. Se não tem, é exceção.

12. Síndrome da sintonia romântica: Um rapaz apaixonado sempre sente quando sua amada está em perigo e vice-versa, mesmo que os dois nunca tenham se "confessado" um para o outro.

13. Síndrome do coração dividido: Existe pelo menos uma garota em dúvida sobre o amor de dois (ou mais) homens ou vice-versa.

14. Síndrome do grand-finale: O vilão principal só se põe na batalha perto do episódio final, quando todos os seus subordinados morreram ou passaram para o lado dos mocinhos. Antes disso ele nunca faz nada ao vivo e sempre subestima a força de seus inimigos.

15. Síndrome do flashback infinito: O personagem pode ter um flashback de meio episódio enquanto conta a todos a história de sua vida que o inimigo não vai mover um músculo durante a narração.

16. Síndrome da transformação segura: Durante a transformação de alguém, ninguém ataca. O mesmo vale para AQUELA magia ou ataque especial, bem como para o ato de vestir uma armadura mística e coisas assim.

17. Síndrome do verão permanente: Por mais que se esteja em pleno inverno e a neve caia sem parar, sempre tem pelo menos uma perua, em roupas minúsculas, que não sente um mínimo de frio. O mesmo vale para as garotas adolescentes, que podem estar usando um monte de casacos e, mesmo assim, continuam de minissaia...

18. Síndrome da revolta real: A princesa da história renega as obrigações e imposições trazidas por sua posição. É normal bancar a plebéia ou a revolucionária (ou os dois). Diz não aos trajes e comportamentos tradicionais e acaba se juntando ao grupo de heróis em suas aventuras.

19. Síndrome da menção honrosa: A maioria dos animes mais recentes apresentam pelo menos uma cena, fala ou personagem que lembra ou homenageia um anime de sucesso.

20. Síndrome do enviado do futuro: Um enviado de um futuro caótico chega ao presente para alertar os heróis sobre o provável destino do planeta e como tal destino pode ser evitado. Com muita freqüencia, o enviado possui alguma relação de parentesco com um dos heróis.

21. Síndrome da duplicata: Existe um clone malígno do protagonista, um robô malígno com sua aparência, um lado negro ou um impostor que cria má fama para o heroí fazendo coisas más usando o seu nome. O tal duplo sempre acaba vencido ou neutralizado (de preferência neutralizado a sete palmos debaixo da terra...).

22. Síndrome do sacrifício: Em um grupo de guerreiros (as), os personagens vão ficando para trás um por um para cobrir a retaguarda dos demais, até que só sobra o líder. Este será o único a alcançar o grande inimigo; o restante ficará ocupado combatendo outros inimigos menores. Algumas vezes aqueles que ficaram para trás acabam mortos, sobrando apenas o personagem principal.

23. Síndrome do vai e volta: A maioria dos aliados do protagonista que são mortos em batalha voltam à vida de alguma maneira se sua presença for importante na trama. No caso do próprio protagonista ser morto, as chances dele voltar sobem para 99,99999% ...

24. Síndrome da Fonte Eterna: Um ou mais heróis passam por um teste de consciência onde deparam-se consigo mesmos e com o que mais amam, sendo que estes os atacam. Neste caso, apenas quando percebem que aqueles que amam jamais os machucariam, e que diante deles estão cópias, é que vencem a batalha. Às vezes, podem surgir seqüelas emocionais desse episódio.

25. Síndrome do laquê mágico: Tem sempre um personagem com o cabelo completamente em pé. E, mais incrível, ele não usa nada no cabelo para mantê-lo assim. Apesar de desafiar toda e qualquer lei da Física, o cabelo balança facilmente ao vento.

26. Síndrome das falas vilanescas: Quando o(s) herói(s) encontram o grande-e-todo-poderoso vilão malígno, eles escutam pelo menos uma das seguintes frases (ou variações):
a. "Parabéns por conseguirem chegar até aqui. Mas este é o mais longe que irão."
b. "Eu os estava esperando."
c. "Eu os subestimei. Não pensei que chegariam tão longe."
d. "Maldição! Vocês desafiaram meus poderes. É chegada a hora da sua morte!"
e. "Você é forte demais para ser morto. Não quer se juntar a mim? Juntos dominaremos o mundo."

27. Síndrome da lavagem cerebral: Um dos mocinhos (geralmente o amor da vida da protagonista) sofre lavagem cerebral e se volta contra a heroína. Ela se nega a atacar, mas tem que fazê-lo. Nesses casos, só o poder do amor é capaz de trazê-lo de volta...

28. Síndrome do "com jeitinho tudo dá": Quando é dito que algo é impossível ou irreversível, sempre existe um jeito, geralmente inesperado, de fazer com que tudo dê certo.

29. Síndrome do "quebra-feitiço": Qualquer encantamento, lavagem cerebral ou outro efeito qualquer, seja ele de origem mágica ou científica, pode ser quebrado com um suave e apaixonado beijo na boca (UAU! ^_^). O beijo fica sendo a cena principal do episódio e põe todos os fãs a suspirar (de alívio, de emoção, de "até que enfim", tanto faz...).

30. Síndrome do vilão "secretária eletrônica": Sempre existe aquele vilão que, quando é encontrado, foge deixando para trás um de seus subordinados ou uma de suas criaturas monstruosas para lutar com os heróis. No fundo, age como se dissesse: "Agora não tenho tempo para lutar com vocês. Podem deixar seu recado com meu monstro aqui."

31. Síndrome do arrependido: Um dos subordinados do vilão costuma perceber seus erros e redimir-se, passando a lutar ao lado dos heróis. Pode, ainda, dar sua vida em batalha para se redimir de seus erros ou ser morto pelo vilão por tê-lo traído.

32. Síndrome da "magical girl": Uma garota um pouco tolinha, atrapalhada e que vai mal no colégio recebe poderes para se tornar guerreira e lutar contra o mal ou cumprir uma missão especial, que geralmente tem a ver com o destino do mundo. (Enviada por Alisia).

33. Síndrome da provação: O herói tem que passar por uma provação onde luta consigo mesmo e seus conflitos interiores. Geralmente acaba bem, mas pode deixar rastros como arrependimentos ou frustrações.

34. Síndrome do guarda-chuva rochoso: No meio de uma tempestade, sempre tem uma rocha curva por perto debaixo da qual pode-se ficar para proteger-se da chuva.

35. Síndrome dos domínios medievais: Quando uma nação é regida por pessoas, digamos, com más intenções, esta nação é um Império; se está do lado do Bem, a nação é um Reino. O mesmo se aplica aos governantes: o Imperador é malígno e o Rei é bondoso (ou pelo menos não sai por aí querendo conquistar o mundo).

36. Síndrome da falta de hereditariedade: Não importa se seu pai tem cabelo preto e sua mãe tem cabelos azuis ou cor-de-rosa. Se você nasceu loiro, não quer dizer que você seja adotado. Isso é normal!

37. Sindrome da sabedoria pervertida: Grande parte das séries têm um velhinho ou velhinha importante. Este pode até ser um sábio e conselheiro ancião, mas na maioria das vezes trata-se de um perfeito tarado aproveitador! (Enviada por Alisia).

38. Síndrome da casa do cupido: Muitos lugares exóticos costumam originar romances. Alguns dos mais comuns são:

a. Debaixo de um guarda-chuva: A garota dá carona para o garoto em seu guarda-chuva ou vice-versa. Como costuma estar chovendo forte e o guarda-chuva costuma ser pequeno, os dois acabam chegando bem perto um do outro para não se molharem... e acabam mais aquecidos do que esperavam...

b. Enfermaria: Cada vez mais freqüente. Quando alguém está ferido ou adoentado, é levado para uma cama de hospital, enfermaria ou similar. E lá, sempre recebe a visita de uma certa pessoa. Durante a conversa, sempre aparecem declarações de amor, beijinhos no rosto (ou não! ^_-) ou um abraço sincero. Outras variantes também são possíveis: se o personagem fica cego, vai querer tocar a pessoa com quem fala, que se for uma menina vai ficar vermelhinha. Além do mais, um mero desequilíbrio nos seus pés pode, acidentalmente, colocar você nos braços daquele que você sempre quis...

c. Elevador: Um casal em potencial se encontra dentro do elevador, fazendo o "percurso" junto (e a sós). Muita coisa interessante pode ser dita no caminho. Os dois podem ter ainda mais tempo se o elevador endoidar ou quebrar. Aí sim, finalmente, as cenas mais românticas costumam começar de verdade.

d. Roda gigante: Nenhum casal pode ir a um parque de diversões sem embarcar a sós na roda gigante, por escolha própria ou armação de algum amigo. É uma situação perfeita para declarações de amor, pedidos de desculpas, ou até mesmo para um beijo roubado.

e. Bote em alto-mar: Isolados de tudo, longe da praia e perfeitamente a sós. Esta é a situação proporcionada por um passeio de bote. Os rapazes costumam levar as garotas para passear (ou vice-versa, às vezes), já pensando no que dirão ou farão no momento certo. Seria a ocasião perfeita para uma declaração de amor ou até mesmo para um belo beijo, se esse tipo de passeio não costumasse acabar com o bote virando, o rapaz quase se afogando e a garota tendo que bancar a salva-vidas.

f. Festival: Se as festas são ótimos lugares para encontros especiais, festivais estão entre os favoritos. Sob a luz do luar, e diante de luzes coloridas, muitos sorrisos podem ser trocados. A área livre dos festivais também surpreende: sempre haverá um cantinho sossegado e romântico esperando por um casal e uma declaração de amor...

39. Síndrome da cicatriz: Cicatriz no rosto virou símbolo de status. A mais tradicional é a em forma de X no lado esquerdo do rosto. O interessante é que, mesmo com uma cicatriz enorme no rosto, os rapazes continuam galãs.

40. Síndrome do encontro inesperado: Cena clássica, na qual a pessoa avança, em câmera lenta, quase flutuando, em direção à pessoa amada, que é prisioneira e geralmente está amarrada. Quando daria-se o encontro dos dois (e um possível abraço), algo interrompe a cena.

41. Síndrome do toque musical: Todo sinal de colégio compõe-se da mesma musiquinha. Ouvindo um, você conhece todos.

42. Síndrome dos sete: Sete é um número quase obrigatório em qualquer trama: sete cristais, sete sábios, sete símbolos, sete poderes, sete inimigos...

43. Sindrome de Alcion: Quando alguém que sempre foi bom serve ao vilão por amor, embora nem sempre esse amor seja correspondido. Está se tornando cada vez mais comum. Tem esse nome em homenagem à "coitada" da feiticeira de Zefir que passou por isso...

44. Síndrome da "tomboy": É normal todo anime ter uma garota mais independente, moleca e agressiva que as demais. Se gosta de alguém, uma garota desse tipo sempre será a primeira a negar logo de cara, mesmo sabendo, lá no fundo, que está se enganando.

45. Síndrome da morte paciente: Em animes, uma pessoa que está agonizando sempre sobreviverá o suficiente para dizer suas últimas palavras a alguém.

46. Síndrome da persistência inútil: Aquele subordinado chato do grande vilão tenta, tenta, mas nunca consegue vencer os heróis. Nem ser morto pelos heróis ele consegue! Mas ele sempre volta e tenta de novo, em vão. Esse tipo de teimoso, geralmente, acaba morrendo só no finalzinho, seja pelas mãos dos heróis ou do próprio mestre.

47. Síndrome do traje de guerra: A maioria dos personagens de anime que seguem em uma jornada estão SEMPRE com a mesma roupa, ainda que se passem meses e meses. (Enviada por Wizz).

48. Síndrome do céu nublado: Enquanto o mau impera, ou durante a batalha final, o céu fica nublado e tenebroso. Relâmpagos ocasionais costumam completar a cena, até que o inimigo final seja vencido ou a missão final seja completa. Nesse momento, o céu sempre começa a abrir, e vários feixes de luz começam a passar pelas nuvens.

49. Síndrome do repelente: O protagonista masculino, especialmente nos animes shounen, tende a viver cercado de mulheres bonitas e interessantes, mas raramente escolhe uma.

50. Síndrome do saco de pancadas: Sempre tem alguém na história que vive dando vexame, destinado a pagar o pato todas as vezes e apanhar, mas apanhar muito por causa dos outros. Outras vezes, o personagem apanha por merecer - em resumo, é um CHATO...

==============================

51 - 100 >
Voltar para Diversos

Hosted by www.Geocities.ws

1